Soulfly: passo importante na trajetória de Max rumo a identidade

Resenha - Savages - Soulfly

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago El Cid Cardim
Enviar correções  |  Ver Acessos


Nos últimos meses, todas as vezes em que menciono o lendário músico Max Cavalera, eu faço questão de rezar um mantra que, espero, ele ouça e incorpore em algum momento de sua vida: Max, meu querido, siga em frente. Não precisa mais reclamar do Sepultura. Não precisa nem mais falar do Sepultura, aliás. Dedique-se aos seus inúmeros projetos e, essencialmente, à sua banda principal, o Soulfly. Dada a quantidade de entrevistas em que ele ainda insiste em destilar um desnecessário veneno sobre os ex-companheiros de grupo, parece que ele ainda não conseguiu cortar este cordão. O que é uma pena. Porque, musicalmente, pelo menos com o Soulfly, Max parece ter encontrado a paz que precisava entre seu passado e seu futuro. Depois do incrível "Enslaved" (2012), um dos melhores discos do ano de seu lançamento e um dos pontos altos da carreira do vocalista/guitarrista, eis que o Soulfly coloca no mercado o igualmente furioso e saboroso "Savages", que carrega o mesmo DNA do anterior.

Sepultura: duas drum cam de Eloy Casagrande no Rock in RioEm cana: os rockstars em suas fotos mais constrangedoras

Aliás, DNA é mesmo a expressão que melhor define "Savages". Com a saída de David Kinkade, quem assumiu de uma vez por todas as baquetas da banda foi o filho de Max, Zyon, mantendo mais uma vez tudo em família e mostrando que herdou parte do talento do tio. Para completar, a poderosa e sincopada faixa de abertura, o single "Bloodshed", traz a participação nos vocais de Igor Cavalera Jr., outro filho de Max e que mantém a banda Lody Kong ao lado de Zyon. "Savages" acabou sendo mais "Cavalera Conspiracy" do que a própria banda/projeto que Max mantém ao lado do irmão Iggor, no fim das contas.

O interessante de "Savages", no entanto, é que a exemplo de "Enslaved", Max soube conversar com a porradaria de seu passado com o Sepultura, apresentando um espetáculo de fúria e força bruta como os que é possível ouvir em"Cannibal Holocaust" e "Master of Savagery", por exemplo. Ambas as faixas são exemplos de que é possível incorporar o seu tempo ao lado do Sepultura de maneira orgânica e natural. Em "K.C.S.", a gritaria chega em dose dupla, com uma participação especialíssima de Mitch Harris, quebrando tudo e ajudando o Soulfly a fazer o que ele vem fazendo de melhor nos últimos anos: aproximar Max de suas raízes mais pesadas, mais extremas, mais thrash/death.

Apesar do título quase, digamos, infantil, "Ayatollah of Rock 'n' Rolla" é um dos melhores momentos de "Savages". Além do excelente trabalho de guitarras de Marc Rizzo, que dispara riffs numa vibração que é impossível não acompanhar batendo cabeça, a faixa conta com a participação do excelente Neil Fallon, a voz do Clutch. Enquanto Max parte para a gritaria usual, Fallon opta por uma interpretação quase System of a Down, dando um tempero étnico/oriental diferente para a música e ampliando ainda mais o tema "guerra", presente ao longo das letras de todo o disco. Outro momento crucial da bolacha, talvez o seu ápice, é "El Comegente". A exemplo do que fez na igualmente interessante "Plata O Plomo", do álbum anterior, Max mistura uma letra em inglês, português e espanhol, caminhando pelo lado mais étnico mas sem perder o peso. E tudo isso cantando lado a lado com o baixista Tony Campos, músico mexicano conhecido pelo trabalho com o Prong e com o Asesino (supergrupo formado por Dino Cazares, do Fear Factory, e que, em dado momento, contou com a participação de Andreas Kisser).

"Savages" é mais um passo importante na trajetória de Max rumo a uma identidade própria, definitivamente desconectada do Sepultura, sem a necessidade de ter que falar o tempo todo a respeito de uma possível reunião do seu antigo grupo. Isso, acreditem, é possível. Basta apenas que o próprio Max - e algumas das pessoas ao seu redor - se convença disso.

Line-up:
Max Cavalera - Vocal/Guitarra
Marc Rizzo - Guitarra
Tony Campos - Baixo
Zyon Cavalera - Bateria

Tracklist:
1. Bloodshed (com Igor Cavalera Jr.)
2. Cannibal Holocaust
3. Fallen (com Jamie Hanks)
4. Ayatollah of Rock 'n' Rolla (com Neil Fallon)
5. Master of Savagery
6. Spiral
7. This Is Violence
8. K.C.S. (com Mitch Harris)
9. El Comegente
10. Soulfliktion


Outras resenhas de Savages - Soulfly

Soulfly: Afirmando sua identidade com o "Savages"

Soulfly: Um álbum digno e até melhor que muita coisa do SepulturaSoulfly
Um álbum digno e até melhor que muita coisa do Sepultura




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Soulfly"Todas as matérias sobre "Sepultura"


Sepultura: duas drum cam de Eloy Casagrande no Rock in Rio

Sepultura: novo álbum Quadra é conceitual e Andreas Kisser explica ideiaSepultura
Novo álbum Quadra é conceitual e Andreas Kisser explica ideia

Sepultura: banda mostrou a capa do álbum Quadra durante show no Rock in RioSepultura
Banda mostrou a capa do álbum Quadra durante show no Rock in Rio

Sepultura: no Rock in Rio, música nova e homenagem a Andre Matos; vídeosSepultura
No Rock in Rio, música nova e homenagem a Andre Matos; vídeos

Rock in Rio 2019: horários do dia do metal passam por pequena alteraçãoRock in Rio 2019
Horários do "dia do metal" passam por pequena alteração

Sepultura: Amilcar Christófaro substitui Eloy Casagrande durante show em festivalSepultura
Amilcar Christófaro substitui Eloy Casagrande durante show em festival

Sepultura: gravações do novo álbum já foram concluídas pela bandaSepultura
Gravações do novo álbum já foram concluídas pela banda

Sepultura: Faleceu pai de Eloy Casagrande

Sepultura: Andreas Kisser usará guitarra com cores do movimento LGBT no Rock in RioSepultura
Andreas Kisser usará guitarra com cores do movimento LGBT no Rock in Rio

Em 02/09/1993: Sepultura lançava o clássico "Chaos A.D."

Sepultura: novo álbum já tem nome, diz Andreas KisserSepultura
Novo álbum já tem nome, diz Andreas Kisser

Petbrick: ouça novo single de projeto experimental de Iggor Cavalera

Max Cavalera: ele não entende como o Slayer consegue pensar em se aposentarMax Cavalera
Ele não entende como o Slayer consegue pensar em se aposentar

Religiões: as guerras santas abordadas em letras de Heavy MetalReligiões
As guerras santas abordadas em letras de Heavy Metal

Sepultura: a história por trás do álbum Beneath The RemainsSepultura
A história por trás do álbum "Beneath The Remains"

Igor Cavalera: O 1° show do Sepultura e as tretas do início da carreiraIgor Cavalera
O 1° show do Sepultura e as tretas do início da carreira


Em cana: os rockstars em suas fotos mais constrangedorasEm cana
Os rockstars em suas fotos mais constrangedoras

Hard Rock e Heavy Metal: Os 10 videos mais toscos sem quererHard Rock e Heavy Metal
Os 10 videos mais toscos "sem querer"

Músicas Ruins: blog elege as piores de grandes bandas do Rock/MetalMúsicas Ruins
Blog elege as piores de grandes bandas do Rock/Metal

Dave Mustaine: 10 coisas que você não sabia sobre eleDave Mustaine
10 coisas que você não sabia sobre ele

Manowar: o dia em que a banda arregou pro Twisted SisterManowar
O dia em que a banda arregou pro Twisted Sister

Metallica: os álbuns da banda, do pior para o melhorMetallica
Os álbuns da banda, do pior para o melhor

Metallica: Lars Ulrich é, sim, um ótimo bateristaMetallica
Lars Ulrich é, sim, um ótimo baterista


Sobre Thiago El Cid Cardim

Thiago Cardim é publicitário e jornalista. Nerd convicto, louco por cinema, séries de TV e histórias em quadrinhos. Vegetariano por opção, banger de coração, marvete de carteirinha. É apaixonado por Queen e Blind Guardian. Mas também adora Iron Maiden, Judas Priest, Aerosmith, Kiss, Anthrax, Stratovarius, Edguy, Kamelot, Manowar, Rhapsody, Mötley Crüe, Europe, Scorpions, Sebastian Bach, Michael Kiske, Jeff Scott Soto, System of a Down, The Darkness e mais uma porrada de coisas. Dentre os nacionais, curte Velhas Virgens, Ultraje a Rigor, Camisa de Vênus, Matanza, Sepultura, Tuatha de Danaan, Tubaína, Ira! e Premê. Escreve seus desatinos sobre música, cinema e quadrinhos no www.observatorionerd.com.br e no www.twitter.com/thiagocardim.

Mais informações sobre Thiago El Cid Cardim

Mais matérias de Thiago El Cid Cardim no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336