Resenha - First US Visit - Beatles

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Sílvio Costa
Enviar correções  |  Ver Acessos


Há quarenta anos tinha início um fenômeno sem precedentes na história cultural do Ocidente. Pela primeira vez a música deixava de ser meramente entretenimento para se tornar um "evento". Algo capaz de paralisar a mais poderosa nação do planeta por alguns instantes, a ponto de impedir que crimes fossem registrados por um curto período. Estou falando do início oficial da beatlemania em território americano, ocorrida em fevereiro de 1964 e que agora é oferecida - sob forma de documentário - não apenas aos fãs do quarteto mais importante da história da música, mas a todos aqueles que desejam entender a massificação cultural da segunda metade do século XX. Antes que digam que eu estou exagerando, basta conferir as cenas iniciais desse documentário para que fique claro o poder da cultura pop. A chegada dos Beatles no aeroporto de Nova York - ocorrida no dia 7 de fevereiro - é um fato marcante na história norte-americana. Tão importante quanto aquele outro, ocorrido cerca de quatro meses antes em Dallas, quando um maluco deu alguns tiros no presidente mais carismático que aquele país já teve.

Veraneio Vascaína: Uma ácida crítica à polícia brasileiraFotos de Infância: Slash, do Guns N' Roses

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Não é apenas o histerismo das centenas de adolescentes que aguardavam a banda no aeroporto e, em seguida, os acompanhou em cortejo pelas ruas da cidade que prova a força do pop. Todo o hype em torno das apresentações dos rapazes britânicos no The Ed Sullivan Show e a apresentação bombástica na capital norte-americana são apenas pequenas amostras de tudo o que ainda estava por vir. Com cerca de 73 milhões de pessoas grudadas na TV para vê-los, os Beatles empunharam seus instrumentos pela primeira vez em solo americano no já citado programa de Ed Sullivan. Como de costume, a performance do grupo foi impecável e apresentou ao público norte-americano aquelas canções que eles já ouviam nas rádios à exaustão. Não apenas o público jovem estava ligado naquele som meio cru (para a época), mas que falava de bons sentimentos, de amor e de felicidade. O mundo que vivia uma onda de pessimismo, com a iminência de uma nova guerra no Oriente (depois da Coréia, cerca de dez anos antes) e os americanos estavam profundamente abalados com a morte de Kennedy e a política internacional linha dura assumida pelo seu sucessor - Lyndon Johnson. Tudo isso refletia na música e na forma como os americanos receberam aquele som alegre e cativante que estava sendo feito por jovens músicos que moravam do outro lado do Atlântico e que lentamente começavam a conquistar os charts norte-americanos.

A primeira aparição no programa de Sullivan contou com quatro músicas (All My Loving, 'Till There Was You, She Loves You e I Want to Hold Your Hand). Além destas, o DVD traz ainda a apresentação gravada em Miami, no dia 16 e um trecho do show realizado em Washington, no dia 11. O destaque evidente é a visceral apresentação na capital norte-americana, com centenas de jovens histéricas clamando pela banda, a ponto de tornar inaudíveis as canções.

Os irmãos Maysley (Albert e David) não desgrudaram de John, Paul, Ringo e George durante os quinze dias em que a banda permaneceu nos EUA (de 7 a 22 de fevereiro de 1964) o que contribui para tornar este DVD um dos melhores documentários sobre a banda já disponibilizados. A câmera os seguia o tempo todo. Eles se mostram sempre bem humorados, ligando espontaneamente para uma rádio nova-iorquina (a WINS 1010, com o disc-jóquei Murray the 'K') que seguidamente tocava suas canções intercaladas com outras, pedidas pelos próprios Beatles (Paul telefona especialmente para pedir "Pride and Joy", de Marvin Gaye, um dos seus ídolos), brincando com os fotógrafos e fazendo gracejos com o sempre sisudo Brian Epstein (o grande responsável pelo sucesso deles). Antes disso, na rápida entrevista coletiva concedida no aeroporto, a imprensa americana é brindada com o humor quase infantil daqueles jovens britânicos que estavam tomando o mundo de assalto.

Nesta primeira excursão, foram três apresentações no programa do Ed Sullivan (duas no dia 8, em Nova York e uma no dia 16, em Miami). O DVD mostra ainda o bombástico show realizado no dia 11 em Washington e é recheado de extras. Talvez hoje pareça estranho que uma banda como os Beatles tivessem que manusear seu próprio equipamento da forma como é mostrado no show de Washington, mas o fato é que estamos nos primórdios do rock e o profissionalismo só viria a ser coisa corriqueira graças aos esforços dos pioneiros.

Em se tratando de extras, o DVD não deixa quase nada a desejar. Uma entrevista emocionante e esclarecedora com Albert Maysles (seu irmão, David, faleceu em 1987) e farta quantidade de material disponibilizado para o grande público pela primeira vez fazem a alegria dos fãs do grupo. Além disso, imagens raras da banda no Washington Coliseum - dentre muitas outras pérolas escondidas - como é o caso da festa na casa do o embaixador britânico (mostradas pela primeira vez), contribuem bastante para tornar a experiência de acompanhar esse marco da história do rock e da música como um todo ainda mais fantástica. Vale cada centavo.

(Colaborou Fábio T. Borges - "The Jungle Man")




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Beatles"


Judas Priest: Os 10 discos que mudaram a vida de Rob HalfordJudas Priest
Os 10 discos que mudaram a vida de Rob Halford

John Lennon: assassino comenta o que o motivou a matarJohn Lennon
Assassino comenta o que o motivou a matar


Veraneio Vascaína: Uma ácida crítica à polícia brasileiraVeraneio Vascaína
Uma ácida crítica à polícia brasileira

Fotos de Infância: Slash, do Guns N' RosesFotos de Infância
Slash, do Guns N' Roses


Sobre Sílvio Costa

Formado em Direito e tentando novos caminhos agora no curso de História, Sílvio Costa é fanzineiro desde 1994. Começou a colaborar com o Whiplash postando reviews como usuário, mas com o tempo foi tomando gosto por escrever e espera um dia aprender como se faz isso. Já colaborou com algumas revistas e sites especializados em rock e heavy metal, mas tem o Whiplash no coração (sem demagogia, mas quem sabe assim o JPA me manda mais promos...). Amante de heavy metal há 15 anos, gosta de ser qualificado como eclético, mesmo que isto signifique ter que ouvir um pouco de Poison para diminuir o zumbido no ouvido depois de altas doses de metal extremo.

Mais matérias de Sílvio Costa no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336