Resenha - Place Vendome - Place Vendome

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


É curioso observar como o nome Michael Kiske é forte no mundo do rock pesado, mesmo este tendo disparado inúmeros comentários indevidos, porém muitas vezes sensatos, para fãs e indústria fonográfica... Mesmo sendo um fato compreensível, fica meio chato perceber que o nome Place Vendome é associado primeiramente a Kiske e ainda ver sua foto seis vezes maior que a dos outros integrantes no encarte do CD.
5000 acessosQuiet Riot: quebrando disco de banda brasileira em 19855000 acessosDanilo Gentili: O sertanejo tem mais atitude roqueira que o próprio roqueiro

Seria injustiça não dizer que a grande fera que deu vida a estas canções é Dennis Ward (baixo) e, em menor grau, Uwe Reitenauer (guitarras) e Gunter Werno (teclados - Vanden Plas), que realmente participaram na elaboração das composições. Naturalmente o projeto se completa com Kosta Zafirou (bateria), todos já conhecidos membros do Pink Cream 69.

De qualquer maneira, quando nossas atenções são voltadas somente à arte, percebemos o quanto as canções do Place Vendome são bonitas. As músicas aqui trazem muito do AOR que o Journey (quem diria esta banda faria escola depois de tanto tempo!) já fez, naturalmente um pouco mais atualizado e com uma performance incrível de todos os músicos envolvidos.

Com pouca distorção, muitos teclados, e em alguns momentos beirando o pop, o que se tem aqui são faixas variadas que podem ser escutadas em qualquer momento. Temos algum peso em “Cross The Line”, nas excelentes “I Will Be Gone” e “Magic Carpet Ride”. Há momentos mais acessíveis, que ficam por conta de “I Will Be Waiting” e “The Setting Sun”; e o álbum fecha de forma magistral com a épica e pesada “Sign Of The Times”, comprovando ao ouvinte que ele acabou de escutar o que há de melhor neste gênero, um discaço!

Entretanto, a faixa que marca pela simplicidade é a própria “Place Vendome”, puro rock´n´roll bem animado onde Kiske mostra seu talento nato, cantando com muita emoção e empolgando mesmo. O único ponto que ficou realmente a desejar é “Heavens Door”, pop total e cansativo, porém, de resto, são ótimas canções.

Creio que no ano de 2005, em se tratando de qualidade e bom gosto nos arranjos no estilo hard rock/AOR, o Place Vendome só encontra paralelo no norueguês Greenhouze, que lançou um álbum homônimo também excelente, disponível no mercado nacional e que vale a pena ser conferido.

Place Vendome – Place Vendome
(2005 / Frontiers Records – Hellion Records)

01. Cross The Line
02. I Will Be Waiting
03. Too Late
04. I Will Be Gone
05. The Setting Sun
06. Place Vendôme
07. Heavens Door
08. Right Here
09. Magic Carpet Ride
10. Sign Of The Times

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Place Vendome - Place Vendome

3459 acessosResenha - Place Vendome - Place Vendome3447 acessosResenha - Place Vendome - Place Vendome5000 acessosResenha - Place Vendome - Place Vendome

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Place Vendome"

Michael KiskeMichael Kiske
A importância de Sammet no seu retorno ao Metal

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Place Vendome"

Quiet RiotQuiet Riot
Quebrando disco de banda brasileira em 1985

Danilo GentiliDanilo Gentili
O sertanejo tem mais atitude roqueira que o próprio roqueiro

MotorheadMotorhead
Destaques do funeral de Lemmy Kilmister

5000 acessosDanilo Gentili: O sertanejo tem mais atitude roqueira que o próprio roqueiro5000 acessosJoão Gordo: quais são as bandas que ele ouve hoje em dia?5000 acessosGothic Metal: os dez trabalhos essenciais do estilo5000 acessosExtreme: Jack Black e Jimmy Fallon recriam "More Than Words"5000 acessosIron Maiden: "É proibido imitar Bruce Dickinson"5000 acessosPurpled by Marks: as metamorfoses do Deep Purple

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online