Os tempos são outros: 10 sucessos que jamais seriam lançados hoje

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Bruce William, Fonte: A Journal of Musical Things
Enviar correções  |  Comentários  | 

A matéria a seguir foi adaptada de artigo de Alan Cross, publicado no A Journal of Musical Things, e trata de dez (onze, no caso) canções que fizeram muito sucesso no passado mas que dificilmente sequer seriam lançadas hoje em dia por ter conteúdo explícito ou, em alguns casos, dentro de contextos específicos mas com letras que levariam a equívocos caso interpretadas literalmente, pelo seu conteúdo considerado nos dias atuais como sendo racista, homofóbico ou misógino. Acesse este link para conferir o texto original em inglês.

5000 acessosMuito antes do Led Zeppelin: A origem da guitarra gêmea5000 acessosHeavy Metal: cinco discos necessários dos anos setenta

1 - "China Girl", de David Bowie (1983)

A expressão "little China Girl" hoje é considerada xenófoba e racista.

"My little China girl" / "You shouldn’t mess with me"/ "I’ll ruin everything you are" / "I’ll give you television" / "I’ll give you eyes of blue" / "I’ll give you man who wants to rule the world".

2 - "Half Breed", Cher (1973)

"Half breed" ("mestiço") é uma expressão considerada racista hoje em dia.

"My father married a pure Cherokee" / "My mother’s people were ashamed of me" / "The Indians said I was white by law" / "The White Man always called me 'Indian Squaw'" / "Half-breed, she’s no good they warned" / "Both sides were against me since the day I was born…" / "When you’re not welcome you don’t hang around" / "The other children always laughed at me 'Give her a feather, she’s a Cherokee'"

3 - "Island Girl", Elton John (1975)

A letra teria conotação racista pelos dias atuais, descrevendo uma mulher jamaicana que trabalha como prostituta.

"Island girl" / "What you wanting with the white man’s world?" / "Island girl" / "Black boy want you in his island world..." / "Well she’s black as coal, but she burn like a fire".

4 - "Short People", Randy Newman (1977)

Em um trecho, literalmente faz bullying com pessoas baixinhas, chegando a afirmar que elas não tem nem motivo pra viver.

"Short people got no reason" / "To live" / "They got little hands" / "And little eyes" / "And they walk around" / "Tellin’ great big lies" / "They got little noses" / "And tiny little teeth" / "They wear platform shoes" / "On their nasty little feet" / "Well, I don’t want no short people" / "Round here".

Mas depois ela se redime, dizendo que todos somos iguais. Porém, parece que muitas pessoas só ouvem a primeira parte, o que provavelmente aconteceria também hoje em dia.

"Short people are just the same" / "As you and I" / "It’s a wonderful world" / "All men are brothers" / "Until the day they die".

5 - "Money For Nothing", Dire Straits (1985)

A expressão "faggot" é considerada homofóbica hoje em dia, seria mais ou menos o equivalente a "bicha" num sentido totalmente pejorativo. A música chegou a ser banida de rádios canadenses, mas depois foi liberada.

"You play the guitar on the MTV" / "That ain’t workin’ that’s the way you do it" / "Money for nothin’ and your chicks for free" / "See the little faggot with the earring and the makeup" / "Yeah buddy that’s his own hair" / "That little faggot got his own jet airplane" / "That little faggot he’s a millionaire".

6 - "In the Summertime", Mungo Jerry (1970)

Este hit que vendeu 30 milhões de cópias em 1970 teria como objetivo enaltecer a liberdade do verão, mas a letra na prática incentiva o consumo de álcool e trata as mulheres como objeto sexual, principalmente se ela for de família pobre.

"Have a drink, have a drive" / "Go out and see what you can find" / "If her daddy’s rich take her out for a meal" / "If her daddy’s poor just do what you feel".

7 - "School's Out", Alice Cooper (1972)

Seria considerada no mínimo inapropriada em um mundo onde crianças e jovens invadem escolas e arrebentam tudo, sem contar aqueles que cometem chacinas disparando contra colegas, professores e se matando posteriormente.

"School’s out for summer" / "School’s out forever" / "School’s been blown to pieces".

8 - "Stranglehold", Ted Nugent (1975)

Na letra, explicitamente sexista e misógina, ele diz que vai estrangular e estapear a garota. Ted explicou posteriormente que se trata apenas de uma "figura de linguagem".

"Got you in a stranglehold, baby" / "You best get outta the way" / "And if a house gets in my way, baby" / "Ya know I’ll burn it down" / "I got you in a stranglehold, baby" / "You better trust your fate" / "I got you in a stranglehold, baby" / "That night I crushed your face".

9 - "Run for Your Life", The Beatles (1965)

A letra parece defender a violência contra mulheres - "prefiro te ver morta do que com outro homem".

"I’d rather see you dead, little girl" / "Than to be with another man".

10 - "Killing An Arab", The Cure (1980)

Imagine uma música hoje em dia com o título "Matando um árabe"? A letra é uma metáfora que usa trechos de "O Estrangeiro", de Albert Camus.

"Standing on the beach" / "With a gun in my hand" / "Staring at the sea" / "Staring at the sand" / "Staring down the barrel" / "At the Arab on the ground" / "I can see his open mouth" / "But I hear no sound" / "I’m alive" / "I’m dead" / "I’m the stranger" / "Killing an Arab".

bônus: "You're Sixteen", Ringo Starr (1973)

A música não é original de Ringo - ela é dos anos sessenta - mas foi regravada por ele em 1973, quando já estava com 33 anos de idade. Seria no mínimo visto com maus olhos um cara desta idade hoje em dia dizendo abertamente que "fez amor" com uma garota de 16, como pode ser visto no vídeo.

"You’re my baby, you’re my pet" / "We fell in love on the night we met" / "You touched my hand, my heart went pop" / "Ooh, when we kissed, i could not stop" / "You walked out of my dreams, into my arms" / "Now you’re my angel divine" / "You’re sixteen, you’re beautiful, and you’re mine".

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 12 de setembro de 2017

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias

InstrumentosInstrumentos
Muito antes do Led Zeppelin, a origem da guitarra gêmea

Heavy MetalHeavy Metal
Cinco discos necessários dos anos setenta

AngraAngra
Rafael Bittencourt solta desabafo sobre apresentação no Carnaval

5000 acessosVH1: 100 melhores músicas de hard rock de todos os tempos5000 acessosIron Maiden: sobre o que fala a música "Aces High"?5000 acessosIron Maiden: como soa a voz de Bruce Dickinson isolada?5000 acessosMetallica: Análise vocal de James Hetfield4919 acessosKiko Loureiro: O que acontece quando ele tenta tocar guitarra em casa?5000 acessosAC/DC: Angus Young, a saída de Cliff Williams e o futuro

Sobre Bruce William

Bruce William pensava em ser um motoqueiro rebelde mas descobriu que é um Wieder Blutbad nerd apaixonado por uma Fuchsbau. Avy jorrāelan, CatW!

Mais matérias de Bruce William no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online