Matérias Mais Lidas

Kirk Hammett: ele descreve com detalhes briga de Axl Rose e Kurt Cobain no VMA 1992Kirk Hammett: ele descreve com detalhes briga de Axl Rose e Kurt Cobain no VMA 1992

Iron Maiden: Bruce Dickinson revela as músicas da banda que mais curte cantarIron Maiden: Bruce Dickinson revela as músicas da banda que mais curte cantar

Iron Maiden: para Herman Li, quem não gosta de Senjutsu não gosta de metalIron Maiden: para Herman Li, quem não gosta de "Senjutsu" não gosta de metal

Deep Purple: quando tomaram porre de caipirinha e foram sequestrados no BrasilDeep Purple: quando tomaram porre de caipirinha e foram "sequestrados" no Brasil

Metallica: Lars Ulrich diz quais versões de Blacklist o impressionaramMetallica: Lars Ulrich diz quais versões de "Blacklist" o impressionaram

Iron Maiden: Senjutsu em uma visão não xiitaIron Maiden: "Senjutsu" em uma visão não xiita

Metallica: Hetfield reage a torcida que cantou Enter Sandman e distorceu sismógrafoMetallica: Hetfield reage a torcida que cantou Enter Sandman e distorceu sismógrafo

Metal: dez álbuns dos anos 90 que todos deveriam ouvir ao menos uma vez - Parte 2Metal: dez álbuns dos anos 90 que todos deveriam ouvir ao menos uma vez - Parte 2

Guns N' Roses: veja quanto custava uma cópia de Use Your Illusion no dia do lançamentoGuns N' Roses: veja quanto custava uma cópia de "Use Your Illusion" no dia do lançamento

Andreas Kisser: Revelando luta da esposa contra o câncerAndreas Kisser: Revelando luta da esposa contra o câncer

Metal Hammer: Os 10 piores álbuns dos anos 90 de 10 bandas brilhantesMetal Hammer: Os 10 piores álbuns dos anos 90 de 10 bandas brilhantes

Mr. Bungle: Dave Lombardo e Scott Ian demonstram apoio ao vocalista Mike PattonMr. Bungle: Dave Lombardo e Scott Ian demonstram apoio ao vocalista Mike Patton

Nightwish: Floor Jansen revela que hipersensibilidade a impede de olhar fãs nos showsNightwish: Floor Jansen revela que hipersensibilidade a impede de olhar fãs nos shows

Luis Mariutti: baixista posta foto das antigas e mostra que Jesus nem sempre teve barbaLuis Mariutti: baixista posta foto das antigas e mostra que Jesus nem sempre teve barba

Kiss: Ace Frehley numa boa com Gene Simmons e fala sobre reunião da formação originalKiss: Ace Frehley numa boa com Gene Simmons e fala sobre reunião da formação original


Tunecore 2

Space Odissey: megalomaníaco e eficiente

Resenha - Astral Episode - Richard Andersson's Space Odissey

Por Maurício Dehò
Em 09/04/07

Nota: 7

O mundo da música está cheio de megalomaníacos, muitos um tanto egocêntricos. Aqueles caras como Gene Simmons, Axl Rose, Malmsteen, ou ainda bandas como Dream Theater, só para citar alguns. Não que seja algo negativo, afinal, todos eles tiveram e têm suas qualidades e (grande!) contribuição para o cenário musical que temos hoje. Mas vez ou outra aparecem outros caras com o mesmo intuito e, claro, achando que talvez cheguem ao mesmo lugar. O "maluco" da vez é o tecladista Richard Andersson, que teve lançado no Brasil o segundo álbum de um dos seus projetos, o Space Odissey, chamado "The Astral Episode", originalmente de 2005.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Richard surgiu na música com o Majestic, que só teve dois álbuns (1999 e 2000), e depois participando do debut da banda francesa Adagio, de metal progressivo. Como nada deu muito certo, pegou alguns companheiros do Majestic e criou o Time Requiem, mais duradouro e que teve seu último trabalho, "Optical Illusion", lançado em 2006.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Neste meio tempo, o sueco hoje com 35 anos, resolveu se juntar ao velho amigo Magnus Nilsson e criou mais um projeto. Apesar de aparentemente ser de ambos, a banda foi chamada de Richard Andersson’s Space Odissey. E mais, tanto no debut "Embrace the Galaxy", quanto neste "The Astral Episode", quem figura nas capas que parecem sair de um filme de ficção científica é apenas o tecladista. E então, poderia ser mais egocêntrico?!

Como o que importa mesmo é a música, vamos a ela. O problema de "The Astral Episode" é começar vendendo um peixe que não se confirma até o fim do álbum. Afinal, é só dar o play em "Through Dreams and Reality" que o climão Symphony-X aparece. Teclados e guitarras virtuosos, a cozinha de baixo e bateria acompanhando tudo, numa sonoridade típica do metal progressivo e realmente com muita qualidade. A produção é de Richard, que também compôs e fez o arranjo de tudo, num trabalho que não se pode criticar. E se alguém pensaria que os teclados estariam "berrando", nada disso. O tecladista escolhe bem a hora de dar destaque ao seu instrumento e até de escondê-lo um bocado e deixar os outros músicos fazerem a festa.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

O clima prog segue bem na boa abertura do disco e na próxima, que deu nome a este trabalho, com um destaque maior do teclado. Mas são principalmente as duas próximas que mudam bem a coisa. "Lord of the Winds" e "Dazzle the Devil" trazem a banda para um patamar mais simples, do power metal ou mesmo do metal tradicional, já que o excelente vocal de Patrik Johansson, também do Astral Doors e um dos melhores aspectos de "The Astral Episode", remete descaradamente ao de Ronnie James Dio.

E mais, as faixas parecem ter saído de um dos discos dos tempos áureos do conterrâneo Yngwie Malmsteen, tal é a virtuosidade (e vontade de mostrar isso) de Magnus e os intermináveis duetos com Richard, que não perde muito para um Jens Johansson (Stratovarius) e até usa o mesmo tipo de efeitos dele. Quer uma prova? Dê uma ouvidinha no refrão de "Dazzle the Devil", com solinhos 'fritados' de guitarra ao fundo. Se isso não é igual a Malmsteen...

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

O resto do álbum segue nessa linha, sem voltar muito ao progressivo. Toda aquela virtuose do começo passa a figurar apenas em solos e curtas passagens. As exceções são "Reversation", uma faixa instrumental bem legal para quem gosta desse tipo de música, com um show da banda como um todo, sempre muito coesa e entrosada. A outra é o encerramento em "The Seventh Star Fantasy", que parece o Genius, projeto do italiano Daniele Liverani , mas a princípio não passa de enganação. Clima mais sombrio, guitarras mais pesadas e... vira uma coisa mais para uma balada. Depois até volta a ter o peso do começo e fica legal, mas já é meio tarde.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Egocêntrico ou não, Richard faz um bom trabalho em "The Astral Episode", com um grande contribuição de uma banda de peso, competente, principalmente pelo vocalista Patrik Johansson, que manda muito. No entanto, é tudo com aquele gostinho ‘de já ouvi isso em algum lugar’: Malmsteen, Symphony-X, Dio... Mesmo, assim, não é algo que deva ser desprezado para quem curte o gênero.

Formação:
Nils Patrik Johansson – vocal
Magnus Nilsson – guitarra e baixo
Andreas Brobjer – bateria
Richard Andersson – teclados

Track list:
1. Through Dreams and Reality
2. Astral Episode
3. Lord of the Winds
4. Dazzle the Devil
5. Back to the Dark
6. Presence of Mind
7. Reversation
8. The Seventh Star Fantasy

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Lançamento Hellion Records – nacional

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Death Metal: as 10 melhores bandas de acordo com a AOLDeath Metal
As 10 melhores bandas de acordo com a AOL

Lista: clássicos do rock e do metal que ninguém aguenta mais ouvir - Parte 1Lista
Clássicos do rock e do metal que ninguém aguenta mais ouvir - Parte 1


Sobre Maurício Dehò

Nascido em 1986, é mais um "maidenmaníaco". Iniciou-se no metal ao som da chuva e dos sinos de "Black Sabbath", aos 11 anos, em Jundiaí/SP. Hoje morando em São Paulo, formou-se em jornalismo pela PUC e é repórter de esportes, sem deixar de lado o amor pela música (e tentando fazer dela um segundo emprego!). Desde meados de 2007, também colabora para a Roadie Crew. Tratando-se do duo rock/metal, é eclético, ouvindo do hard rock ao metal mais extremo: Maiden, Sabbath, Kiss, Bon Jovi, Sepultura, Dimmu Borgir, Megadeth, Slayer e muitas, muitas outras. E é de um quarteto básico que espera viver: jornalismo, esporte, música e amor (da eterna namorada Carol).

Mais matérias de Maurício Dehò.