Matérias Mais Lidas

imagemTravis Barker, do Blink-182, é hospitalizado às pressas e filha pede orações

imagemKerry King explica por que não assumiu o posto de guitarrista do Megadeth

imagemVeja diz que David Coverdale só passa vergonha nas redes sociais

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemQuando Jimi Hendrix chamou Eric Clapton para subir no palco e afinar sua guitarra

imagemMike Portnoy e a música do Rush que virou um grande sucesso do Guns N' Roses

imagemCinco álbuns que serão lançados no segundo semestre de 2022 e merecem a sua atenção

imagemO clássico dos Paralamas que Gilberto Gil escreveu a letra e ditou pelo telefone

imagemA resposta de John Lennon quando perguntado se retornaria aos Beatles em 1975

imagemSlash explica por que rejeitou Corey Taylor no Velvet Revolver

imagemNergal diz que Behemoth é mais que anti-religião e emociona-se com LGBTQ e aborto

imagemKiko Loureiro explica por que acha uma merda seu solo de guitarra em "Rebirth"

imagemCinco músicas que são covers, mas você acha que são as versões originais - Parte 2

imagemO dia que filhos dos Titãs foram retirados de show e Nando Reis quase foi preso

imagemPaul Di'Anno recebe autógrafo de Rivellino e fica feliz da vida; "Te vejo ano que vem?"


Stamp

Spiritual Beggars: influência forte do Purple em disco excelente

Resenha - Sunrise to Sundown - Spiritual Beggars

Por Ricardo Seelig
Em 16/04/16

publicidade

Nono álbum do Spiritual Beggars, "Sunrise to Sundown" quebra um silêncio de três anos e é o sucessor de "Earth Blues" (2013). Uma parada que fez bem para a banda liderada pelo guitarrista Michael Amott, que voltou com uma sonoridade arejada e mais solta.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Contando com uma formação excepcional - Apollo Papathanasio nos vocais, Sharlee D’Angelo no baixo, Per Wiberg nos teclados e Ludwig Witt na bateria, todos excelentes -, o Spiritual Beggars demonstra mais uma vez que a qualidade de seus músicos não fica apenas no papel. "Sunrise to Sundown" traz onze faixas inspiradas, seguindo o caminho dos últimos trabalhos e deixando a psicodelia de outrora de lado em favor de doses maiores de peso e feeling. Ainda que não seja agressivo quanto "Return to Zero" (2010), o novo disco compensa colocando Wiberg em primeiro plano e vestindo uma muito bem-vinda influência do Deep Purple.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

O teclado e a guitarra são os elementos condutores, levando os músicos por caminhos sempre interessantes. Amott apresenta solos que trazem elementos orientais em diversas faixas, enquanto Wiberg desliza sobre as teclas com classe e enorme talento. Fechando o pacote, Apollo mostra que fez a escolha certa ao sair do Firewind e focar todas as suas forças no Spiritual Beggars. Cantando como nunca, o grego encontrou na banda o veículo ideal para explorar todas as possibilidades de sua voz.

Sem exageros, dá pra dizer que "Sunrise to Sundown" é o melhor disco lançado pelo Deep Purple em décadas (para o meu gosto pessoal, desde "Stormbringer", de 1974). Isso não quer dizer que estamos diante de uma cópia do grupo de Blackmore e Lord, mas sim de um trabalho que não esconde a sua inspiração e insere boas doses de criatividade para criar canções fortes pra caramba. Entre elas, pedradas cativantes como a música título, "Diamond Under Pressure" (filha de "Might Just Take Your Life", lá do "Burn"), "Hard Road" e "Lonely Freedom".

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Mesmo sem disfarçar o aroma de dejá-vù, "Sunrise to Sundown" tem um saldo final extremamente positivo, e que deve colocar o disco entre os preferidos de quem curte um hard bem feito.


Outras resenhas de Sunrise to Sundown - Spiritual Beggars

Resenha - Sunrise to Sundown - Spiritual Beggars

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp



Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig.