Dew-Scented: Thrash, com pitadas agradabilíssimas de Death

Resenha - Impact - Dew-Scented

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Alexandre Fernandes
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Alemanha, país que viu nascer o terror do Nazismo; uma nação que quase ruiu ao fim de dois confrontos mundiais; um povo dividido por um muro, que mais do que uma separação geográfica, deu à Europa, e ao mundo, uma noção do espaçamento ideológico que permeava as mentes da época, fossem as capitalistas, fossem as socialistas. E só para citar mais um exemplo de violência, é de lá também o Dew-Scented.
MetalSucks: As 25 maiores bandas de metal da históriaPantera: "Phil Anselmo é um canalha", diz ex de Dimebag

Vindos do berço Thrash da Europa (o que dizer da tríade teutônica composta por Destruction, Sodom e Kreator?), este quinteto, em 2003, lançava seu 5º full length, este “Impact”, mais um álbum a seguir a mística da banda em lançar CDs iniciados com a letra I. E olha, vou lhes avisar de algo: o impacto realmente é grande, e causará em você mais estragos do que este trocadilho infame.

Aumente o volume, ouça “Acts Of Rage”, a faixa de abertura, e tente não banguear: é um teste do qual com certeza você não passará. Ótimas palhetadas, melodias certeiras e velozes, uma cozinha pesada e destruidora, e vocais berrados e raivosos – que em um primeiro momento não agradam, mas depois da segunda ou terceira audição deixam de ser um problema. Junte tudo isso, e você tem esta bolachinha de 43 minutos de Thrash, com pitadas agradabilíssimas de Death Metal, muito pesado e agressivo.

Vale a pena ficar ligado nos ótimos riffs: “Destination Hell”, “Soul Poison”, “Agony Designed” (a minha favorita, que quebradeira!), “Slaughtervain”, só pra citar algumas faixas. E ainda temos aqui alguns bons solos, uma bateria que senão é muito técnica e variada, compensa em violência e velocidade, e um baixo que...bem...é bem baixo mesmo.

A produção é interessante, e cumpre muito bem a proposta moderna e agressiva da banda. Ficam devendo só mesmo na questão de variedade: não há qualquer concessão, só há espaço para a violência e velocidade, que dão lugar a uma cadência e groove por uma vez ou outra. Talvez, essa linearidade – nas composições de estrutura simples e até manjada – torne a audição cansativa para alguns. Não para mim.

Se você procura um pouco de violência alemã, e não quer ver nenhum bigode pela frente, confira este clássico do Thrash Metal moderno. Paulada na orelha!

Dew-Scented
Impact
2003

Tracklist:
01 – Acts Of Rage
02 – New Found Pain
03 – Destination Hell
04 – Soul Poison
05 – Cities Of Dead
06 – Down By Neck
07 – One By One
08 – Agony Designed
09 – Slaughtervein
10 – Flesh Roborn
11 – 18 Hours

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Impact - Dew-Scented

Resenha - Impact - Dew-ScentedResenha - Impact - Dew-ScentedResenha - Impact - Dew-Scented

Todas as matérias e notícias sobre "Dew-Scented"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 21 de maio de 2012

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Dew-Scented"

MetalSucks
As 25 maiores bandas de metal da história

Phil Anselmo
Críticas mais fortes de ex-namorada de Dimebag

Collectors Room
A coleção de Luiz Calanca, "SP Metal" e mais

Chico Anísio: um bom disco de rock nacionalRoda de Pogo - A Dança PunkMonsters of Rock: o que o festival nos ensina sobre preconceitoDave Lombardo: tentou entrar no Megadeth em 1986 mas os caras estavam chapadosGuns N' Roses: sem integrantes legítimos, uma banda tipo MenudoMegadeth: tocar com Kiko e Adler é como um grupo de 4 rockstars

Sobre Alexandre Fernandes

De cabeça no mundo do rock há 7 anos, este jovem funcionário público, estudante de Comunicação Social (Jornalismo), busca contribuir à sua maneira com algo que gosta, resenhando, fazendo matérias e reportagens sobre o mundo da música pesada em geral. Fã de Death Metal/Grindcore à Metal Alternativo, não se priva de nada por causa de rótulos. Assim tem sido por esses 25 anos.

Mais matérias de Alexandre Fernandes no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online