Resenha - Place Vendome - Place Vendome

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


É curioso observar como o nome Michael Kiske é forte no mundo do rock pesado, mesmo este tendo disparado inúmeros comentários indevidos, porém muitas vezes sensatos, para fãs e indústria fonográfica... Mesmo sendo um fato compreensível, fica meio chato perceber que o nome Place Vendome é associado primeiramente a Kiske e ainda ver sua foto seis vezes maior que a dos outros integrantes no encarte do CD.

Rob Halford: 11 coisas que você não sabia sobre eleRoqueiro poser: 100 regras essenciais para se tornar um

Seria injustiça não dizer que a grande fera que deu vida a estas canções é Dennis Ward (baixo) e, em menor grau, Uwe Reitenauer (guitarras) e Gunter Werno (teclados - Vanden Plas), que realmente participaram na elaboração das composições. Naturalmente o projeto se completa com Kosta Zafirou (bateria), todos já conhecidos membros do Pink Cream 69.

De qualquer maneira, quando nossas atenções são voltadas somente à arte, percebemos o quanto as canções do Place Vendome são bonitas. As músicas aqui trazem muito do AOR que o Journey (quem diria esta banda faria escola depois de tanto tempo!) já fez, naturalmente um pouco mais atualizado e com uma performance incrível de todos os músicos envolvidos.

Com pouca distorção, muitos teclados, e em alguns momentos beirando o pop, o que se tem aqui são faixas variadas que podem ser escutadas em qualquer momento. Temos algum peso em "Cross The Line", nas excelentes "I Will Be Gone" e "Magic Carpet Ride". Há momentos mais acessíveis, que ficam por conta de "I Will Be Waiting" e "The Setting Sun"; e o álbum fecha de forma magistral com a épica e pesada "Sign Of The Times", comprovando ao ouvinte que ele acabou de escutar o que há de melhor neste gênero, um discaço!

Entretanto, a faixa que marca pela simplicidade é a própria "Place Vendome", puro rock'n'roll bem animado onde Kiske mostra seu talento nato, cantando com muita emoção e empolgando mesmo. O único ponto que ficou realmente a desejar é "Heavens Door", pop total e cansativo, porém, de resto, são ótimas canções.

Creio que no ano de 2005, em se tratando de qualidade e bom gosto nos arranjos no estilo hard rock/AOR, o Place Vendome só encontra paralelo no norueguês Greenhouze, que lançou um álbum homônimo também excelente, disponível no mercado nacional e que vale a pena ser conferido.

Place Vendome - Place Vendome
(2005 / Frontiers Records - Hellion Records)

01. Cross The Line
02. I Will Be Waiting
03. Too Late
04. I Will Be Gone
05. The Setting Sun
06. Place Vendôme
07. Heavens Door
08. Right Here
09. Magic Carpet Ride
10. Sign Of The Times


Outras resenhas de Place Vendome - Place Vendome

Resenha - Place Vendome - Place VendomeResenha - Place Vendome - Place VendomeResenha - Place Vendome - Place Vendome




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Place Vendome"


Michael Kiske: a importância de Sammet no seu retorno ao MetalMichael Kiske
A importância de Sammet no seu retorno ao Metal


Rob Halford: 11 coisas que você não sabia sobre eleRob Halford
11 coisas que você não sabia sobre ele

Roqueiro poser: 100 regras essenciais para se tornar umRoqueiro poser
100 regras essenciais para se tornar um

Ultimate Guitar: as 28 canções mais sombrias de todos os temposUltimate Guitar
As 28 canções mais sombrias de todos os tempos

Rob Zombie: sua lista dos 5 Melhores Filmes de ZumbiRob Zombie
Sua lista dos 5 Melhores Filmes de Zumbi

Freddie Mercury: 18 fotos espontâneas ao lado do namorado Jim HuttonFreddie Mercury
18 fotos espontâneas ao lado do namorado Jim Hutton

Iron Maiden: Bruce Dickinson e Aleister CrowleyIron Maiden
Bruce Dickinson e Aleister Crowley

Gibson: elege Back in Black como o melhor riff dos 80sGibson
Elege "Back in Black" como o melhor riff dos 80s


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336