Adrenaline Mob: Divertido, potente e cheio de energia

Resenha - Omertá - Adrenaline Mob

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig, Fonte: Collectors Room
Enviar Correções  

publicidade

8


A principal qualidade do Adrenaline Mob é soar como uma banda. O grupo que une o vocalista Russell Allen (Symphony X), o guitarrista Mike Orlando (Sonic Stomp e carreira solo) e o baterista Mike Portnoy (ex-Dream Theater) tem um som que não lembra, em nenhum momento, as bandas pelas quais os seus integrantes ficaram conhecidos. John Moyer, baixista do Disturbed, completa o time – o guitarrista Rich Ward (Stuck Mojo, Fozzy) e o baixista Paul DiLeo gravaram apenas o primeiro EP. O Adrenaline Mob executa um heavy metal pesado, moderno e com muito groove, que equilibra a tradição da música pesada produzida nos Estados Unidos com melodias e refrões que se aproximam do hard rock.

Pets: Nomes do rock em vídeos com seus cães, gatos e até uma cobraLegião Urbana: O dia em que Renato calou a plateia do Programa Livre

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mixado por Jay Ruston (Anthrax, Steel Panther), "Omertá" é um disco sólido e cativante, repleto de grandes canções. Quatro delas já são conhecidas dos fãs, pois estavam no EP lançado na metade de 2011 - "Psychosane", "Believe Me", "Hit the Wall" e "Down the Floor". A influência de Black Label Society, perceptível em faixas como "Undaunted" e "Indifferent", divide espaço com algumas surpresas. A balada "All on the Line" transita por uma sonoridade que une características do Lynyrd Skynyrd a um tempero que vem direto do hard californiano do final da década de oitenta.

A releitura de "Come Undone", gravada originalmente pelo Duran Duran no álbum homônimo lançado em 1993, é um dos grandes destaques de "Omertá". Os vocais agudos de Lizzy Hale, do Halestorm, dividem os holofotes com a voz de Allen, dando uma nova cara para a música, que ficou excelente.

Em um time formado por feras como Russell Allen, Mike Orlando e Mike Portnoy, a qualidade só poderia ser nivelada por cima. Russell canta maravihosamente bem, seguindo o que tem feito nos últimos anos, usando a sua voz de forma mais agressiva. Portnoy surge menos mirabolante e acrobático do que no Dream Theater, criando grooves e batidas que mostram outra faceta de seu inegável talento. Mas, na minha opinião, o principal destaque do disco é o fenomenal Mike Orlando. Sua guitarra é de cair o queixo, com bases pesadíssimas e solos que farão a alegria de qualquer fã do instrumento, com direito até a um talkbox em "Psychosane".

"Omertá" é um grande disco. Não irá mudar os rumos do heavy metal, mas esse nunca foi o seu objetivo. O álbum é divertido, potente e cheio de energia, e proporciona diversos momentos de satisfação para o ouvinte.

Ouça, porque vale a pena!

Faixas:
Undaunted
Psychosane
Indifferent
All on the Line
Hit the Wall
Feelin' Me
Come Undone
Believe Me
Down to the Floor
Angel Sky
Freight Train




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Pets: Nomes do rock em vídeos com seus cães, gatos e até uma cobraPets
Nomes do rock em vídeos com seus cães, gatos e até uma cobra


Metal Hammer: as dez piores capas de 2012Metal Hammer
As dez piores capas de 2012

Mike Portnoy: Adrenaline Mob não tem a ver com progressivoMike Portnoy
Adrenaline Mob não tem a ver com progressivo


Legião Urbana: O dia em que Renato calou a plateia do Programa LivreLegião Urbana
O dia em que Renato calou a plateia do Programa Livre

David Bowie: a última foto pública e a última foto privadaDavid Bowie
A última foto pública e a última foto privada


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL