Preconceito: dificuldades de ser roqueiro em cidade do interior

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Samuel Coutinho, Fonte: Metal da Ilha
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Alguém com o mínimo de consciência sabe que estamos passando por um momento delicado na cultura deste país. Mas antes que comecem a me atacar com frases do tipo: "Ah, então o que você está fazendo aqui, vai embora para outro país", antes de pensar em dizer isso, meça a sua hipocrisia antes OK? Mas tudo bem, a laranja ainda não está totalmente podre, visto que ainda temos um pouco de fôlego que nos sustenta nessa caminhada. Mas é difícil. Gostar de rock ou metal no país do carnaval, não é algo tão martirizado assim. Mas quem sofre de verdade é quem mora em cidades pequenas.

Metallica: Lars Ulrich pede bênção ao papa em encontro casualBaixistas: Os 10 melhores do rock e do metal segundo o Watchmojo

Vivemos em um país muito grande para pouca cultura, hoje vivenciamos a pobreza e a podridão que se passa em nossa música. Infelizmente temos que engolir tudo o que aparece, nos obrigando a aceitar o gosto da 'maioria'. Mas como um país conhecido pelo samba e MPB consegue chegar ao ponto de adotar o sertanejo universitário e o funk como principais gêneros? Não estou aqui para gerar guerrinhas entre roqueiros e funkeiros, e sim focar o preconceito que uma pessoa que simplesmente gosta de rock ou metal passa na sociedade.

Cidades grandes são menos propensas à isso, pois tem uma certa variedade e igualdade nos gostos musicais, mas e quem vive no interior? Infelizmente, em uma cidade do interior (como a minha) o simples fato de você gostar de rock, independentemente do seu estilo de se vestir ou qualquer outra forma que deixe evidente que você é um roqueiro, te faz sentir como um 'patinho feio'. Claro que apesar de você se sentir um excluído, um ignorado, um maluco ou um fora de moda (sim, por aqui as pessoas te rotulam desse jeito mesmo), sua consciência falará mais alto e te dirá que nem tudo está perdido, mesmo se você morar em um 'fim de mundo', onde as pessoas ainda pensam que rock é do diabo e música de maloqueiro.

Isso é preocupante. Se formos parar para pensar, por um milésimo de segundo que seja, poderemos perceber o alto grau de ignorância e idiotice dessas pessoas, transformando este tipo de gente em sujeitos estúpidos, caipiras além de preconceituosos. A maioria dessas pessoas associam suas vidas com o que há de pior na cultura deste país, a cultura da 'bunda'. Sem mais, este é o fator principal desse povo que prefere a degradação da imagem ao invés de realmente gostarem de um gênero musical. Nisso tudo, nós os roqueiros, somos vistos como pessoa diferentes, de péssimo convívio social, e vítimas de discriminação.

Na maioria dos casos, este preconceito acaba gerando um afastamento das pessoas que não aceitam seu gosto musical, isso é natural. Mas porque essas pessoas não te aceitam assim? Simplesmente pela ignorância delas! Isso é fato. Abaixo citarei alguns exemplos tirados de experiências próprias, através do convívio com os tipo de pessoas que mais tem por aqui - sertanejos e funkeiros. Somos sempre questionados pelo porque de gostarmos de rock, recebendo as mais variadas perguntas. Perguntas tão ignorantes que nos fazem pensar, "será que eu estou lidando com uma pessoa?"

Exemplos do tipo: "Você só ouve rock?", "Rock é coisa do capeta!", "Aff, não me entra na cabeça gente que gosta de rock!", "Porque essas bandas só cantam em inglês?", "Você nem entende o que eles falam, devem estar xingando sua mãe e você não sabe!", "Vixi, você gosta desse barulho?", "Ah, você curte aquelas músicas em que os caras só ficam gritando!".

Essas são algumas das perguntinhas clássicas que estou acostumado a ouvir por aqui. Mas quando tentamos dar uma resposta concreta para qualquer uma dessas perguntas de forma respeitosa, essas pessoas ainda ficam sem entender. A realidade é esta, pessoas de classes mais baixas e sem estudos são muito mais vulneráveis a este tipo de conduta. Por mais que você tente responder qualquer uma dessas perguntas elas ainda ficarão sem entender e ainda assim VOCÊ que se passará por maluco.

Fica difícil de entender como que alguém tem as condições de perguntar se você entende o que um vocalista está cantando, só porque a letra está em inglês. O Brasil é o único país do mundo? As pessoas me criticam se eu entendo ou não o que banda X ou Y está cantando nas letras, mas eu sou obrigado a saber o que significa "Arrocha", "Tchu, Tcha", "Lepo, Lepo", etc!

Imagem

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 14 de dezembro de 2014
Post de 15 de dezembro de 2014
Post de 16 de dezembro de 2014
Post de 06 de julho de 2016
Post de 14 de março de 2017

Todas as matérias da seção Opiniões

Metallica
Lars Ulrich pede bênção ao papa em encontro casual

Baixistas
Os 10 melhores do rock e do metal segundo o Watchmojo

Slipknot
Corey Taylor mostra nova máscara em detalhes na TV

Metallica: Dave Mustaine resenha o "Hardwired... To Self-Destruct"Matt Sorum: músico se posiciona contra James HetfieldAquiles Priester: os álbuns que marcaram o bateristaEpica: assista Simone dançando o hit "Ai Se Eu Te Pego"Halestorm: "Gene Simmons está mal informado", diz Lzzy HaleBlack Sabbath: "Paranoid" em versão Jazz

Sobre Samuel Coutinho

Nascido no interior de SP no dia 15/12/1986, em uma cidade chamada Ilha Solteira, Samuel Coutinho se entregou ao heavy metal logo na adolescência. Seu forte sempre foi o heavy metal melódico, variando desde o prog-metal até ao power-metal.

Mais matérias de Samuel Coutinho no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online