Amorphia: Para quem gosta de Thrash Metal oitentista

Resenha - Mercyless Strike - Amorphia

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por José Sinésio Rodrigues
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9

Na época em que eu apresentava um quadro de Rock e Heavy Metal numa emissora de rádio, aqui no Paraná, adquiri o hábito de escarafunchar a internet à procura de bandas provenientes dos locais mais insólitos do mundo. Desta forma, conheci bandas do Iraque, Somália, Ilhas Fiji e até da Groenlândia. Mantenho este vício até hoje. Desta forma, não é de surpreender que eu tenha, recentemente, conhecido a banda AMORPHIA, da Índia, outro país cuja tradição no Metal é, ainda, relativamente tímida.

G.G. Allin: o extremo dos extremosAC/DC: as 10 melhores músicas da banda com Bon Scott

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

De forma sumária, devo dizer que a barulheira feita pelo AMORPHIA é apropriada para fãs de grupos como EXODUS, METALLICA antigo, SLAYER, TESTAMENT e KREATOR. Ou seja: se você gosta desta faceta do Thrash Metal, deve conhecer imediatamente esta banda. No álbum Marcyless Strike, lançado em 15 de janeiro de 2020, uma faixa soa mais instigante que a outra, fazendo você bater a cabeça até sofrer uma concussão! É bem verdade que o trabalho de guitarra aqui observado não é o de um EXODUS ou de um SLAYER da vida, mas quando consideramos que Vasu Chandran é o único guitarrista do AMORPHIA e ainda tem a árdua tarefa de fazer a parte do vocal (que tem um ótimo desempenho, se casando muito bem com todo o instrumental), nos damos conta de que o sujeito é simplesmente genial, genial. O baixista Faizan Mecci desempenha bem seu trabalho nas quatro cordas (apesar de o baixo aqui, como na maioria dos álbuns de Thrash Metal, ser quase inaudível) e ainda faz um magnífico backing vocal. O trabalho de bateria é sólido e magnífico, explorando magistralmente um timbre que complementa o trabalho dos demais integrantes.

Todas as músicas deste álbum são sólidas, beligerantes e pesadas como uma rocha e o vocal, muito semelhante ao do SLAYER, é um complemento magnífico em cada faixa. O álbum todo é pura velocidade, raiva e agressão o tempo todo, cada música sendo uma ode ao Thrash Metal oitentista, em cada uma delas o vocal fazendo o rosnar da morte parecer suave. Tudo aqui é embalado com intensidade, não havendo músicas mais lentas. Pessoalmente, achei que faltou justamente alguma faixa com um andamento menos rápido, para soar diferenciada; mas tenho certeza que se todos os fãs de Thrash Metal oitentista ouvissem este trabalho, 90% deles considerá-lo-iam como sendo uma joia muito bem lapidada, um trabalho completo, coeso, cativante e magnífico.

Integrantes atuais da banda AMORPHIA:
. Faizan Mecci - Baixo e backing vocal;
. Vivek Prasad - Bateria;
. Vasu Chandran - Vocal e guitarra

Discografia da banda AMORPHIA:
. Arms To Death (álbum) - 2018;
. Merciless Strike (álbum) - 2020

Track List do álbum Mercyless Strike:
1. Death Zone;
2. Judgement Day;
3. Mercyless Strike;
4. Mutants' Rise;
5. Upcoming Terror;
6. Radiation Overdose;
7. Martian Law;
8. Blazing Glares

Bandas Similares:
. OVERKILL, dos Estados Unidos;
. EXODUS, dos Estados Unidos;
. SLAYER, dos Estados Unidos;
. TESTAMENT, dos Estados Unidos;
. METALLICA, dos Estados Unidos;
. DEATH ANGEL, dos Estados Unidos;
. KREATOR, da Alemanha;
. ANNIHILATOR, do Canadá;
. HATRIOT, dos Estados Unidos.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Amorphia"


G.G. Allin: o extremo dos extremosG.G. Allin
O extremo dos extremos

AC/DC: as 10 melhores músicas da banda com Bon ScottAC/DC
As 10 melhores músicas da banda com Bon Scott


Sobre José Sinésio Rodrigues

José Sinésio Rodrigues mora em Londrina, no Paraná. É professor de Ciências, agente penitenciário, aluno de Geografia e coordenador de Astronáutica de um grupo de Astronomia londrinense. É também palestrante, escritor, quadrinista, contista, ex-radialista e ex-colunista de jornal. Seu contato com o Rock aconteceu com o Faith No More e Pearl Jam, no início da década de 1990. Suas bandas favoritas são: My Dying Bride, Monster Magnet, Dominus Praelii, Acrassicauda, Slayer, Fejd, Arkona e Anabioz.

Mais matérias de José Sinésio Rodrigues no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor