Carlos Eduardo Miranda: "Um monte de roqueirinho que só quer ser da Globo"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Bruce William, Fonte: Ligado à Música
Enviar correções  |  Comentários  | 

Em entrevista ao Ligado à Música em junho de 2015, o produtor e jornalista Carlos Eduardo Miranda falou sobre aquele momento do rock nacional nos anos noventa, o selo Banguela, bandas que produziu e ainda comentou sua opinião a respeito do rock atual, confira abaixo um trecho:

5000 acessosMalmsteen: Slash, Vai, Satriani e Wylde falam do guitarrista5000 acessosAs piores tatuagens de rockstars

LIGADO À MÚSICA: Miranda, o que você acha das bandas dos anos 90 que misturavam ritmos regionais e populares?

CARLOS EDUARDO MIRANDA: Olha, esse negócio de misturar não é uma coisa dos anos 90, no Brasil sempre foi um caldeirão assim na misturança. Nos anos 60, os Mutantes já faziam isso, a galera lá do Ceará já fazia isso. Os rocks progressivos do Nordeste já faziam isso. Era uma experiência que já viam sendo feita. Nos anos 70, a gente chamava o Alceu Valença de rock, véio. Virou MPB depois. Nos anos 80, continuaram a ter experiências desse tipo com Picassos Falsos, Paralamas, Graforréia Xilarmônica, Fellini, um monte de banda. Nos anos 90, isso foi chegando a um tipo de maturidade e achou uma liga nova. Acho que maturidade nem seria a palavra, na verdade foi uma porra louquice do caralho que foi a coincidência de ter o Raimundos fazendo aquilo em Brasília, juntar o forró com o hardcore; o Chico Science e Nação Zumbi, Mundo Livre, galera do mangue lá em Pernambuco, misturando hip hop com maracatu, um monte de coisas. Era um momento. Mas isso não é o mais marcante da época. Eu acho que o mais marcante da época era acreditar e fazer, ir atrás do que fosse, e conseguir conversar melhor com o país. Acho que isso é mais importante de tudo.

LIGADO À MÚSICA: Como você vê o rock atualmente?

MIRANDA: O rock está uma bosta e só tem um monte de roqueirinho que só quer ser da Globo. Rock de verdade está aí tudo pervertendo pelos cantos. Mas no final, tudo é rock né, véio? O hip hop é rock, rap é rock, tudo é rock hoje, porque sei lá, esse negócio de rock, papo de véio do caraio (risos).

Leia a entrevista completa no link abaixo:

http://ligadoamusica.com.br/wp/miranda-sobre-o-rock-atual-um...

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 05 de junho de 2015
Post de 10 de junho de 2015
Post de 09 de julho de 2015
Post de 30 de maio de 2017

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias

Yngwie MalmsteenYngwie Malmsteen
Slash, Vai, Satriani e Wylde falam do guitarrista

RockstarsRockstars
Tatuagens que possivelmente geram arrependimento

Em 08/08/1992Em 08/08/1992
Um desastroso show conjunto do Guns N' Roses e Metallica

5000 acessosMike Mangini: um dos bateristas mais rápidos do mundo?5000 acessosO Whiplash.Net protege quem anuncia no site?5000 acessosIron Maiden: Rachel Sheherazade é uma grande fã da banda5000 acessosJack Black: "Dio era meu vocalista de Heavy Metal favorito"5000 acessosEurope: toco de Lemmy, pito de Freddie, mijada com Axl Rose5000 acessosMetallica: Lars Ulrich explica porque não tem tatuagem

Sobre Bruce William

Bruce William pensava em ser um motoqueiro rebelde mas descobriu que é um Wieder Blutbad nerd apaixonado por uma Fuchsbau. Avy jorrāelan, CatW!

Mais matérias de Bruce William no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online