RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemQuando Roberto Carlos foi alfinetado por Raul Seixas, mas o Rei gostou do que ouviu

imagemQuando o Lynyrd Skynyrd irritou Mick Jagger ao abrir o show dos Rolling Stones

imagemApós dez anos, Jason Newsted procura guitarristas para montar um projeto de metal

imagemMax Cavalera escolhe seus álbuns "não metal" preferidos

imagemA única música tocada no Festival de Woodstock que atingiu o primeiro lugar nas paradas

imagemAs queixas que colegas do Paralamas mais fazem sobre Herbert Vianna, segundo o próprio

imagemSlash acha que os rockstars dos 60s e 70s eram mais inteligentes e educados que os dos 80s

imagemO hit da Legião Urbana antiviolência cantado sob perspectiva de jovem da periferia

imagemO grande amor de Renato Russo que durou pouco mas marcou sua vida para sempre

imagem"A vida é curta", afirma Floor Jansen, vocalista do Nightwish

imagemJohn Lennon queria regravar todas as músicas dos Beatles, segundo produtor George Martin

imagemA bizarra lembrança que Kerry King tem do último show do Slayer

imagemA icônica reportagem de Glória Maria em que Raul Seixas disse que foi atropelado por onda

imagemA reação de Jairo Guedz quando houve o racha do Sepultura no auge do sucesso

imagemA vingança de Joana Prado (ex-Feiticeira) contra filhos briguentos que envolve RPM


Stamp

Resenha - Dazaranha (John Bull, Florianopolis, 29/08/2001)

Por Rodrigo Simas
Postado em 29 de agosto de 2001

Conheci o Dazaranha em uma das minhas viagens para o sul do Brasil, mais precisamente em Florianópolis, capital da bela Santa Catarina, terra do Guga. Sai um dia com uns amigos e por acaso havia uma banda tocando no bar onde estávamos, e essa banda era o Dazaranha.

Nunca tinha ouvido falar nela e me lembro que, quando começou o show, estranhei pela quantidade absurda de pessoas que estavam no lugar só pra assistir a banda, cantando todas as músicas e agitando muito. Comecei então a prestar atenção e cheguei a uma conclusão óbvia: estava vendo uma grande banda, que infelizmente ainda não era conhecida por mim, mas que no dia seguinte iria procurar o CD para comprar.

Não deu outra, no dia seguinte fui em uma loja, e comprei o CD "Tribo da Lua". A partir daí não tem muito mais o que contar, fui em diversos shows nos anos que seguiram e comprei o primeiro CD relançado chamado "Seja Bem Vindo". Conheci os integrantes da banda na festa do Pinhão de 2000 em Lages (SC) e já até fiz uma entrevista com eles para a Whiplash! no começo deste ano.

Em comemoração ao aniversário de 9 anos da banda, o Dazaranha realizou 4 shows (1 por semana, nas 4 quartas-feiras do mês) memoráveis no bar John Bull, todos lotados, na linda Lagoa da Conceição, um dos cartões postais de Florianópolis. Cada show contou com participações especiais diferentes como a de Gerry na percussão (que foi da formação original da banda) e do vocalista da banda Bandit (também de Floripa), que cantou inclusive "Vagabundo Confesso", hino da banda e com certeza da própria cidade de Florianópolis.

Além disso tudo, em todos os shows várias músicas novas que vão estar no próximo CD (ainda sem data de lançamento) foram apresentadas. Entre elas "Vem Comigo" (que abriu os sets), a excelente "Carretão" e "Não Vou Vender" .

Pra quem não conhece ainda a banda (o que você está esperando??!) , o som do Dazaranha é uma mistura que vai desde ROCK, passando por POP, MPB, REAGGE e até alguns toques de HEAVY METAL, como na maravilhosa "Shau Pais Baptiston". A maioria das composições é feita pelo guitarrista base da banda, Moriel, tudo também muito bem acompanhado de letras "malucas" mas muito bem sacadas e do violino nervoso de Fernando Sulzbacher, que dá um toque mais do que especial às músicas, fazendo o Dazaranha (sem exagerar) estar entre as 5 melhores bandas do Brasil em atividade.

O show dos caras é uma celebração de todos esses 9 anos que já fizeram com que o nome Dazaranha se tornasse lenda no sul do Brasil e suas músicas verdadeiros clássicos. Duvida? Vá no show, e você vai ter a sensação que só você não sabe cantar as letras e que está presenciando um show de uma grande banda. Pois é, destaques não faltam, pois quem tem em seu set músicas como "Pagode do Revoltado", "Retroprojetor" ( uma das melhores, com uma letra no mínimo instigante), "Cama Brasileira", "Novos Ditados", "Muralhas Brancas", bom... é melhor eu parar, senão vou escrever o set inteiro do show.

Mas é em músicas com mais "punch" como a "quase heavy metal" "Barco Pesqueiro" (que até o vocalista Gazu brinca fazendo toda hora o sinal de heavy metal com a mão), "Shau Pais Baptiston" (já mencionada) e "Eh, País" que o lugar parecia que ia cair, tamanho a energia passada pela banda. Também há momentos emocionantes, quando são executadas composições como "Tribo da Lua" e "Vagabundo Confesso", onde cada pessoa dentro da casa parecia estar cantando.

[an error occurred while processing this directive]

Além disso o Dazaranha contou ainda com um som muito bom em todas as quatro noites, e como já dito anteriormente com uma presença em massa do público. Os músicos, já com muita experiência, sabem como contagiar o público, mostrando uma grande presença de palco durante as mais de 25 músicas que foram tocadas a cada dia de show, divididas em dois sets, que ainda contou com algumas covers, de Raul Seixas a Tim Maia.

Adauto (Baixo), Adriano (Bateria), Chico (Guitarra), Fernando (Violino), Moriel (Guitarra) e Gazu (Vocal) estão de parabéns e merecem toda a sorte no futuro. Que essa tribo da lua ainda seja muito iluminada e que ainda ilumine muitas outras pessoas que não tiveram o prazer de conhecer o trabalho desta grande banda. Parabéns ao Dazaranha e obrigado pelas quatro noites memoráveis. Nos vemos em Floripa.

[an error occurred while processing this directive]

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Def Leppard Motley Crue 2


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Rodrigo Simas

Designer, carioca e tricolor. Começou a ouvir música aos 11 anos, com Iron Maiden, Metallica e Rush. Tem como hobby quase profissional, a música. Além de produzir shows e eventos, trabalhou por 5 anos em loja especializada em Heavy Metal, e já escreveu para alguns sites e revistas de música. Hoje escuta de tudo um pouco, e cada vez mais descobre que existem apenas dois tipos de música: a boa e a ruim, independente do estilo. Bandas e artistas favoritos: Dave Matthews Band, Peter Gabriel, Rush, Iron Maiden, Led Zeppelin, Ben Harper, Radiohead, System of a Down... e a lista continua...
Mais matérias de Rodrigo Simas.