Matérias Mais Lidas


Summer Breeze 2024

Helloween & Stratovarius: noite inesquecível em São Paulo

Resenha - Helloween e Stratovarius (Credicard Hall, São Paulo, 06/05/2011)

Por Renato Rossini
Postado em 07 de maio de 2011

A expectativa era enorme, afinal duas grandes bandas de heavy metal se apresentariam na mesma noite, coisa não muito comum por aqui. E tudo parecia que ia tornar aquela noite uma noite inesquecível.

Por volta das 17h já havia movimentação de fãs e formação das filas, nada muito grande ainda, pois a casa abriria apenas às 20h. O clima era de ansiedade e uma noite agradavél recepcionava os fãs que chegavam em cada vez mais número. O único ponto negativo da longa espera foram as pessoas que furavam fila a todo momento e seguranças que diziam que nada podiam fazer, uma tristeza para aqueles que estavam a horas esperando.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 1

Mas rigorosamente as 20h a casa abriu e também rigorosamente as 22h sobe ao palco os filandeses do STRATOVARIUS. Com um produção simples, afinal eram "apenas" a banda de abertura, começaram com a excelente "Infernal Maze" do último álbum "Elysium". O público agitou pra valer e Timo Kotipelto e cia mostravam-se muito felizes e agitavam com o público o tempo todo.

Com um set mais curto, de 1h, o Stratovarius privilegiou os grandes clássicos da banda e pôs o Credicard Hall abaixo com "Paradise", "Speed of Light", "The Kiss of Judas", "Darkest Hour", "Hunting High and Low", e para fechar uma noite perfeita a clássica "Black Diamond".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 2

Se havia alguma dúvida do que o STRATOVARIUS seria capaz sem seu criador, Timo Tolki, creio que o show da noite passada acabou com ela. Uma banda coesa, em excelente forma foi o que o STRATOVARIUS mostrou. Mas acalme-se, essa foi apenas a primeira parte de uma noite memorável.

Logo ao fim do show do STRATOVARIUS muita movimentação no palco e na pista. No palco roadies e produtores ajustavam tudo para o show principal, dos alemães do HELLOWEEN. Na pista a situação próxima à grade ficava cada vez pior, muito empurra empurra, crianças na grade e seguranças discutindo, a coisa começava a ficar quente, mas não deu muito tempo e as 23:40 as luzes se apagam e uma explosão de vozes acontece no Credicard Hall.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 3

Abrindo com "Are You Metal" os alemães mostraram para o que vieram. Muita energia, uma produção de palco estupenda, com direito a uma bateria de 4 bumbos do baterista Dani Loeble, muitas luzes em LED, afinal eles são o HELLOWEEN.

E sem tempo de respirar a banda emendou a clássica "Eagle Fy Free", cantada tão alto pela platéia que mal era possível ouvir os vocais de Andi Deris. O set tocado pela banda aqui foi o mesmo das duas outras apresentações no Brasil.

Alguns dos altos momentos do show foram a balada Forever and One (Neverland) tocada nos violões por Sascha Gerstner e Andi Deris, na qual o público cantou do começo ao fim. O medley de Keeper of the Seven Keys/The King for a 1000 Years/Halloween foi avassalador. Com uma sincronia perfeita entre as músicas a banda pode mostrar uma música de cada um dos três álbuns "The Keepers of The Seven Keys".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 4

Com um tremenda animação Andi Deris conversava o tempo todo com o público, arriscava várias palavras em espanhol, contou diversas histórias, fez brincadeiras e como ele mesmo disse "adorava estar retornando para sua casa, o Brasil". Os demais integrantes também agitaram o tempo todo, até mesmo Weikath com seu jeitão sério parecia se divertir muito.

A banda ainda voltou para 2 'bis'. No primeiro "Ride the Sky" e "Future World", onde essa última novamente era quase impossível ouvir Andi, tamanha a vontade com que os fão cantavam.

Na última música da noite, "Dr. Stein", uma grande supresa aconteceu. Várias pessoas que foram na platéia vestidas de Dr. Stein subiram ao palco para cantar com a banda. Até mesmo o baixista do STRATOVARIUS, Lauri Porra arrumou o seu jaleco e foi lá. Alegria geral, a banda se divertindo como nunca. uma idéia genial para coroar um show difícil de discrever em palavras.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 5

Uma noite para se lembrar por muitos anos, não apenas para o público, tenho certeza que para HELLOWEEN e STRATOVARIUS esse 06 de maio ficará por muito tempo em suas memórias.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Alter Bridge: show prova que podem carregar a bandeira do Rock


publicidadeAdriano Lourenço Barbosa | Airton Lopes | Alexandre Faria Abelleira | Alexandre Sampaio | André Frederico | Ary César Coelho Luz Silva | Assuires Vieira da Silva Junior | Bergrock Ferreira | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Alexandre da Silva Neto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cláudia Falci | Danilo Melo | Dymm Productions and Management | Efrem Maranhao Filho | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Fabio Henrique Lopes Collet e Silva | Filipe Matzembacker | Flávio dos Santos Cardoso | Frederico Holanda | Gabriel Fenili | George Morcerf | Henrique Haag Ribacki | Jesse Alves da Silva | João Alexandre Dantas | João Orlando Arantes Santana | Jorge Alexandre Nogueira Santos | José Patrick de Souza | Juvenal G. Junior | Leonardo Felipe Amorim | Luan Lima | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Marcus Vieira | Maurício Gioachini | Mauricio Nuno Santos | Odair de Abreu Lima | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Ricardo Cunha | Richard Malheiros | Sergio Luis Anaga | Silvia Gomes de Lima | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Victor Adriel | Victor Jose Camara | Vinicius Valter de Lemos | Walter Armellei Junior | Williams Ricardo Almeida de Oliveira | Yria Freitas Tandel |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Renato Rossini

Renato Rossini, nascido em 27/09/1984 em São Caetano do Sul. Formado em Relações Internacionais, mas trabalha com informática (?!?!). Ouve heavy metal desde os 8 ou 9 anos. Começou com os clássicos, Metallica, Iron Maiden, Black Sabbath, mas hoje em dia ouve de tudo quando o assunto é metal. Pra variar tem uma banda, onde toca bateria.
Mais matérias de Renato Rossini.

 
 
 
 

RECEBA NOVIDADES SOBRE
ROCK E HEAVY METAL
NO WHATSAPP
ANUNCIAR NESTE SITE COM
MAIS DE 4 MILHÕES DE
VIEWS POR MÊS