Matérias Mais Lidas

Miranda: por que não faz sentido roqueiro criticar funk, segundo saudoso produtorMiranda
Por que não faz sentido roqueiro criticar funk, segundo saudoso produtor

Nightwish: Floor comenta saída de Marko e show interativo tocado em um banheiro verdeNightwish
Floor comenta saída de Marko e show interativo tocado em um "banheiro verde"

1983: 15 grandes álbuns lançados no ano que o mundo conheceu o Metallica e o Slayer1983
15 grandes álbuns lançados no ano que o mundo conheceu o Metallica e o Slayer

Há quem goste: As 10 bandas mais odiadas do universoHá quem goste
As 10 bandas mais odiadas do universo

David Coverdale: post em solidariedade ao Brasil após 500 mil mortes por Covid-19David Coverdale
Post em solidariedade ao Brasil após 500 mil mortes por Covid-19

João Gordo: ele diz não ser representante do metal e cita os verdadeirosJoão Gordo
Ele diz não ser representante do metal e cita os "verdadeiros"

K.K. Downing: De onde o Iron Maiden tira tanta energia?K.K. Downing
"De onde o Iron Maiden tira tanta energia?"

Rita Lee: internauta viraliza ao trazer Manu Gavassi como sua equivalência modernaRita Lee
Internauta viraliza ao trazer Manu Gavassi como sua equivalência moderna

Metallica: a palavra mais presente nas letras da banda é...Metallica
A palavra mais presente nas letras da banda é...

Saúde: mais de 60% dos músicos sofrem de problemas mentaisSaúde
Mais de 60% dos músicos sofrem de problemas mentais

Thrash metal: dez grandes álbuns do estilo que foram lançados em 1990Thrash metal
Dez grandes álbuns do estilo que foram lançados em 1990

Covers: nove versões inusitadas para clássicos da música pesada, em lista da KerrangCovers
Nove versões inusitadas para clássicos da música pesada, em lista da Kerrang

Darkthrone: Fenriz lista os 5 álbuns mais influentes do doom metalDarkthrone
Fenriz lista os 5 álbuns mais influentes do doom metal

DJ Ashba: ele ficou milionário com o Guns N' Roses, e conta o segredoDJ Ashba
Ele ficou milionário com o Guns N' Roses, e conta o segredo

Helloween: Comemorando três décadas de história em primeiro disco com nova formaçãoHelloween
Comemorando três décadas de história em primeiro disco com nova formação


Pentral
Arte Musical

Guns N' Roses: o sucesso que a mídia forjou e destruiu - Parte 4

Por Nacho Belgrande
Fonte: Playa Del Nacho
Em 22/11/13

Mais uma parte da transcrição traduzida do papo conduzido no começo desse ano entre os jornalistas MICHAEL BRANDVOLD e MITCH LAFON com o arquiteto da ascensão do GUNS N’ ROSES, o produtor e empresário inglês ALAN NIVEN.

Na postagem abaixo, Niven discorre mais sobre a primeira viagem do Guns N’ Roses para a Europa e a incessante queda de braço com a gravadora Geffen para que a banda se firmasse como acima da medíocre cena musical de sua época.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

[...]

Niven: O engraçado é que aquela nossa primeira viagem para a Inglaterra me incumbiu de muitas tarefas. A primeira foi a estratégia geral de… quer saber? Se você estourar nos EUA, você tem um território do tamanho de um continente, que você tem que coordenar com informação, energia e foco, pra que essa banda apareça e as pessoas prestem atenção nela. Se eu estou na minha velha e querida Inglaterra, é um pedacinho de terra que eu consigo atravessar de carro em cinco horas. É mais fácil de se inserir no foco em âmbito nacional, naquele país. Em segundo lugar, havia três jornais que saíam toda semana: o Melody Maker, o Sounds e o NME. E esses eram jornais impressos semanais… e a imprensa ali era muito, muito importante naquela época. E se você fizer com que a imprensa fale sobre você, você consegue sua cota de atenção naquele país, você tem as pessoas falando sobre você e te levando a sério, e te dando atenção, era uma coisa óbvia, ‘Vamos começar na Inglaterra, vamos tomar se assalto a Fleet street e vamos matar uns cachorros, ou dizer a eles que matamos. Vamos pro Marquee e dar uns shows a fuder, pra que os vagabundos fiquem falando nisso, e BOOM, agora temos a imprensa do Reino Unido do nosso lado’.

De repente, em Los Angeles, estão olhando para uma banda com reputação internacional…

Mitch: Certo.

Niven: ‘Eles deram certo na Inglaterra, então pode ser que deem certo aqui também’… ‘Se funciona tão bem assim na imprensa inglesa, é óbvio que vai dar certo aqui’. Outra coisa que rolou foi… em dezembro de… a última edição da [revista musical estadunidense] Music Connection… em 1986… tinha quatro bandas na capa: uma era o Guns N’ Roses e havia mais três. O que isso fez comigo? Deixou-me puto da cara! Tinha que ser só a minha banda na capa! O que essas três outras porras de banda estão fazendo aí? Isso me fez pensar, ‘Eu estou em uma quadrilha, e eu tenho que tomar a frente dela e eu tenho que ser o primeiro a chegar até os jornalistas, eu tenho que ser o primeiro a chegar ao Reino Unido, eu tenho que ser o primeiro a chegar à Alemanha, eu tenho que estar à frente do resto do grupo’. Porque nesse momento, a Music Connection, que é impressa em Los Angeles, está colocando essas quatro bandas na capa, isso quer dizer que no inconsciente coletivo das pessoas morando em Los Angeles, elas acham que há uma panelinha e que essas quatro bandas são a mesma coisa. E eu penso: há uma cena, mas a minha banda é infinitamente superior à porra das outras três. Por que caralhos estamos dividindo a capa?

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Foi por isso que fomos pra Inglaterra primeiro.

Mitch: Outra coisa que eu ia te perguntar, continuando com a terceira coisa que você fez que eu achei interessante, foi que nesse espaço de tempo, você aceitou sair em turnê com o Aerosmith. O Aerosmith estava entrando numa viagem re-glam, com baladinhas bonitinhas como ‘Angel’ e músicas como ‘Dude Looks Like A Lady’, eles pareciam ser o completo oposto do que o GN’R era… Então por que não sair tocando pelas casas noturnas, por que a turnê com o Aerosmith, que meio que misturava ‘os marginais de rua’ com ‘os galãs bonitinhos’?

Niven: Vamos falar cronologicamente… Você está falando da primeira turnê pelo Reino Unido que não aconteceu?

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Mitch: Não, eu me refiro a quando vocês voltaram para os EUA, por que vocês escolheram sair em turnê com… isso foi em oitenta e…

Niven: 1988, verão de 88.

Mitch: OK. O que aconteceu com a primeira turnê pelo Reino Unido que não aconteceu?

Niven: Obviamente, a estratégia era: ‘vamos lá, vamos fazer os três shows no Marquee, vamos fazer uns dois shows na Alemanha, e daí precisamos voltar’. Precisávamos de uma boa turnê para sair como banda de abertura. E o Aerosmith ia entrar no Reino Unido no momento perfeito, no momento de desenvolvimento… hm… e o que rolava na época era que você não podia confiar muito no Aerosmith para completar uma turnê europeia, seja lá por que razão fosse…

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Mitch: Certo.

Niven: Sabe lá deus que tipo contratempo eles tiveram…

[risos]

Quer dizer, no começo, a banda ficava perguntando, ‘cara a gente tem que tocar na Inglaterra? É só cerveja quente e mulher gelada. ’ E com o Aerosmith, tudo gira em torno de ‘mulheres geladas, cerveja quente e cadê a porra do meu traficante?’

[risos]

Mas enfim…

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Mitch: Mas quando você olha agora, o Aerosmith, nos EUA…

Niven: Pensando assim, de pronto, foi em outubro de 1987, era quando a gente deveria ter feito isso. E toda essa coisa com o Reino Unido foi absolutamente crítica para a estratégia que eu tinha de fazer a banda estourar, e a turnê com o Aerosmith deu com os burros n’água, e o empresário inglês, era um cara chamado John Jackson, eu e ele, eu ficava acordado até muito tarde da noite, e ele já estava de pé bem cedo pela manhã, e discutíamos essas coisas. E John disse brincando, em uma das conversas, ‘por que vocês não vem pra cá e saem em turnê como banda principal?’

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Eu pensei naquilo por um momento e respondi, ‘excelente ideia, John, por que não fazemos isso?’

E ele replicou: ‘Quer saber? Eu acho que pode ser viável’.

E eu, ‘Você está brincando’. E ele, ‘Olha, deixa pensar no assunto por 24 horas e eu te dou retorno’.

