Pirate Bay: Tribunal defende imparcialidade de juiz

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Diego Camara, Fonte: Remixtures
Enviar Correções  

(Matéria de Miguel Caetano, publicada originalmente no blog Remixtures)

Não obstante todos os indícios em sentido contrário, o Tribunal Distrital de Estocolmo enviou ao Tribunal de Apelo de Svea um relatório defendendo o juiz Tomas Norström de todas as acusações de conflito de interesses levantadas pelos advogados de defesa.

publicidade

Norström foi o magistrado que no dia 17 de abril passado condenou os quatro responsáveis pelo tracker sueco de BitTorrent Pirate Bay (Gottfrid Svartholm Warg, Peter Sunde, Frederik Neij e o empresário Carl Lundström) a um ano de prisão e ao pagamento de 2,7 milhões de euros de indenizações.

Pouco tempo depois do anúncio da sentença, os advogados dos "piratas" suecos solicitaram o anulamento do julgamento alegando que o magistrado não estava em condições de emitir uma decisão imparcial. Segundo eles, Norström pertence a duas associações de defesa dos direitos de autor a que também pertencem vários dos advogados que representaram as editoras discográficas e os estúdios de cinema no julgamento.

publicidade

Para além de membro da Associação Sueca de Direitos de Autor - juntamente com Henrik Pontén (Agência Sueca de Anti-pirataria), Peter Danowsky (advogado da IFPI) e Monique Wadsted (advogada da MPAA) - Norström pertence ainda ao conselho de administração da Associação Sueca para a Proteção da Propriedade Intelectual, uma entidade que defende um endurecimento das leis de propriedade intelectual.

publicidade

Mas de acordo com a opinião do Tribunal Distrital de Estocolmo a que o jornal sueco The Local teve acesso, a ligação do juiz a estas associações não constitui qualquer handicap; antes, pelo contrário, são "formas de obter um maior conhecimento das questões relacionadas com a legislação de direitos de autor, não podendo por isso servir de fundamento para concluir pela existência de um conflito de interesses." O tribunal vai mesmo ao ponto de afirmar que se trata de uma exigência para um juiz que se quer manter atualizado na sua área.

publicidade

Desta forma, o Tingsrätten de Estocolmo (a instância mais inferior das três que compõem a hierarquia do sistema jurídico sueco) rejeitou também as acusações da defesa de que o juiz teria sido especificamente escolhido para este processo (e não aleatoriamente, como mandam as regras).

A notícia completa pode ser conferida no blog, logo abaixo.

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Mustaine: Aos 15 entrei na magia e conheci o lado negro!Mustaine
"Aos 15 entrei na magia e conheci o lado negro!"

Rammstein: Se alguém rir das gordinhas, eu quebro a cara dele!, diz Till LindemannRammstein
"Se alguém rir das gordinhas, eu quebro a cara dele!", diz Till Lindemann


Sobre Diego Camara

Nascido em São Paulo em 1987, Diego Camara é jornalista, radialista e blogueiro. Seu amor pelo metal e rock começou há 6 anos. Um amante da nova geração, é um grande fã de Arjen Lucassen, Andre Matos e bandas como Nightwish, Hammerfall, Sonata Arctica, Edguy e Kamelot. Também não deixa de ter amor pelos clássicos, como Helloween, Gamma Ray e Iron Maiden e do Rock de bandas como Oasis, Queen e Kings of Leon. Atualmente seus textos podem ser lidos no blog OCrepusculo.com sobre assuntos diversos, além de planos para criação de um projeto totalmente voltado aos blogs de Rock e Metal.

Mais informações sobre Diego Camara

Mais matérias de Diego Camara no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin