Soul Inside: Death Metal mineiro e com personalidade

Resenha - No More Silence - Soul Inside

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Vitor Sobreira
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

É fato que o estado de Minas Gerais sempre conseguiu chamar a atenção por suas bandas – tanto clássicas quanto emergentes – dos mais diversos seguimentos do Metal/Rock. Como mais um exemplo desse arsenal mineiro, temos a banda Soul Inside, vinda da cidade de Lavras e que lançou em 2015 o seu debute ‘No More Silence’.

5000 acessosRede Globo: em 1985, explicando o que são os metaleiros5000 acessosJames Hetfield: O equilíbrio entre Metallica e vida familiar

Contando com oito faixas, em cerca de 40 minutos, o CD transparece à atenção aos detalhes e um resultado geral profissional, fruto dos processos de estúdio no Braia Studios (Varginha/MG) e em São Paulo/SP, por Luciano Marciani, que contribuíram com a ótima sonoridade. Destaque também, para a arte gráfica, que ficou sob a responsabilidade da ArtSpell Artwork, de Caxias do Sul/RS. Todo esse envolvimento intermunicipal e interestadual, sem dúvidas refletiu a busca constante pelo aperfeiçoamento da arte da banda.

‘No More Silence’ apresenta o Death Metal de uma maneira inteligente e criativa, e utiliza elementos diversos, que nos remetem ao som feito na década de 90, doses controladas de melodia, além de transitar entre velocidade, sessões intrincadas e climas carregados, quase sorumbáticos.

Os vocais são em um gutural predominante mais grave – que pessoalmente, me remeteram bastante aos de Paul Kuhr, do Novembers Doom. Já o instrumental, em momento algum deixa a desejar, seja pelos riffs e fraseados em afinação mais baixa, ou pela sessão rítmica que conduz as músicas aonde bem entendem, com caprichosa desenvoltura.

Sabe aqueles trabalhos, que são complicados de se mencionar maiores destaques? Então fique sabendo, que você ficará de frente com esse positivo “porém”, ao ouvir este álbum, pois todas as músicas são ótimas e têm a capacidade de fazer com que a dose seja repetida mais e mais vezes. Se ainda não foi o suficiente pra você, então faça um favor a si mesmo, e ouça: “Child of War”, “Fight the Despair”, “Again the Nightmare”, “Life of Lies”, a faixa título, “The Killer Inside”, “Unholy Temple” e o encerramento com “Sands of Truth”, ok?!

Recomendado!

Formação:
Bruno de Carvalho (vocal e baixo);
Eduardo Petrini (guitarra);
Beto Siqueira (guitarra);
Renan Seabra (bateria)

Faixas:
01. Child of War
02. Fight the Despair
03. Again the Nightmare
04. Life of Lies
05. No More Silence
06. The Killer Inside
07. Unholy Temple
08. Sands of Truth.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de No More Silence - Soul Inside

141 acessosSoul Inside: No liame entre o death e o thrash metal103 acessosSoul Inside: Estreia com sonoridade madura162 acessosSoul Inside: Mesclando tradicional com o moderno do Metal Extremo358 acessosSoul Inside: Não criaram a roda, mas terão muitas rodas nos shows


Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.


0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Soul Inside"


Rede GloboRede Globo
Em 1985, explicando o que são os metaleiros

James HetfieldJames Hetfield
O equilíbrio entre Metallica e vida familiar

GhostGhost
O lado escuro do rock: você acredita em magia negra?

5000 acessosAfinal de contas, o que é um riff?5000 acessosAvenged Sevenfold: "The Rev" dizia que não passaria dos 305000 acessosLoudwire: as 10 melhores músicas do Nirvana5000 acessosSepultura: Andreas Kisser comenta os primórdios da banda5000 acessosQueen: "Pink Floyd é um grupo estranho", diz John Deacon em 19813161 acessosBrian May: "não descarto a possibilidade que Deus exista"

Sobre Vitor Sobreira

Moro no interior de Minas Gerais e curto de tudo um pouco dentro do maravilhoso mundo da música pesada, além de não dispensar também uma boa leitura, filmes e algumas séries. Mesmo não sendo um profissional da escrita, tenho como objetivos produzir textos simples e honestos, principalmente na forma de resenhas, apresentando e relembrando aos ouvintes, bandas e discos de várias ramificações do Metal/Heavy Rock, muitos dos quais, esquecidos e obscuros.

Mais matérias de Vitor Sobreira no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online