E daí John voltou e me disse, ‘Quer saber? Se vocês estiverem de fato preparados para correr um grande risco, poderíamos armar cinco shows. E há uma chance de termos êxito. ’

Lembrem-se de que a Warner Brothers não tinha conseguido vender nem cinco mil cópias naquela altura do campeonato. E ele está falando em sair em turnê por nós próprios. E quando ele voltou com os cinco shows armados, a quinta era no Hammersmith Odeon, que tem 3325 lugares, se não me falha a memória.

Então ele está me dizendo que podemos vender mais ingressos do que conseguimos vender discos. E claro, especialmente nas condições que tínhamos naquele tempo, tínhamos que ter uma ampla vendagem de discos para vender tantos ingressos assim.

E ele me diz, ‘Vocês venderam talvez uns 3 ou 4 mil discos, mas venham e toquem assim mesmo’.

E metemos a cara…

Mitch: Bastante arriscado…

Niven: Sim, mas como tudo, era calculado. E nos meus cálculos, eu não podia ir atrás da Warner Brother inglesa com aquele porra, que não representavam o que nossa base poderia vir a ser, ou deveria ser, e meu senso de fé e força na imprensa do Reino Unido era tamanho que, caso nós, por exemplo, pudéssemos plantar umas histórias bobas na imprensa, sabe, vamos fazer com que as pessoas apareçam. E também, pequenos detalhes, e eu tinha mais uma carta na manga: o pôster, com o crucifixo…

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Mitch/Michael: Certo…

Niven: Ficou DO CARALHO naquelas paredes na Inglaterra, em Nottingham e em Liverpool, onde eles os colaram por todo canto. Colocamos eles em todo canto. E aquilo chamava a atenção, você acabava olhando pra eles, eles ficaram do caralho.

Deu certo. Foi arriscado sim. Sua pergunta foi por que escolheríamos sair em turnê com o Aerosmith?

Mitch: Sim, nos EUA, porque, quero dizer, o Aerosmith tinha ressurgido, e estavam usando roupas vermelhas, e eles estavam ficando mais espalhafatosos visualmente…

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Michael: Você não está pulando um pedaço? Quer dizer, o GN’R tocou com o Alice Cooper antes disso, tocaram em locais menores, do tamanho de um teatro, produções menores… Eu me lembro de tê-los visto em um show em Rockford, Illinois, era o Guns N’ Roses, U.D.O. e Zodiac Mindwarp.

Niven: Sim…

Michael: Isso era o que estava acontecendo antes do Aerosmith nos EUA.

Mitch: Eu acho que estou falando da perspectiva canadense, porque pra mim, o Guns N’ Roses estava no [canal canadense dedicado somente a vídeos musicais] Much Music, e daí, logo em seguida, rolou uma turnê do Guns N’ Roses com o Aerosmith tocando do outro lado da fronteira, a duas horas de onde vivo, mas eu não me lembro de o Guns N’ Roses fazer nada antes disso – pelo menos não aqui. Mas eu posso estar errado…

Niven: Michael?

Michael: Sim?

Niven: Acho que acabamos de ter uma definição bastante eloquente de ‘inverno canadense’ descrita aqui…

Michael: Hehehehe

Niven: Hibernação!

Michael: Exatamente, hibernação, eles perderam dois anos…

Niven: Olha, só, o álbum foi lançado em janeiro de 1987 [nota do autor: na verdade, "Live! Like A Suicide" foi lançado em Dezembro de 1986, enquanto "Appetite For Destruction" em 21 de Julho de 1987], e ele perde tudo que rolou ao longo do inverno, e daí, de repente, na primavera de 1988, ele diz, ‘Porra, de onde saiu esse Guns N’ Roses?’

Mitch: Foi em julho, acho…

Michael: Em julho! Passou um ano inteiro!

Niven: Então, esse é o pobre Mitch, ele está enfiado na porra do iglu dele!

Você está debaixo do gelo!

Mitch: Eu tinha visto eles na TV, era demais…

Michael: Pobres de vocês canadenses, vocês perdem tudo, né?

Mitch: Na real, perdemos mesmo, as regras do rádio e da TV canadenses impedem isso.

Niven: Mas o que você ia dizer, Mitch?

Mitch: Eu ia dizer que tinha esse lance aqui chamado "CAN CON" [ele se refere às normas reguladoras da The Society for Canadian Content in Speculative Arts and Literature, que cria uma forte reserva de mercado para artistas originais canadenses e impede que artistas estrangeiros tenham maior destaque do que os nativos na mídia daquele país] algo com que eu tenho certeza que você se deparou por aqui com o Guns N’ Roses, sabe, nunca tivemos MTV aqui, eles não permitiam, e eventualmente tivemos que esperar pelo Much Music, que apareceu três anos depois… uma banda do tamanho do Ratt tocou no Toronto Maple Leaf Gardens uma vez e nunca mais fez nenhum outro show no Canadá, era desse jeito, quer dizer, o Canadá protegia sua cultura e sua comunidade, então, a menos que você fosse o Rolling Stones, ou o U2, ou o KISS e meio que pudesse cruzar essas fronteiras internacionais, então nós tínhamos o Gown, o Honeymoon Suite e o Brighton Rock, e só. Entende? E a Celine Dion cantando em francês… antes mesmo de ela conseguir estourar no…

Michael: Coitadinhos de vocês! Eu tenho lindas memórias, tô falando sério, de poder dizer que vi o Guns N’ Roses,num teatro pequeno, com o U.D.O. e o Zodiac Mindwarp.E a banda ainda saiu e fez um meet-and-greet com umas dez pessoas depois do show. Você era parte de algo… eu consegui ver essa coisa crescendo. Eu os vi abrindo para Alice Cooper.

Mitch: Wow. Eu os vi abrindo pro Aerosmith, como eu disse, e eu vi Axl dar um chilique e tentar bater em alguém na plateia, então… Eu estava bem ali, no chão onde rolou o rebuliço, foi ótimo. Alguém tacou uma garrafa no palco, ele pegou, tacou de volta e daí já viu, o pau tava comendo.

Michael: Então, Alan, vamos voltar para o que estava rolando na Geffen nessa época. Eles ainda não tem certeza do comprometimento deles com a banda, ou eles já haviam dito, ‘Quer saber? Vamos apoiar essa banda?’ Qual era sua relação com a Geffen à medida que isso começava a crescer?

Niven: Bem, você tem que considerar outro elemento… em junho de 1987, eu lancei um disco, e lancei outro quatro semanas depois. Ambos estavam programados para serem lançados no mesmo dia. E eu convenci Eddie Rosenblatt para me dar uma folga e permitir que eu conseguisse trabalhar um pouco em cima de um antes de ter que lidar com dois discos, dois discos de estreia, de bandas novas, ou novas por assim dizer, simultaneamente.

E a outra banda, por sorte, incendiou as rádios de AOR pra valer. Mas, para esfregar na cara da porra da Geffen, e a porra do Whitesnake deles, a minha banda seria quem comandaria as rádios de AOR naquele verão, Sempre ficávamos em segundo lugar, atrás do Whitesnake. E aquela banda ganhou disco de ouro em novembro, e quando você tem duas coisas… quer dizer, eu sou obrigado a poder lembrar de um tempo em que, no rock n’ roll, qualquer pessoa na gerência de um artista tinha o privilégio de viver a experiência de duas bandas estourando ao mesmo tempo, que é basicamente com o que eu estava lidando, com o que eu estava trabalhando, tentando fazer aquilo funcionar. E eu me lembro de receber um telefonema do cara que mandava na [agência] ICM, e agendamos, para novembro de 1987, uma turnê do Mötley Crüe, com o GN’R abrindo, e os primeiros meses do Whitesnake nos EUA, com abertura da outra banda, e esse cara me perguntou, ‘como você se sente tendo as duas bandas que mais crescem no país atualmente?’

E eu disse, ‘Não tão bem quanto ter as duas bandas principais da turnê, vamos trabalhar.’

Eu estava tentando manter minha mente equilibrada, e mesmo assim, havia uma sensação de energia, e um certo gosto de realização. Quando, em dezembro de 1987, Rosenblatt me levou pra almoçar, e sentou comigo e disse, ‘Você fez um excelente trabalho, garoto, nós somos muito agradecidos, mas achamos que você deveria tirar a banda da estrada e começar a prepará-la para um segundo álbum’, e eu estou recebendo essa instrução da Geffen em 1987, eu fiquei meio assustado, pra dizer o mínimo. [...]

Continua...


