Matérias Mais Lidas

imagemMarcello Pompeu agradece mobilização de fãs

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal

imagemA opinião de Arnaldo Antunes sobre a competição interna que havia nos Titãs

imagemAs composições de Paul McCartney nos Beatles preferidas de John Lennon

imagemGene Simmons compartilha tweet com meme da ex-presidente Dilma Rousseff

imagemNicko McBrain, do Iron Maiden, mostra o seu novo (e enorme) kit de bateria

imagemEvanescence coloca baixista no cargo de guitarrista e anuncia nova baixista

imagemO reencontro entre Steve Harris e Paul Di'Anno na Croácia

imagemÍcone do metal é alvo de críticas por tocar com músico condenado por assassinato

imagemDave Mustaine, do Megadeth, inicia vida de youtuber e mostra o ônibus de turnê da banda

imagemMetallica divulga vídeo oficial da clássica "For Whom The Bell Tolls" ao vivo em SP

imagemLars Ulrich diz que shows do Metallica na América do Sul foram incríveis

imagemMark Tremonti, do Alter Bridge, revela que é grande fã de lendária banda de metal

imagemFrank Zappa disse a Steve Vai que ele soava como "um pão com mortadela elétrico"

imagemVocalista do Greta Van Fleet não entende os haters: "parece a p**** de uma religião"


Stamp

Resenha - Machine Head - Deep Purple

Por Beto Guzzo
Em 19/05/05

Pode ser que sim, pode ser que não. Mas eu aposto como tem muito roqueiro que, a despeito da realização de Led Zeppelin IV (e outros), acha este o melhor álbum de rock já lançado em todos os tempos. Sinceramente, tirando o emocional de campo, os purple-maníacos tem uma ponta de razão pois o álbum é excelente, da primeira a última música.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Quando Ian Gillan (vocais), Ritchie Blackmore (guitarra), Roger Glover (baixo), John Lord (teclados) e Ian Paice (bateria) gravaram Machine Head em março de 1972, eles estavam esgotados dos shows da turnê anterior e foram gravar num lugar supostamente tranquilo: Montreux, Suiça. Como veremos mais para frente na história de Smoke on the Water, foi um ledo engano!

O play começa arrasador, 220v mesmo: Highway Star, com um Blackmore muito inspirado e Lord dando show... a música é um fôlego só o que, na época, o Gillan tinha de sobra. Maybe I’m a Leo diminui o ritmo sem deixar a bola cair. Pictures of Home é uma das preferidas da banda e até hoje é tocada nos shows. A entrada alucinante de Paice dá uma amostra do que está para acontecer: Lord arrepiando e Glover (até ele, sempre comedido) tendo talvez seu melhor momento do trabalho. Na guitarra, Ritchie faz solos que... bom, deixa prá lá. Never Before foi uma tentativa da banda de fazer a coisa mais comercial possível. Parece que conseguiram. Roger: "alguns dias após termos gravado a faixa, nós cantarolávamos a melodia da música em todo o lugar e então percebemos que ela estava em nossas cabeças".

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

A quinta faixa... bom, a quinta faixa é Smoke on the Water. Logo na introdução, Paice e Roger se juntam ao riff de Blackmore, que se tornaria o mais popular da história do rock. A música nem tem momentos de extremo virtuosismo de nenhum integrante. Mas caiu na graça da galera e aí foi só correr para o abraço. Lazy, por exemplo, já é muito mais trabalhada e é um dos pontos fortes do álbum. Com a guitarra jazzy que flui do Blackmore e um help de Paice, Lord faz uma introdução muito inspirada deixando claro que todos na banda são capazes de comporem e tocarem com excelência. Só no meio da música Gillan dá o ar de sua graça. O álbum fecha com Space Truckin’, uma pancada nos ouvidos feita única e exclusivamente para Glover e Gillan poderem mandar ver, já que a letra é um nonsense só.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Também considero este trabalho um dos cinco melhores álbum de rock de todos os tempos.

Curiosidades:

Machine Head foi gravado no estúdio móvel dos Rolling Stones. Foi também onde o Led gravou Led Zeppelin IV (discoteca básica VII). Parece que o Imposto de Renda inglês era bem faminto e a melhor saída foi gravar num bom estúdio móvel... o do Rolling Stones devia ser o melhor na época.

Smoke on the Water tem uma história muito interessante... ela narra os incidentes ocorridos em 6 de dezembro quando Frank Zappa e sua banda se apresentavam no mesmo Casino que o Purple faria os shows. Gillan conta: "Nós fomos ao Casino para ver o show do Zappa, sentamos em cadeiras realmente legais na primeira fila. Antes do fim do show, que estava espetacular... um cara veio com um lança sinalizador e atirou no teto". Não deu outra: faíscas do sinalizador atingiram a rede elétrica e o fogo começou. Como a estrutura do Casino era quase toda de madeira, ardeu até o final. "Nós nos sentamos em um bar cerca de um quarto de milha do Casino... o vento vinha das montanhas e levava a fumaça e as chamas para cima, como se a fumaça formasse uma cortina sobre o lago". A imagem da fumaça negra sobre o lago de Genebra deu o título à musica... Smoke on the Water!!!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Com isso, ao banda ficou sem pico para gravar e acabaram no Grand Hotel, que estava vazio devido à estação de inverno. A grande ironia: eles gravaram um dos melhores trabalhos de rock de todos os tempos em corredores de um hotel vazio e o grande hit do álbum conta a história de um maluco incendiário que pôs fogo no lugar onde eles iam gravar o álbum...

Long Live Rock’n’Roll


Outras resenhas de Machine Head - Deep Purple

Resenha - Machine Head - Deep Purple

Resenha - Machine Head - Deep Purple

Resenha - Machine Head - Deep Purple

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp