Penumbra: Retorno vigoroso e criativo

Resenha - Era 4.0 - Penumbra

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marcondes Pereira
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8

Após um extenso hiato, os franceses do Penumbra regressam com "Era 4.0" (2015), álbum cujo título sugere a aparição de novas características na sua música Quem já ouviu os demais trabalhos do conjunto, sabe que o Penumbra se situa paralelamente entre a música feita por grupos como o Tristania e o Therion, principalmente pelas alternâncias de vozes e orquestrações.

Avenged Sevenfold: The Rev dizia que não passaria dos 30Rock e Metal: todo artista tem uma fase vergonhosa

"Era 4.0" traz como novidade o uso de efeitos eletrônicos em algumas faixas, sem abrir mão do peso e das vozes masculinas (guturais e limpas) e femininas (também limpas). Além do mais, as músicas estão bem menores e mais acessíveis com refrões mais simples, grudentos.

Felizmente, o Penumbra adicionou estas novas texturas e não abandonou os pilares da sua música, como a boa distribuição das vozes, peso e melodias bonitas. Sendo que o grupo soa bem reconhecível, ainda que demonstre estar um pouco diferente do que foi nos trabalhos passados.

No mais recente álbum até o momento, a banda francesa de Gothic/Symphonic Metal conseguiu incluir algumas experimentações na sua música e mesclá-la com suas principais marcas. Um bom exemplo de álbum que esclarece o termo "atualização sonora."

Destaques: "Insane", "Charon", "Malice In Wonderland" e "Exhumed"

Penumbra - Era 4.0
2015/ Gravadora independente.

Faixas:

1) New Era (Instrumenta)l
2) Insane?
3) Charon
4) Save My World
5) Exhumed
6) Insidious
7) Eerie Shelter
8) Before Oblivion
9) Avalon
10) Malice in Wonderland




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Penumbra"


Avenged Sevenfold: The Rev dizia que não passaria dos 30Avenged Sevenfold
The Rev dizia que não passaria dos 30

Rock e Metal: todo artista tem uma fase vergonhosaRock e Metal
Todo artista tem uma fase vergonhosa


Sobre Marcondes Pereira

Marcondes Pereira, paulista, poeta, escritor e tradutor em início de carreira. Gosta de escutar e estudar todos os sub-estilos de Heavy Metal, também faz algumas palestras para difundir o fascinante universo do Metal e tem fascínio pelos discos conceituais.

Mais matérias de Marcondes Pereira no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336