Guns N' Roses - o sucesso que a mídia forjou e destruiu

Guns N' Roses: o sucesso que a mídia forjou e destruiu - Parte 1Guns N' Roses
O sucesso que a mídia forjou e destruiu - Parte 1

Guns N' Roses: o sucesso que a mídia forjou e destruiu - Parte 2Guns N' Roses
O sucesso que a mídia forjou e destruiu - Parte 2

Guns N' Roses: o sucesso que a mídia forjou e destruiu - Parte 3Guns N' Roses
O sucesso que a mídia forjou e destruiu - Parte 3

Guns N' Roses: o sucesso que a mídia forjou e destruiu - Parte 5Guns N' Roses
O sucesso que a mídia forjou e destruiu - Parte 5

Guns N' Roses: o sucesso que a mídia forjou e destruiu - Parte 6Guns N' Roses
O sucesso que a mídia forjou e destruiu - Parte 6

Guns N' Roses: o sucesso que a mídia forjou e destruiu - Parte 7Guns N' Roses
O sucesso que a mídia forjou e destruiu - Parte 7

Guns N' Roses: o sucesso que a mídia forjou e destruiu - Parte 8Guns N' Roses
O sucesso que a mídia forjou e destruiu - Parte 8

Guns N' Roses: o sucesso que a mídia forjou e destruiu - Parte 9Guns N' Roses
O sucesso que a mídia forjou e destruiu - Parte 9

Todas as matérias sobre "Guns N' Roses - o sucesso que a mídia forjou e destruiu"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Guns N' Roses: banda do baterista Frank Ferrer lança lyric video She's All RightGuns N' Roses
Banda do baterista Frank Ferrer lança lyric video "She's All Right"

Rock e organização: músicas para deixar a faxina do final de semana mais animadaRock e organização
Músicas para deixar a faxina do final de semana mais animada

Covers: dez bandas de rock e metal que gravaram álbuns para homenagear seus ídolosCovers
Dez bandas de rock e metal que gravaram álbuns para homenagear seus ídolos

Guns N' Roses: quando a banda ajudou Ian Astbury, do The Cult, a fugir da políciaGuns N' Roses
Quando a banda ajudou Ian Astbury, do The Cult, a fugir da polícia

Lista: 15 músicas para quem vai passar o Dia dos Namorados sem companhia (mais uma vez)Lista
15 músicas para quem vai passar o Dia dos Namorados sem companhia (mais uma vez)

Slash: qual a banda favorita do guitarrista do Guns N' RosesSlash
Qual a banda favorita do guitarrista do Guns N' Roses

Spotify: quais os dez álbuns de rock mais ouvidos na plataforma? Confira rankingSpotify
Quais os dez álbuns de rock mais ouvidos na plataforma? Confira ranking

Guns N' Roses: quais músicas da banda nunca foram tocadas ao vivo? Confira listaGuns N' Roses
Quais músicas da banda nunca foram tocadas ao vivo? Confira lista

Repeat: músicos que tiveram mais de uma passagem pela mesma bandaRepeat
Músicos que tiveram mais de uma passagem pela mesma banda

Guns N' Roses: Banda anuncia shows remarcados da turnêGuns N' Roses
Banda anuncia shows remarcados da turnê

Mike Patton: vocalista nega que tenha feito o número 2 em caixa de suco de Axl RoseMike Patton
Vocalista nega que tenha feito o "número 2" em caixa de suco de Axl Rose

Guns N' Roses: Gilby Clarke diz que viveu um sonho enquanto foi membro da bandaGuns N' Roses
Gilby Clarke diz que viveu um sonho enquanto foi membro da banda

Suspect208: banda composta por filhos de Slash e Trujillo encerra suas atividadesSuspect208
Banda composta por filhos de Slash e Trujillo encerra suas atividades

Guns N' Roses: o nojento hábito de Slash durante antigas gravações da bandaGuns N' Roses
O nojento hábito de Slash durante antigas gravações da banda

Benjamin Back: para ele, Guns N' Roses é enganação e November Rain é horrorosaBenjamin Back
Para ele, Guns N' Roses é enganação e "November Rain" é horrorosa


Slash: ele pira com a série de games Forza MotorsportSlash
Ele pira com a série de games "Forza Motorsport"

Guns N' Roses: Sweet Child O'Mine cantada por elenco de Capitão FantásticoGuns N' Roses
"Sweet Child O'Mine" cantada por elenco de Capitão Fantástico

Gilby Clarke: Axl Rose foi quem te demitiu, certo?Gilby Clarke
"Axl Rose foi quem te demitiu, certo?"


Metallica: por que 9 entre 10 fãs odeiam Load e Reload?Metallica
Por que 9 entre 10 fãs odeiam "Load" e "Reload"?

Heavy Metal: O início do movimento e a origem do termoHeavy Metal
O início do movimento e a origem do termo


Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande.