W.A.S.P.: Lawless relembra o primeiro show da banda

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Willba Dissidente, Fonte: Site oficial da banda, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 


O texto a seguir foi postado no site oficial da banda W.A.S.P. pelo próprio Blackie Lawless e foi traduzido por Willba Dissidente.
451 acessosChris Holmes: ex-guitarrista do W.A.S.P. lança vídeo de "T.F.M.F."5000 acessosAxl Rose: sugerindo prática oral sexual a Paul Stanley

W.A.S.P. "30 anos de trovão" - Parte 01

Este é o primeiro episódio mensal de um total de quinze que fazem as crónicas dos reais eventos desta banda e lhe dão uma melhor percepção dos últimos trinta anos de história. Muito foi escrito ao longo dos anos, algumas verdades, outras não. Esses episódios mensais lhe darão um panorama redutor do que realmente aconteceu.

O Primeiro show do W.A.S.P.

Era começo de Junhho de 1982 quando eu encontrei novamente com Chris Holmes para começarmos a discutir trabalhar juntos novamente. Já fazia 04 anos que tocamos juntos numa banda chamada Sister*. Com o Sister aprendemos o tipo de Rock-Teatro que mais tarde faríamos nessa nova banda. Originalmente, não tinhamos a intenção de tocar ao vivo. Eu tinha escrito por volta de 10 músicas que nós só iriamos gravar e tentar com elas conseguir um contrato. Muitas dessas primeiras gravações eram de músicas que aproveitaríamos para nosso primeiro álbum. O problema era: nós não tivemos oferta de nenhum dos maiores selos (gravadoras). Todos eles nos recursaram. Então, após esperar impacientemente quase 2 meses por uma resposta (que nunca veio), nós decidimos tentar essas músicas ao vivo. Não sabíamos se elas (as canções) seriam aceitas pelo cansativo público de Los Angeles, mas achavamos que eram sons muitos bons. L.O.V.E. Machine, Hellion, Sleeping in the Fire, On Your Knees, essas eram músicas que NENHUMA GRAVADORA queria. Parece até piada agora!

Enfim, em nossa pressa de fazer algo acontecer nós decidimos tocar ao vivo, algo que dissemos que não faríamos. Primeiro, precisavamos de uma direção. Nós éramos: Chris, Tony Richards (bateria) e Don Costa (baixo). Don foi o último a entrar. Se nós fossemos tocar, nós não queríamos fazÊ-lo parados e estáticos. Queríamos nos divertir. Foi assim que a idéia do "show" surgiu.

Que fique registrado, o primeiro show foi em Agosto de 1982, mas eu ainda tocava guitarra. Don Costa era o baixista; ele era um músico /performer fantástico, uma verdadeira estrela. Don costumava fazer um número em que ele pregava um ralador de queijo nas costas do baixo. No meio do show ele começava a rodar o baixo, ralando a grade de metal nele mesmo. O sangue vinha circulando abaixo seus braços - era um verdadeiro espetáculo! Chris tinha o maior problema com isso. Não que o visual o incomodasse; era a idéia que Don parava de tocar o baixo para fazer isso. Na verdade, algumas vezes durante o show ele parava de tocar para fazer uma coisa ou outra. No dia seguinte Chris me deu um ultimato, ou ele ou Don deixariam a banda. Tentei por uma hora fazer Chris reconsiderar, mas ele nem quis saber. Como não iria deixar Chris, fUi eleito para irromper a notícia para Don. Foi dureza, já que eu havia cortejado ativamente tanto Don quanto Tony para largarem a banda Dante Fox e entrarem no W.A.S.P. Dante Fox eventualmente mudou seu nome para Great White.

Agora não tinhamos baixista! Eu conhecia Randy Piper de algumas bandas anteriores que tocamos juntos. Uma encarnação prévia, que qera Tony, Randy e eu, nunca decolou. Só faltava Holmes e nós sabíamos disso. Então eu chamei Randy para se juntar (novamente). Sentia que a química estava lá, só havia um problema - faltava um baixista. Randy cantava e eu precisava de uma voz para fazer todas aquelas harmonias comigo. Eu enviei cópia da (nossa) fita demo tanto para Ace Frehley como para o empresário aposentado do KISS, o falecido Bill Aucoin. Eles concordaram em vir a Los Angeles para assistir nosso primeiro show no Troubadour que rapidamente se aproximava. Tinhámos duas opções: encontrar um baixista e ensaiar com ele em três semanas e eu só cantaria OU eu tocaria o baixo. Os outros dois (membros da banda) nem discutiram a idéia deles tocarem baixo. Holmes disse "nós já temos quatro personalidades voláteis e não precisamos de um quinto cara para piorar". Então fui ao Guitar Center (na época só havia uma loja e era originalmente na Sunset Boulevard) para comprar aquilo que eu enventualmente iria me referir como o "o instrumento da ignorância". A descrição era injusta, mas demonstrava minha ansiedade e frustração perante aquele instrumento naquela época.

Nós fomos agendados para tocar dois shows no Troubadour. O primeiro era 21 de Setembro e na semana seguinte no dia 28. Ambos eram terça-feira às 20 horas. Considerando que o Troubadour era fechado às segundas-feiras, esse era a pior brecha no horário da semana. Houve 63 pessoas que vieram a esse primeiro show. Começos humildes!!

Mais mês que vêm!!
B.L.

* nota do tradutor: banda essa que teve como baixista Nikki Sixx do Mötley Crue.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 16 de dezembro de 2014

451 acessosChris Holmes: ex-guitarrista do W.A.S.P. lança vídeo de "T.F.M.F."600 acessosWASP: banda cancela shows para focar em novo disco526 acessosW.A.S.P.: "Crimson Idol" será relançado com filme inédito0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "W.A.S.P."

20072007
15 discos de rock/metal que completam 10 anos de lançamento

Anos 90Anos 90
Bandas de hard e metal que decepcionaram

O tempo é implacávelO tempo é implacável
A turma do rock/metal não sabe envelhecer?

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "W.A.S.P."

Axl RoseAxl Rose
Sugerindo prática oral sexual a Paul Stanley

LuxúriaLuxúria
Uma lista de alguns dos clipes mais sexys da história

Corey TaylorCorey Taylor
"Não comprem a playboy da Lindsay Lohan"

5000 acessosRush: Um Adeus Aos Reis5000 acessosAs histórias por trás de 11 capas clássicas5000 acessosRock e metal: o outro lado das capas de discos5000 acessosMetallica: Em fotos, a evolução de James Hetfield5000 acessosMachine Head: frontman fala sobre depressão em blog5000 acessosMetallica: Ultimate Classic Rock elege as 10 piores músicas

Sobre Willba Dissidente

Willba Dissidente é fã das bandas de hard rock dos anos 70 e 80 e de metal oitentista dos mais variados países. Quem quiser saber mais deve acessar seu canal no youtube. Obrigado! Stay Hard (True As Steel)!

Mais matérias de Willba Dissidente no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online