Resenha - Luar Na Lubre (Niterói, 28 e 29/04/2006)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Raul Branco
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Desde que o seu quarto disco, "Plenilúnio", foi lançado no mercado internacional pela Warner, graças ao apadrinhamento de Mike 'Tubular Bells' Oldfield, o grupo folk contemporâneo galego Luar Na Lubre vem se destacando no nicho folk por um trabalho criativo, inovador e, ao mesmo tempo, fiel às suas raízes célticas.

Indústria: 17 coisas que bandas novas simplesmente não entendemMetallica: Perguntas, respostas e curiosidades diversas

Convidados a participar da Semana da Espanha em Niterói, o grupo teve a oportunidade de se apresentar duas vezes: no Teatro da Universidade Federal Fluminense, sexta-feira dia 28 de abril às 21h e, no dia seguinte, no mesmo horário, no belíssimo Teatro Municipal de Niterói.

As longas filas em ambos os dias já mostravam a ansiedade do público. Apesar de não ter nenhum CD lançado no Brasil, o boca-a-boca, algumas canções baixadas na Internet e o fato do grupo Mägo de Oz ter gravado uma de suas músicas ("Memoria da Noite", no CD "Gaia II") já haviam criado uma pequena legião de fãs.

Se o som no Teatro da UFF apresentou alguns pequenos problemas, inclusive no retorno dos músicos, segundo seu líder, o gaitista Bieito Romero, o fato foi compensado pelo profissionalismo dos músicos. Foram 100 minutos de show, com direito a um bis de 4 músicas, que durou mais 20 minutos, mas que ainda pareceram pouco aos que lá estiveram, devido a fluidez de sua música. Os admiradores do gênero que ainda desconheciam seu som não se decepcionaram e os fãs do LNL tiveram a oportunidade de ouvir alguns clássicos da banda, como "Tu Gitana", "Chove en Santiago" e "O Son do Ar". Como previsto, porém, o cerne do concerto foi seu mais recente trabalho, "Saudade", que dá nome a turnê: das 13 músicas do CD, apenas "Galego Guajiro" foi excluída do roteiro.

No palco, os músicos se revezavam segundo a necessidade de cada peça, nunca poluindo o palco desnecessariamente, sendo que apenas o flautista/tecladista, Xan Cerqueiro, participou de todas as músicas. Três de seus componentes se dirigiram ao público duranhte as apresentações: seu líder, Bieito Romero, Xulio Varela - que está com Bieito desde a primeira formação do grupo e, claro, a cantora Sara Vidal. Como o idioma galego se assemelha em muito ao português, em nenhum momento a audiência teve problemas em entender o que era explicado por Bieito e Xulio. Este, por sinal, ensinou um refrão típico (Ailalá!) da Galícia que incentivou todos a cantarem na música "Nau". Outro exemplo de identificação e participação se deu com as palmas, que começaram expontaneamente nas duas noites e foram incentivadas pela banda, notadamente por Sara e Xulio. Pena que o acompanhamento de palmas "atravessou" duas vezes (por sinal, ambas nos mesmos números e nos dois dias).

Se os temas instrumentais, com pandeiradas e outros ritmos tradicionais fizeram a platéia vibrar, foi a belíssima voz de sua cantora, a portuguesa Sara Loraço Vidal, o grande trunfo do LNL. Sara recebeu a difícil missão de substituir Rosa Cedrón, cantora e violoncelista que era a própria imagem da banda desde "Plenilúnio". Com uma voz marcante que, em alguns momentos até se assemelhava à de Rosa, Sara encantou o público presente em ambas as apresentações e, em alguns momentos, como nas belíssimas "Desterro" e "O Meu Pais", deixou a platéia literalmente hipnotizada.

Era fácil notar que os músicos, todos excelentes, estavam felizes em tocar, coisa que é difícil de se ver em uma excursão longa e cansativa. Só na América do Sul, o Luar Na Lubre tocou na Argentina, Brasil, Uruguai e Venezuela.

O setlist extenso, como foi dito, composto de 18 músicas, teve no bis dois grandes destaques: "Tu Gitana", clássico do LNL que foi regravado neste último trabalho com a participação de Pablo Milanés, e "Memoria da Noite", composição inspirada pelo terrível acidente ecológico acontecido nas costas da Galícia, quando o petroleiro Prestige naufragou e extendeu uma imensa mancha de óleo, a Maré Negra, poluindo suas praias de uma maneira nunca antes vista. As imagens projetadas no telão, nesta música em especial, foram uma atração à parte.

É uma pena que os brasileiros que gostam de folk tenham tão poucas oportunidades como essa. Pelo menos, dessa vez, a vinda do Luar Na Lubre provou que há mercado para esse gênero e que outras vindas do grupo serão muito bem vindas.

E viva Galiza!

Ficha Técnica

Grupo:
Luar Na Lubre

Show:
Saudade

Local:
Niterói - 28 de abril (Teatro da UFF) e 29 de abril (Teatro Municipal)

Músicos:
BIEITO ROMERO - gaitas de fole (tradicional e midi) e acordeões
SARA LORAÇO VIDAL - vocal e pandeiro
XAN CERQUEIRO - flautas e teclado
XULIO VARELA - bouzouki e percussão
EDUARDO COMA - violino
PEDRO VALERO - violão e pedaleira de baixo
XABIER FERREIRO - percussão latina e efeitos
PATXI BERMUDEZ - bódhran, tamboril e djembek

Setlist:
"Miña Nai"
"Chove en Santiago"
"Costa da Morte"
"Camariñas"
"Cantigas Alfonso X"
"O Meu Pais"
"Terra"
"Desterro"
"Cantiga do Neno da Tenda"
"O Son do Ar"
"Nau"
"Saudade"/"Lonxe da Terriña"
"Teu Nome Amarante"
"Olla Meu Irmau"
"Uah Lua"
"Gallaecia"
"No Mundo"
"Domingo Ferreiro"/ "Danza dos Esqueletes"

Bis
"Tu Gitana"
"Hai Um Paraiso"
"Pandeirada do Che"
"Memoria da Noite"




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Luar Na Lubre"


Indústria: 17 coisas que bandas novas simplesmente não entendemIndústria
17 coisas que bandas novas simplesmente não entendem

Metallica: Perguntas, respostas e curiosidades diversasMetallica
Perguntas, respostas e curiosidades diversas

USA Today: as 20 maiores bandas de todos os tempos nos EUAUSA Today
As 20 maiores bandas de todos os tempos nos EUA

Slash: Saul Hudson explica qual a origem de seu apelidoÁlbuns: os vinte piores discos de todos os temposMotorhead: E Lemmy se foi...Massacration: Luiz Fernando Guimarães ou Língua de Trapo?

Sobre Raul Branco

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Mais matérias de Raul Branco no Whiplash.Net.