Matérias Mais Lidas

imagemRegis Tadeu e os cinco grandes vocalistas que o mundo do Rock não dá valor

imagemJô Soares comprou uma obra de arte do Rock por causa do Regis Tadeu

imagemA música do Metallica que James não queria apresentar aos outros integrantes

imagemFãs detonam produção do Knotfest após anúncio do Pantera

imagemDee Snider diz que faliu na década de 1990 e fingia ser outra pessoa

imagemAngra e Shaman, Edu Falaschi fala sobre a treta que havia entre as bandas

imagemO carinhoso jeito de Axl Rose se desculpar com sua equipe pelo seu jeito imprevisível

imagemA melhor música de heavy metal lançada a cada ano desde 1970, em lista do Loudwire

imagemDez músicas de outros estilos que ganharam ótimas versões rock/metal - Parte I

imagemFilme que conta a história de Dio será exibido nos cinemas em setembro

imagemAmy Lee surpreende ao escolher os melhores cantores (e cantoras) de todos os tempos

imagemO curto e grosso motivo pelo qual Zappa vetava que seus músicos usassem coisas químicas

imagemBruno Sutter explica semelhança problemática entre Ayrton Senna e Fausto Fanti

imagemA música do Raul Seixas com erro gramatical que parece um plágio mas é uma homenagem

imagemDiretora de escola censurada por pais por foto com camisa do Iron Maiden se arrepende


2022/07/09
2022/08/18

Resenha - Let It Be - Naked - Beatles

Por Márcio Ribeiro
Em 15/12/03

Nota: 6

Este novo lançamento da Apple Records é, em essência, um projeto de Paul McCartney, e como tal, tem como objetivo principal consertar o erro feito no Let it Be original, lançando as canções "Let It Be" e "The Long And Winding Road" com coro e orquestração. Na época, ao ouvir o resultado final entregue por Phil Spector, McCartney imediatamente barrou o projeto. Allan Klein, então empresário da banda, ignorou solenemente os protestos de Paul e autorizou o disco. Este foi o ato derradeiro que acabou encerrando os Beatles como um grupo e como uma empresa. Como disse o próprio McCartney, "Os ternos (os executivos) até então, mesmo que nos roubando, pelo menos não se metiam com a música." Uma vez que esta linha foi cruzado, Paul se viu sem outra alternativa senão se desligar da orgainização Beatles como forma de proteger o material da banda das garras de Klein.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O que isto tem a ver com este novo lançamento, o CD Let It Be – Naked? Segundo Paul, este é o disco que deveria ter sido lançado. O que este disco tem de diferente do Let It Be original? Muito pouco. E com rara excessão, as faixas são mais memoráveis no original. Se Naked deveria mostrar os Beatles como o projeto inicial intencionava, falhou miseravelmente, sem sequer chegar perto.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A grande queixa contra Phil Spector era que o projeto original ditava que os Beatles se apresentassem gravando ao vivo no estúdio, sem trucagens. De fato Phil, que pegou o projeto pelo meio, abandonou esta visão inteiramente. O resultado disto são por um lado as orquestrações e coro. Mas também são o acabamento em faixas como "I Me Mine" e "Across The Universe", que nesta edição de Naked, permanecem. Sim, as orquestrações foram retiradas, mas continua não sendo os Beatles ao vivo no estúdio, "Across The Universe" tendo sido gravado em 1968, de forma tradicional, e "I Me Mine" sendo gravado sem a presença dos quatro Beatles no estúdio. John Lennon inclusive nem participa da faixa.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

As demais faixas do álbum estão praticamente idênticas ao que consta no álbum Let It Be lançado em 1970. No entanto, todas aquelas falas entre as faixas, que davam certa graça, e que em si, eram uma novidade, pois desafiavam uma regra de procedimento em gravações, foram retiradas. "Get Back" perde aquele adendo final, tanto do compacto quando Paul fala sobre Jo-Jo, quanto a do disco, onde John agradece brincando pela audição. "Dig A Pony", "I Got A Feeling", e "One After 909" complementam o set tirado do telhado.

Deles, apenas "I Got A Feeling," com vocais mais vivos do que a do álbum de 70, ganhou uma verdadeira melhora. "The Long And Winding Road" apesar da preferência do autor, não ganhou com a ausência da orquestra e coro. Paul McCartney no piano e Billy Preston no órgão não seguram a faixa, que agora nua, como o titulo do disco sugere, está mais para vazia. A versão ficou então ruim? Não! Em absoluto. A canção é linda e continua sendo. Mas é da minha opinião que a versão perdeu mais do que ganhou.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A orquestra realmente fez falta, se por nada, porque continuamos ouvindo sua ausência durante toda a canção, um mal sinal. Junto com o coro, está embuída no nosso consciente, a versão do álbum Let It Be de 1970, e não esta versão, que nos remete ao passado. Curiosamente, o mesmo problema não acontece com a faixa "Let It Be." A canção se mostra ainda mais magnânima, o corinho de John e George ouvidos com ainda maior claridade.

O material vem ainda acompanhado de um segundo CD que contem um poupourri de ensaios, cortados em pedaços mínimos, a maioria com menos de dez segundos. Neles, os únicos que atraem algum interesse maior são "Because I Know You Love Me So", uma composição de Lennon-McCartney ainda inédita, que figura em poquíssimos piratas. Ela também é a maior faixa incluida com 1:32, que não compreende a canção do começo ao fim. Outra perolazinha é "Can You Dig It?" com apenas 30 segundos disponíveis. Esta é a versão de "Dig It" gravada no dia anterior a aquela longa versão vista no filme e que tem alguns segundos aparecendo no álbum Let It Be de 1970. Esta versão é sensivelmente diferente, porém contém o adendo final aproveitado no disco original ("That’s ‘Can You Dig It?’ by Georgie Wood. And know, ‘Hark All The Angels Come.’").

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Como curiosidade para Beatlemaniacos, o álbum é mais um adendo para sua vasta coleção. Como um disco para ser ouvido pelas gerações futuras ou símbolo de versão verdadeira destas faixas, esqueça este disco, não perca seu tempo, é um embuche. Estas canções serão sempre lembrados pelas versões incluidas no álbum Let It Be, lançado em 1970. Como já se podia verificar na época do Anthology, as melhores versões são mesmo aquelas que foram parar nos discos. Nada mudou.

Let It Be - Naked

Get Back (2:34)
Dig A Pony (3:38)
For You Blue (2:28)
The Long And Winding Road (3:34)
Two Of Us (3:21)
I’ve Got A Feeling (3:31)
One After 909 (2:44)
Don’t Let Me Down (3:19)
I Me Mine (2:21)
Across The Universe (3:38)
Let It Be (3:54)

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Fly On The Wall

Sun King (0:17)
Don't Let Me Down (0:39)
One After 909 (0:09)
Because I Know You Love Me So (1:32)
Don't Pass Me By (0:03)
Taking A Trip To Carolina (0:19)
John's Piano Piece (0:18)
Child Of Nature (0:24)
Back In The USSR (0:09)
Every Little Thing (0:09)
Don't Let Me Down (1:01)
All Things Must Pass (0:21)
She Came In Through The Bathroom Window (0:05)
Paul's Piano Piece (1:01)
Get Back (0:15)
Two Of Us (0:22)
Maggie Mae (0:22)
Fancy My Chances With You (0:27)
Can You Dig It? (0:31)
Get Back (0:32)


Outras resenhas de Let It Be - Naked - Beatles

Resenha - Let It Be - Naked - Beatles

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

O hit da Legião Urbana que utiliza recurso sonoro consagrado pelos Beatles

Beatles: A música que Paul McCartney compôs para calar a boca de Pete Townshend

Janis Joplin: última gravação dela em vida foi feita para um Beatle

Dez clássicos do rock e do heavy metal que não têm bateria - Parte II

As músicas de John Lennon favoritas de Paul McCartney - nos Beatles e solo

Robb Flynn diz que números do Spotify "não representam seus fãs" e cita caso dos Beatles

Cinco bandas que lançaram discos por três (ou mais) anos consecutivos - Parte 1

Dez músicas gravadas por bandas de rock e metal que não têm refrão, em lista do Loudwire

Ringo Starr lança EP3 em setembro; veja capa, nomes das músicas e ouça prévia

Beatles: Para John Lennon e George Harrison ser um beatle se tornou "chato"

Um documentário do Queen estilo Get Back? Brian May responde se é possível

Peter Jackson está planejando outro filme sobre os Beatles

Paul McCartney comenta o impacto de Elvis Presley no começo de sua carreira

Judas Priest: Rob Halford comenta a influência de Beatles e Rolling Stones

Beatles: Para John Lennon as filmagens de "Let it Be" foram "um inferno"

Paul McCartney: Respostas a dezenas de perguntas de fãs

Mestres: os dez maiores guitarristas canhotos do Rock

Jess Greenberg: mais vídeos de covers em voz e violão

Mick Jagger: em cerimônia na escola do filho em São Paulo

Oh, não!: clássicos do Rock Heavy Metal e que foram "estragados" pelo tempo


Sobre Márcio Ribeiro

Nascido no ano do rato. Era o inicio dos anos sessenta e quem tirou jovens como ele do eixo samba e bossa nova foi Roberto Carlos. O nosso Elvis levou o rock nacional à televisão abrindo as portas para um estilo musical estrangeiro em um país ufanista, prepotente e que acabaria tomado por um golpe militar. Com oito anos, já era maluco por Monkees, Beatles, Archies e temas de desenhos animados em geral. Hoje evita açúcar no seu rock embora clássicos sempre sejam clássicos.

Mais matérias de Márcio Ribeiro.