Resenha - Guitar Player Fest (EM&T, São Paulo, 07/07/2003)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo Vinhas
Enviar correções  |  Ver Acessos


Começou dia 07 de julho o festival Guitar Player Fest, evento esse que reuniu os maiores guitarristas do país, em uma semana, sendo que tocaram dois em cada dia, entre eles estavam, Kiko Loureiro, Rafael Bittencourt, Wander Taffo, Mozart Mello entre muitos outros. Vamos relatar aqui como foi o primeiro dia, que contou com os já citados Rafael Bittencourt e Wander Taffo.

O lado escuro do rock: você acredita em magia negra?Humor: Os impressionantes diários secretos de Roger Waters

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Além dos consagrados guitarristas, todos os dias do evento contaram com a apresentação de alguns guitarristas considerados promissores, estes foram selecionados por trechos de 30 segundos, encaminhados ao EM&T.

O evento começou pontualmente às 19:30 hs, o local estava bem cheio, as senhas para o primeiro dia haviam se esgotado com mais de duas semanas de antecedência.

O primeiro a pisar no palco foi um guitarrista do Rio de Janeiro chamado Zé Renato (assim mesmo, sem sobrenome). O cara realmente mandou bem, e provou que foi escolhido por méritos, tocou alguns temas de sua autoria, tocou um fusion, depois um country e uma espécie de bossa no final, realmente o rapaz promete. (infelizmente ele não citou o nome de nenhuma das músicas).

Logo em seguida sobe ao palco o fundador do IG&T, Wander Taffo, que mostrou não ter se acomodado e que ainda fica muitas horas por dia com a guitarra, tocou músicas de sua própria autoria e clássicos do Rock, e falou muito sobre o mercado musical, dizendo que há muito espaço pra quem é bom e se dedica. Foi muito interessante, e antes de deixar o palco Wander Taffo anuncia o próximo músico a entrar no palco com frases do tipo "A cobra vai fumar, o bicho vai pegar" algo realmente divertido, e então entra no palco a atração principal da noite: Rafael Bittencourt.

Rafael começou o evento tocando a música "Nova Era" que está presente no álbum Rebirth, após cumprimentar os presentes (que se incluíam muitos fãs do Angra), Rafael mandou mais quatro sons, Millennium Sun e Acid Rain também do Rebirth, em seguida tocou a progressiva Silence and Distant do álbum Holy Land, numa versão muito bem sacada, e um solo muito bom, ainda tocou uma música que foi feita especialmente para um disco da revista Cover Guitarra, chamada "Comendo Melancia", uma música intrumental com um teminha muito grudento.

Depois foi aberto um espaço para perguntas, onde Rafael falou sobre sua formação, sobre o futuro do Angra e diversos temas que interessam aos músicos, como equipamentos etc...

Após esse bate-papo com o público, pega o violão e manda "Reaching Horizons", essa última com Rafael mostrando que além de tocar guitarra canta muito bem.

Para encerrar mandou o clássico absoluto "Nothing to Say" para delírio dos fãs.

Quando o evento chegou ao fim, pouco mais das 22:00 hs, o guitarrista atendeu a todo o público tirando fotos e distribuindo autógrafos.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de Shows

O lado escuro do rock: você acredita em magia negra?O lado escuro do rock
Você acredita em magia negra?

Humor: Os impressionantes diários secretos de Roger WatersHumor
Os impressionantes diários secretos de Roger Waters


Sobre Rodrigo Vinhas

Rodrigo Vinhas é guitarrista da banda Thalion, ex-aluno de Kiko Loureiro, Rafael Bittencourt, Hugo Mariutti e Kiko Moura. Vinhas dá aulas de guitarra na baixada santista. Telefone para contatos: (013) 3429-17-80. Em São Paulo: (11) 9890-0490.

Mais matérias de Rodrigo Vinhas no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336