Quireboys: na festa de 18 anos do Manifesto Rock Bar

Resenha - Quireboys (Manifesto Bar, São Paulo, 08/12/2012)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Otávio Augusto Juliano
Enviar Correções  

Geralmente quando se atinge a maioridade, a comemoração desse aniversário tão especial deve ser feita em grande estilo. Completando 18 anos de existência nesse mês de dezembro de 2012, o Manifesto Bar fez exatamente isso: trouxe para a sua festa a atração internacional THE QUIREBOYS, grupo de Hard Rock inglês que veio ao Brasil pela segunda vez.

publicidade

O THE QUIREBOYS alcançou sucesso já no começo de carreira, com o primeiro álbum, "A Bit of What You Fancy", lançamento que emplacou muitos dos hits que são tocados nos shows da banda até hoje.

publicidade

Apesar de ser uma banda que surgiu na década de 80, o grupo acabou por ir além do Hard Rock praticado na época, produzindo um som calcado nos anos 70, tendo raízes no Rock clássico e Blues, quase que como se fosse uma fusão de ROLLING STONES e CINDERELLA.

publicidade

Para a noite de sábado no Manifesto Bar, a banda reservou uma boa dose de agitação e canções do mais puro Rock n’ Roll, no melhor sentido que este termo pode ter. Metade do repertório escolhido foi baseado no primeiro disco da banda e apenas uma ou duas canções foram tiradas dos demais álbuns do grupo.

publicidade

Eu não tinha assistido o THE QUIREBOYS ao vivo em 2010 e, ao menos para mim, foi tudo novidade. E das boas. Performático, o vocalista Spike é incansável no palco e cheio de trejeitos e caretas, estando sua voz rouca em perfeita sintonia com a musicalidade da banda.

publicidade

Ao vivo o grupo se mostrou muito coeso e contou com o ótimo ajuste de som da casa, pois se ouvia bem todos os instrumentos. O teclado, que por vezes acaba ofuscado pelo trio "guitarra, baixo e bateria", dessa vez se mostrou muito presente, como se viu (e ouviu) em "White Trash Blues" e "There She Goes Again", só para citar alguns exemplos.

publicidade

Em "7 O'Clock", um dos maiores hits do grupo, Spike tocou gaita e pôde ver o público presente cantar junto. Sorriu, dançou, pediu palmas e ainda brincou que seu time de futebol, o Newcastle United, é o melhor do mundo (N. do Redator: apesar de ter surgido em Londres e ser conhecida nos Estados Unidos como THE LONDON QUIREBOYS, a banda e o vocalista tem fortes raízes com a cidade de Newcastle).

publicidade

Para o bis, a banda tocou a baladinha "I Don´t Love You Anymore" e "I Love This Dirty Town", esta dedicada à cidade de São Paulo. De acordo com o set list oficial, o show deveria ter terminado assim. Mas os músicos presentearam os fãs com uma canção mais: "Sex Party" foi a "cereja do bolo" de aniversário do Manifesto Bar.

Um dos grandes shows do ano de 2012. Parabéns ao Manifesto Bar pelos 18 anos! E pela excelente escolha do THE QUIREBOYS para animar a festa!

Como diz o título de uma das composições da banda, "isto é Rock n’ Roll".

Agradecimentos ao Manifesto Bar (Silvano) pela atenção e credenciamento.

Banda:
Spike (vocal)
Guy Griffin (guitarra e backing vocals)
Keith Weir (teclado e backing vocals)
Paul Guerin (guitarra)
Matt Goom (bateria)
Dave Boyce (baixo)

Set List:
Tramps And Thieves
There She Goes Again
Misled
Too Much Of A Good Thing
Roses & Rings
White Trash Blues
Whippin' Boy
Lorraine Lorraine
Mona Lisa Smiled
This Is Rock n’ Roll
Hey You
Mother Mary
Sweet Mary Ann
7 O'Clock

Bis:
I Don´t Love You Anymore
I Love This Dirty Town
Sex Party

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Slipknot: Joey Jordison diz que foi demitido por telegrama cantadoSlipknot
Joey Jordison diz que foi demitido por telegrama cantado

Top 500: as melhores músicas de todos os tempos segundo a Rolling StoneTop 500
As melhores músicas de todos os tempos segundo a Rolling Stone


Sobre Otávio Augusto Juliano

Otávio é paulistano, tem 29 anos e faz algo nada a ver com o Rock: é advogado. Por gostar muito de música e não possuir talento algum para tocar instrumentos musicais, tornou-se um comprador compulsivo de cds. Sempre interessado em leitura ligada ao Rock e Metal, começou a enviar algumas pequenas colaborações para a Whiplash e hoje contribui principalmente com textos relacionados ao Hard Rock, estilo musical de sua preferência. De qualquer forma, é eclético e não dispensa álbuns de todas as demais vertentes do Metal, sendo fã incondicional de W.A.S.P., Mötley Crüe e dos trabalhos do guitarrista Steve Stevens.

Mais matérias de Otávio Augusto Juliano no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin