Matérias Mais Lidas

imagemNoel Gallagher revela seu único arrependimento em sair do Oasis

imagemO dia que Ivete Sangalo arrasou cantando Slayer com João Gordo na TV aberta

imagemOs curiosos dois significados da expressão "Eu quero ver o oco", segundo Digão

imagemA hilária crítica de Roberto Frejat contra fala cheia de "pretensão" do Bon Jovi

imagemAvião de Edu Falaschi enfrenta granizo e banda relata pânico: "Quase morremos"

imagemJohn Frusciante conta como "espíritos" auxiliam seu processo criativo

imagemOzzy Osbourne homenageia Randy Rhoads em suas redes sociais

imagemGuitarrista Brian Ray conta como é ter Paul McCartney como patrão

imagemO Metallica não tem mais o que provar, muito menos algo novo para oferecer

imagemAerosmith cancela segundo show após Steven Tyler adoecer

imagemO impagável apelido que Andre Matos deu a Luis Mariutti por sua pontualidade

imagemBlackie Lawless relembra encontro inusitado com Cliff Burton em backstage

imagemO dia que Digão assistiu ensaio da Legião Urbana sem saber que era a banda

imagemO malévolo King Diamond registra encontro com Michael Sweet, ícone do rock cristão

imagemRegis Tadeu explica porque Sandy não deve cantar músicas do Metallica


Summer Breeze
Samael Hypocrisy

Iron Maiden: "Senjutsu" é uma prova de que "The X-Factor" é um discão

Resenha - Senjutsu - Iron Maiden

Por Renildo Carlos
Postado em 09 de setembro de 2021

"Meet the warning the sound of the drums" (Receba o aviso do som dos tambores): É assim que começa "Senjutsu", o 17º disco da Donzela. Meio tribal, com solos dissonantes e um refrão ótimo, a faixa-título é uma canção de guerra. Ao menos, um convite às suas agonias por parte de Smith e Harris, numa fórmula do subestimado "The X-Factor", quando a banda flertou com essa áurea mais sombria nas composições. Boas harmonias, sem tantas regras entre pontes x refrões épicos. Estrutura diferente de faixa de abertura.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Os galopes em "Stratego" (Gers/Harris) trazem uma pitada saudosista. Boa faixa, mesmo com Janick acompanhando o refrão... o fraseado gruda na mente. Tudo coroado por um Bruce que venceu um câncer e dando uma aula de como se faz a coisa funcionar. Em sequência, a pegada folk-western de "The Writing On The Wall" (Smith/Dickinson), foi ambiciosa. Um clip lindo, cheio de "eggs", fez a galera reviver certas coisas que só a Donzela é capaz de proporcionar, com um solo especial de Mr. Adrian, dando um contexto novo. Deve funcionar muito bem no palco no futuro...

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Lost In A Lost World", um dos quatro "épicos" Harrianos. Nicko está numa forma extraordinária, numa das suas melhores gravações de bateria com o dispositivo de três guitarras. A canção é interessante, mas o chefão poderia ter diminuído algums loopings. Já a faixa "Days Of Future Past", assinatura de Smith e Dickinson, é direta, rock'n'roll e uma tapa (de novo) na cara daqueles que duvidaram do potencial de Bruce após vencer um câncer. Que refrão, que riff. Poderia até ser uma faixa de abertura.

"The Time Machine" traz os mistérios entre as eras terrestres, com narrativa cantada, bela intro e solos memoráveis. Uma mistura dos ambientes de "A Matter of Life and Death" (2006) e das partes acústicas de "The Books of Souls" (2015). Na companhia do encarte, que é um show à parte, essa letra fica muito mais divertida de acompanhar. Uma das melhores do disco. Ponto para Gers e Harris pela fuga do "padrão".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Na ambiente das fortes decisões, essa dobradinha Smith/Dickinson em "Darkest Hour" é uma quase-balada , que encaixou muito bem no disco. Com um tema sobre a dinâmica da vida, da escolha, da consequência, com atenção extrema para Gers-Smith-Murray. Solos de bom gosto: Algo "Chemical Wedding", algo "Wasting Love", sei lá... Emocionante.

É isso, chegamos na parte difícil do disco - no bom sentido: As três tão faladas "músicas longas de Steve. Vamos lá. "Death of the Celts", se gravada em 1995, poderia ser tema do filme "Coração Valente", como "The Clansman" também caberia. Boa música, para o povo gritar "Ôooooo" nos coros de 250 mil fiéis (quando a pandemia permitir, óbvio). Com a cama pronta, entra "The Parchment", a mais longa, com lindas pontes, que cansam pela repetição dos riffs (isso é legal ao vivo, mas no disco... poderia ser mais enxuto). Mesmo assim, a Donzela dança com você até Eddie sair, do nada, da calma para a correria. E, no final, isso é irresistível. Vale a pena os quase 13 minutos. "Hell On Earth" tem a assinatura de Arry. Uma bela introdução de baixo, Bruce alternando impecavelmente, solos bonitos, um teclado safado aqui e acolá. Típica música para observar a banda em ação, enquanto o refrão rola e chega no silêncio, o resultado da estratégia e da tática. Podem reclamar, mas o Boss é um patrimônio.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Antes de mais nada, é preciso relembrar aos fiés: Existe Iron Maiden desde 1975. Ou seja, os períodos NWOBHM, 1980-1988, 1990-1993, 1994-1999 e 1999 até dias atuais são fases na banda. Esperar um novo "Powerlave" ou um sucessor de "Seventh Son" é um apelo honesto dentro da crítica saudosista-oitentista-comparativa, mas distante. Idealizar um retorno aos anos de ouro é inevitável, mas, pode tirar o cavalo e o trooper da chuva. Entre perspectivas e escolhas, ela chegou ao século 21 com um pé progressivo, composições mais complexas e densas. Isso é um fato. O disco vai, como todo disco da Donzela, abrir discussões. No fim, a cada disco que sai, entre opiniões e exaltações, sempre será bom ouvir Steve, Dave, Bruce, Adrian, Nicko e Janick em ação. Na verdade, é uma honra.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Os livros das almas se fecharam para dar início à Era SENJUTSU.

Up the Irons!


Outras resenhas de Senjutsu - Iron Maiden

Resenha - Senjutsu - Iron Maiden

Resenha - Senjutsu - Iron Maiden

Resenha - Senjutsu - Iron Maiden

Resenha - Senjutsu - Iron Maiden

Resenha - Senjutsu - Iron Maiden

Resenha - Senjutsu - Iron Maiden

Resenha - Senjutsu - Iron Maiden

Resenha - Senjutsu - Iron Maiden

Resenha - Senjutsu - Iron Maiden

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Siga Whiplash.Net: Facebook | Instagram | Twitter | YouTube

Receba as novidades do Whiplash.Net por WhatsApp


Stamp


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A grande diferença entre shows do Iron Maiden e Smith/Kotzen, segundo Julia Lage

Steve Harris maromba? O interesse do baixista do Iron Maiden por nutrição e suplementos

Cinco músicos que nunca voltarão para as bandas que os consagraram

O motivo pelo qual Steve Harris escolheu Within Temptation para abrir shows do Iron Maiden

Bandas de heavy metal que lançaram discos em cinco décadas diferentes

Por que Steve Harris e Bruce Dickinson se dão bem, segundo tour manager

O rockstar dos anos 1970 que Bruce Dickinson convidou para show do Iron Maiden e tietou

Heavy Metal: um guia para começar a ouvir o estilo

Nickelbeck: Chad Kroeger diz que maconha na platéia melhora os shows da banda

Iron Maiden com descontos de 25%, 41% e até 72% na Semana Black Friday Amazon

Axl Rose achava os caras do Iron Maiden legais, mas não queria ser como eles

A surpreendente parte mais difícil de montar do palco do Iron Maiden

Tour manager desmente Regis Tadeu e diz que Dave Murray não quer sair

Shout At The Beast: Motley Crue usa imagem similar a do Iron Maiden em camiseta

Judas Priest: "Sad Wings of Destiny" definiu as principais características do heavy metal

Iron Maiden: o que Johnny Cash e Paul McCartney disseram ao conhecer a banda

Zé do Caixão: Hotel California e Fear Of The Dark na trilha

Músicas boas mas pouco conhecidas: a vida nem sempre é justa

Punk Rock: os 25 melhores discos segundo o site IGN

Black Metal: cinco bandas do lado depressivo do satanismo