Resenha - A Place Called Bad - Black League

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

9


Algum tempo após deixar o Sentenced, Taneli Jarva decidiu voltar aos estúdios e com a colaboração de alguns velhos amigos deu forma ao The Black League, cujo primeiro disco "Ichor" (00), dava uma geral em canções que estavam engavetadas há tempos, trazendo portanto faixas bem variadas. Daí em diante seus músicos vão seguindo um caminho mais coeso em termos de composições e sempre conseguindo colocar bons trabalhos no mercado.

De AC/DC a ZZ Top: Origens dos nomes de bandas e artistas de rock

Monsters Of Rock 2015: conheça a loira que "deu um show" com o Steel Panther

Apesar de ter passado por uma fase problemática em 2004, inclusive anunciando uma parada em suas atividades, o The Black League volta com uma mudança drástica, sendo que da formação anterior só sobraram o vocalista Taneli Jarva e o guitarrista Maike Valanne. Os novos músicos são Heavy Hiltunen (guitarra), Ilkka Tanska (baixo) e Rale Tiiainen (bateria), e são extremamente competentes em suas funções.

E os finlandeses continuam a fazer bonito neste seu quinto registro, "A Place Called Bad", que segue uma linha similar ao seu antecessor, "Man's Ruin Revisited" (04), que surpreendeu muitas pessoas com a mudança de sua musicalidade, soando mais rock´n´roll pesadão, ao contrário da faceta metálica, obscura e melódica de outrora. Este seu novo disco é cheio de idéias realmente boas e transforma muitos elementos retrôs em uma sonoridade mais contemporânea.

Impossível deixar de mencionar o impecável trabalho das guitarras que, junto com a inconfundível voz rouca de Taneli, fazem este disco funcionar tão bem. "Same Ol' Fuckery" é uma mostra clara disso, com aquele cheirão de blues que tanta gente curte. Elementos do rock sulista norte-americano pode ser conferido na bonita "Altamount Man" e até mesmo a simplicidade do rock´n´roll básico de "Bury Yer Brother" chama a atenção. Mas sejamos práticos, tudo aqui é atraente pelo carisma de suas composições.

E só não é melhor por ter pouco mais de 36 minutos de duração... O ouvinte fica querendo mais. Quem curte Lynyrd Skynyrd, ZZ Top, Foghat, AC/DC e Motorhead, tudo mais atualizado, pode conferir "A Place Called Bad" que dificilmente irá ter alguma decepção.

The Black League - A Place Called Bad
(2005 / Wolfgang Records – importado)

01. Same Ol' Fuckery
02. Ball 'n' Chain Woman
03. Bury Yer Brother
04. Runnin' Lo' On Fumes
05. Marked Man
06. Altamount Man
07. Bastard's Degree
08. A Place Called Bad
09. Heroes And Outlaws
10. Watch Dog

Homepage: www.theblackleague.fi




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


De AC/DC a ZZ Top: Origens dos nomes de bandas e artistas de rockDe AC/DC a ZZ Top
Origens dos nomes de bandas e artistas de rock

Monsters Of Rock 2015: conheça a loira que deu um show com o Steel PantherMonsters Of Rock 2015
Conheça a loira que "deu um show" com o Steel Panther


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin