Children Of The Beast: Como foi o "esquenta" para o Maiden

Resenha - Children Of The Beast (Manifesto, São Paulo, 25/03/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Gigi Pinheiro
Enviar correções  |  Ver Acessos

Sempre que o Iron Maiden vem ao Brasil é comum os fãs organizarem eventos conhecidos como "esquentas" para o show de seus ídolos. Na última sexta-feira dia 25/03 na cidade de São Paulo, a banda CHILDREN OF THE BEAST - tributo oficial latino-americano da Donzela de Ferro - foi a atração no "esquenta" realizado no Manifeto Rock Bar, o bar de rock mais tradicional da capital paulista.

Kiko Loureiro: ele intimidou Chris Adler quando mostrou CD soloTom Grosset: O mais rápido baterista do mundo segundo o Guinness

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Já por volta das 22h a fila dobrava o quarteirão, resultado da divulgação que prometia participações especiais de Aquiles Priester (Hangar, ex-Angra), Bruno Sutter (Massacration) e Edu Falaschi (Angra), repertório com muito material dos álbuns clássicos "Somewhere In Time" e "Seventh Son Of A Seventh Son" com a participação do tecladista Daniel dos Santos (Angra, Scenes From A Dream), além de sorteios e novo cenário de palco. Era esperada também a presença de integrantes do próprio Iron Maiden, já que na noite anterior os mesmos foram convidados pelos próprios integrantes da Children.

Com o Manifesto já lotado, os P.A.s começaram a tocar "Doctor, Doctor" do UFO, música que é costumeiramente executada nos shows do Iron. Foi então por volta de meia-noite e meia que a banda entrou ao palco com "Aces High" e "2 Minutes To Midnight". Mesmo com a casa cheia, muitos ainda aguardavam na fila do lado de fora. Segundo o Manifesto, mais de 700 pessoas passaram por lá. Havia muitas pessoas de outras cidades e estados brasileiros que aproveitaram a vinda para o show no Morumbi. Até estrangeiros marcaram presença.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Já era possível ver o novo cenário anunciado pela banda. Um backdrop enorme com o Eddie da turnê Somewhere Back In Time foi revelado, além de "paredes" laterais "egípcias" a frente dos amplificadores. Vale comentar a bateria gigante de Eric Claros, que o mesmo comenta ter seguido a risca todos os detalhes para ficar igual a de Nicko McBrain. Seguindo com o show, "Wasted Years", "Comming Home", "Hallowed Be Thy Name", "Dance Of Death" e "Rainmaker" já mostravam porque o tributo oficial latino-americano é reconhecido como tal. Se não bastasse o instrumental muito parecido com os que escutamos nos CDs do Maiden, o vocalista Sérgio Faga soa simplesmente idêntico ao Bruce Dickinson.

"Blood Brothers" veio e destacando o trabalho do excelente tecladista convidado Daniel dos Santos que foi apresentado sob a máscara de Eddie. "The Trooper" - com direito a roupa de soldado e bandeira da Grã-Bretanha a La Bruce, "Stranger In A Strange Land", "Deja Vu", "Powerslave" e "Heaven Can Wait" continuaram com o show, com destaque às duas últimas onde tiveram participação do enorme mascote Eddie em versão múmia deixando os presentes boquiabertos e a participação do próprio público subindo ao palco para o coro da faixa 4 do disco "Somewhere In Time". Foi então anunciada a primeira participação especial da noite, o baterista Aquiles Priester, reconhecido mundialmente como um dos melhores do gênero. "Loneliness Of A Long Distance Runner" e "The Number Of The Beast" fecharam então o primeiro bloco sob aplausos da galera.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Não só a troca de figurino era freqüente por parte de Faga, a banda mudou o cenário durante o intervalo para a execução de 5 faixas do álbum "Seventh Son Of A Seventh Son" no segundo bloco. A capa do álbum foi o tema do backdrop fazendo com que os fãs sentissem como se estivessem no show do próprio Iron Maiden. Foi então que na mesma sequência a banda executou com maestria "Moonchild", "Infinite Dreams" e a épica faixa-título - de maneira muito fiel à original - músicas que o Iron não toca há anos.

Mais participações especiais, eis então que os irmãos Edu e Tito Falaschi sobem ao palco para "The Evil That Men Do", "Can I Play With Madness" e "Flight Of Icarus". Os dois excelentes músicos mantiveram o alto nível do show deixando transparecer o clima de camaradagem na homenagem ao Iron. Foi então que o ar de descontração total veio a tona com a participação de Bruno Sutter, o Detonator da banda Massacration. O entrosamento entre ele e a banda era imenso - valendo mencionar que Bruno foi o vocalista da Children nas apresentações do Motorcycle Rock Cruise - então fizeram juntos "Wrathchild", "Purgatory", "Phantom Of The Opera" e "Bring your Daughter To The Slaughter" deixando os presentes mais que satisfeitos. Para encerrar os clássicos "Fear Of The Dark", "Iron Maiden" e "Run To The Hills" que não poderiam faltar - apesar de o Iron Maiden não estar tocando esta última na tour atual.

Através deste show foi possível entender porque a CHILDREN OF THE BEAST é considerada o tributo oficial do Iron no Brasil e América Latina. A banda consegue não só fazer uma homenagem em alto nível com muito profissionalismo com cenários, roupas e som, mas também trazendo a energia do show da Donzela. Depois de mais de 3 horas de apresentação, houve quem dissesse que estar no show da Children é até mais divertido que no show do original, já que surpresas no set list o segundo nunca tem. Mas, alguns se perguntavam, e os integrantes do Iron? Segundo consta no website oficial da banda tributo eles foram convidados oficialmente e confirmaram através de fotos. Se foram ninguém viu, mas viram sim uma excelente performance de uma excelente banda tributo.

Set-list
1) Aces High
2) 2 Minutes to Midnight
3) Wasted Years
4) Coming Home
5) Hallowed Be Thy Name
6) Dance of Death
7) Rainmaker
8) Blood Brothers
9) The Trooper
10) Stranger in a Strange Land
11) Deja Vu
12) Powerslave
13) Heaven Can Wait
14) The Loneliness of the Long Distance Runner (com Aquiles Priester)
15) The Number of the Beast (com Aquiles Priester)

INTERVALO

16) Moonchild
17) Infinite Dreams
18) Seventh Son of a Seventh Son
19) The Evil That Men Do (com Edu e Tito Falaschi)
20) Can I Play With Madness (com Edu e Tito Falaschi)
21) Flight of Icarus (com Edu e Tito Falaschi)
22) Wrathchild (com Bruno Sutter)
23) Purgatory (com Bruno Sutter)
24) Phantom of the Opera (com Bruno Sutter)
25) Bring Your Daughter (com Bruno Sutter)
26) Fear of the Dark
27) Iron Maiden
28) Run to the Hills




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Children Of The Beast"Todas as matérias sobre "Iron Maiden"Todas as matérias sobre "Angra"Todas as matérias sobre "Hangar"Todas as matérias sobre "Massacration"


Iron Maiden: pressão ao fazer The Number of the Beast foi forte, diz Steve HarrisIron Maiden
Pressão ao fazer "The Number of the Beast" foi forte, diz Steve Harris

Iron Maiden: o que Steve Harris faria na vida se a banda não desse certo?Iron Maiden
O que Steve Harris faria na vida se a banda não desse certo?


Kiko Loureiro: ele intimidou Chris Adler quando mostrou CD soloKiko Loureiro
Ele intimidou Chris Adler quando mostrou CD solo

Tom Grosset: O mais rápido baterista do mundo segundo o GuinnessTom Grosset
O mais rápido baterista do mundo segundo o Guinness


Sobre Gigi Pinheiro

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280