Revolução: em 2016, o segundo álbum da banda

Resenha - O Último Dia de Nossas Vidas - Revolução

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Johnny Kiff
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

O trabalho entrega um material maduro e conciso. Em seus 31 minutos, "O Último Dia de Nossas Vidas" reúne maturidade, versatilidade, rock and roll e esperança. A voz de Johnny Kiff soa clara e autêntica, enquanto Silas Lopes (baixo e produção) e Ekson Wallace (guitarra) garantem um instrumental de qualidade. O álbum que também virou documentário tem grandes músicas.

5000 acessosAxl Rose: "Sobe na porra do palco ou você vai morrer!"5000 acessosInstagram: as fotos mais legais do perfil de James Hetfield

Começamos com a delicadeza de "Bons Motivos Pra Viver", tanto na letra como no arranjo. A guitarra pontua os versos iniciais dessa balada pra se ouvir de olhos fechados e de refrão explosivo, com o chimbal da bateria aberto. O disco começa com uma de
suas melhores músicas.

"Eu Te Amo" traz aquele rock cru e básico que remete aos anos 80 - para não deixar dúvidas sobre as influências da banda. Depois da tocante faixa de abertura, aqui é pra pular e se divertir falando de amor de uma maneira mais leve. Dica: preste atenção ao baixo e ao diálogo das guitarras.

O clima continua pra cima em "Uma Canção", uma declaração romântica simples, sincera e agitada! No final fica a vontade de continuar cantando "Não, não, não, nunca é em vão!" mais vezes. A menção aos morros e ladeiras de BH nos primeiros versos também é digna de nota.

Veja o documentário sobre a produção do disco.

Quando você já estava quase se esquecendo da veia política da banda, especialidade dos caras, vem "Sociedade dos Zumbis", um tapa na cara! A canção é forte e eclética, rock and roll com um trecho de reggae – inédito para eles – muito bem feito!

A vibe da crítica social continua na faixa seguinte, mas agora encarada com uma dose de fé e numa levada mais acústica. "Milagre do Céu" é uma balada agregadora que vai fazer todos cantarem juntos: cristãos e não cristãos. Destaque para o belo solo vocal de Priscilla Costa.

"Classe Média" manda o recado de forma ágil e pesada, colocando no balaio da alienação diversões às quais o brasileiro está bem acostumado. Além da TV e do futebol, sobra até pro facebook.

"Dias de Inverno" e "O Paraíso" encerram o álbum apostando na esperança. A última é energética e totalmente positiva. Pode ser vista como uma prima musical de "Primavera no Deserto", apresentada no CD de estreia, mas com direito a "ôôô" pra plateia cantar.

Saldo geral: o baixo é versátil, fazendo o simples e o sofisticado, cada um no momento certo; as guitarras marcantes assumem seu protagonismo com solos bem compostos e executados em quase todas as faixas; letras e vocais sinceros e intensos; e a bateria redonda e precisa permite que tudo isso aconteça na maior naturalidade. Com tudo isso, "O Último Dia de Nossas Vidas" vem para consolidar o estilo da banda e dar força na estrada. Nas letras, crítica social e humor continuam e o lema da Revolução, também: a solução é o amor!

Veja a playlist completa de videoclipes do disco

https://www.youtube.com/watch?v=I2dH027nQvQ&list=PLJhrrGa5Sb...

Ouça o disco no Spotify

https://open.spotify.com/album/34TgLqVugImmZOwPxoeOJo

Tracklist
O Último Dia de Nossas Vidas

1 Bons Motivos Pra Viver
2 Eu Te Amo
3 Uma Canção
4 Sociedade dos Zumbis
5 Milagre do Céu
6 Classe Média
7 Dias de Inverno
8 O Paraíso

Resenha pelo jornalista e músico Otávio Zonatto

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Revolução"


Axl RoseAxl Rose
"Sobe na porra do palco ou você vai morrer!"

InstagramInstagram
As fotos mais legais do perfil de James Hetfield

Mick JaggerMick Jagger
Em cerimônia na escola do filho em São Paulo

5000 acessosRolling Stone: As 500 melhores músicas segundo a revista5000 acessosRegis Tadeu: Los Hermanos fez um tremendo mal ao rock brasileiro5000 acessosIron Maiden: em 1985, show "secreto" com Adrian no vocal5000 acessosMotorhead: E Lemmy se foi...5000 acessosInovação: conheça primeira guitarra feita inteiramente de titânio968 acessosBlend Guitar: na batalha de shredders, Paul Gilbert Vs Richie Kotzen

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.


Sobre Johnny Kiff

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online