Resenha - Signs Of The End - Demolish

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Enviar Correções  

Se comparado a outros materiais de divulgação por aí, o Demolish pode se vangloriar de estar bem à frente. Mesmo trazendo sete canções em um Ep, a maturidade das composições e a sonoridade do conteúdo está extremamente bem feito. Nota-se um capricho extremo na construção das letras que falam do cotidiano, desigualdade social e violência.

Trollagem: quando as bandas decidem zoar com o playback

Axl Rose: Texto analisa rivalidade com Kurt Cobain

Mais do que violento é o som executado pelo quinteto formado no Distrito Federal. É thrash metal dos bons, estilo germânico e também fortemente influenciado pelas tradicionais bandas da Bay Area. O line up é formado por quatro rapazes que comandam bem suas habilidades, mais a baterista do grupo Valhalla, Ariadne Souza, dona de pancadas precisas e rápidas viradas.

As canções têm peso e melodia envolventes. Das melhores, a primeira "War That Kills Innocents", a terceira "Awake" e a última, "Realms Of Death", prometem fazer o público headbanger demolir qualquer coisa pela frente, ao melhor estilo da temática e idéia da banda.


Outras resenhas de Signs Of The End - Demolish

Resenha - Signs Of The End - Demolish




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Trollagem: quando as bandas decidem zoar com o playbackTrollagem
Quando as bandas decidem zoar com o playback

Axl Rose: Texto analisa rivalidade com Kurt CobainAxl Rose
Texto analisa rivalidade com Kurt Cobain


adWhipDin adWhipDin