Resenha - Omertá - Adrenaline Mob

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Victor de Andrade Lopes, Fonte: Sinfonia de Ideias
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Adrenaline Mob é diferente daquilo que os seus integrantes fizeram em suas (vastas) carreiras. E é isso que torna o projeto interessante - ninguém estava esperando por uma sonoridade como essa quando a banda começou a ser anunciada. Até porque seus membros fundadores (MIKE PORTNOY na bateria, RUSSELL ALLEN nos vocais e MIKE ORLANDO na guitarra, complementados por JOHN MOYER no baixo, após a saida do baixista original PAUL DILEO e o segundo guitarrista RICH WARD) são conhecidos por fazer um som um pouco mais limpo, ainda que igualmente pesado. Omertá, disco de estreia do quarteto - originalmente quinteto - mescla metal alternativo, industrial, progressivo e tem até alguns toques de thrash e nu metal.

Ódio musical: os artistas mais detestados em lista da SpinnerJared Leto: a reação ao se ver no papel do Coringa

Difícil dizer qual dos músicos está se destacando mais aqui, mas a voz poderosíssima de RUSSELL talvez seja a primeira coisa a chamar a atenção do ouvinte, mesmo para quem já acompanha seu trabalho no SYMPHONY X. Os riffs fortes e marcantes de ORLANDO, aliados às batidas firmes de PORTNOY, ditam o ritmo do álbum. Além dos riffs, ORLANDO trouxe solos bastante técnicos e interessantes, que dão certa solidez ao trabalho. Outra característica notória desta obra é soar constante, sem grandes mudanças entre uma faixa e outra, e mesmo assim não enjoar.

Basicamente, Omertá pode ser dividido entre séries de faixas destruidoras, das quais destacam-se "Undaunted", "Hit the Wall", "Feelin' Me" e "Down to the Floor"; e alguns "respiros" posicionados entre elas: "All on the Line" e "Angel Sky", duas belas baladas, e "Come Undone", cover do Duran Duran, que conta com a participação da vocalista LZZY HALE, dona de uma bela voz. O curioso da faixa é que LZZY parece cantar com mais agressividade que RUSSELL, que limitou-se a cantar versos de maneira mais "limpa", ainda que com notável emoção.

Omertá surpreende logo na primeira escutada, logo na primeira faixa, algo raro nos lançamentos de heavy metal atualmente, o que torna este álbum uma obra que entraria facilmente em uma lista de "melhores de 2012". Já foi dito, mas não custa repetir: não espere um "Dream Theater encontra Symphony X" com este álbum só porque membros das duas bandas estão aí. Espere algo menos ambicioso, mas igualmente primoroso.

Abaixo, o vídeo da faixa de abertura, "Undaunted":

Track-list:
"Undaunted"
"Psychosane"
"Indifferent"
"All on the Line"
"Hit the Wall"
"Feelin' Me"
"Come Undone"
"Believe Me"
"Down to the Floor"
"Angel Sky"
"Freight Train"


Outras resenhas de Omertá - Adrenaline Mob

Adrenaline Mob: Perfeito para ouvir no volume mais altoAdrenaline Mob: Evitando a sofisticação e complexidadeAdrenaline Mob: Mais direto que as bandas que os projetaramAdrenaline Mob: Divertido, potente e cheio de energia




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Adrenaline Mob"


Duran Duran: top 5 de covers feitos por bandas de Rock/MetalDuran Duran
Top 5 de covers feitos por bandas de Rock/Metal

Heart: Barracuda surgiu a partir de uma insinuação incestuosaHeart
"Barracuda" surgiu a partir de uma insinuação incestuosa

Wikimetal: Os melhores álbuns da última décadaWikimetal
Os melhores álbuns da última década


Ódio musical: os artistas mais detestados em lista da SpinnerÓdio musical
Os artistas mais detestados em lista da Spinner

Jared Leto: a reação ao se ver no papel do CoringaJared Leto
A reação ao se ver no papel do Coringa

Heavy Metal: as 10 introduções mais matadoras do estiloHeavy Metal
As 10 introduções mais matadoras do estilo

Black Sabbath - Perguntas e RespostasNo alto do castelo há uma linda princesa...Rock In Rio: produção mostra o histórico contrato do Queen de 1985Pokemon: tema de batalha tocado em uma bateria brutal

Sobre Victor de Andrade Lopes

Victor de Andrade Lopes é jornalista (Mtb 77507/SP) formado pela PUC-SP com extensões em Introdução à História da Música e Arte Como Interpretação do Brasil, ambas pela FESPSP, e estudante de Sistemas para Internet na FATEC de Carapicuíba, onde mora. É também membro do Grupo de Usuários Wikimedia no Brasil e responsável pelo blog Sinfonia de Ideias. Apaixonado por livros, ciências, cultura pop, games, viagens, ufologia, e, é claro, música: rock, metal, pop, dance, folk, erudito e todos os derivados e misturas. Toca piano e teclado nas horas livres.

Mais matérias de Victor de Andrade Lopes no Whiplash.Net.