Kiss: vale a pena investir cada centavo!

Resenha - Monster - Kiss

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por André Toral, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Um dos trabalhos mais esperados do ano, "Monster", foi lançado em 5 de outubro de 2012, e é o vigésimo álbum de estúdio do Kiss.
3758 acessosPaul Stanley: "guitarristas não aprendem a fazer base"5000 acessosAnos 90: bandas de hard rock e metal que decepcionaram os fãs

Considerando que o debut da banda foi lançado em 18 de fevereiro de 1974, já se passam pouco mais de 38 anos até Monster.

Além disso, existem várias histórias e declarações que antecederam o mais novo álbum do Kiss.

A primeira vez que a banda se pronunciou sobre a gravação de um novo álbum foi através do Gene Simmons, em uma entrevista para a Guitar Hero: Warriors of Rock em 2010, onde ele disse que a banda tinha intenção em lançar um sucessor de "Sonic Boom".

Já em março de 2011 o mesmo Gene Simmons, em entrevista de rádio para a Heavy Metal Thunder, disse que a banda iria entrar em estúdio em três semanas para iniciar as gravações do que viria a se tornar o "Monster", e que eles já tinham em torno de 20 a 25 músicas prontas para gravar.

Inicialmente o álbum estava programado para ter 10 faixas. Mais tarde, Gene Simmons disse que seriam 15 as músicas inéditas presentes no álbum, que acabaram sendo reduzidas para as 13 atuais.

Monster foi produzido pela dupla Paul Stanley e Greg Collins (a mesma de Sonic Boom) e foi gravado em Los Angeles, sendo que o processo de gravação terminou em 6 de janeiro de 2012. E sinceramente, nada melhor do que alguém da própria banda para também cumprir esta nobre função de produção, como é o caso de Paul Stanley.

Muitas vezes isso pode não funcionar muito bem em outras bandas, mas no Kiss isso se mostra um grande diferencial pela qualidade alcançada em "Monster" e pela manutenção das características principais que caracterizou o Kiss ao longo dos anos.

E, além disso, "Monster" foi gravado com equipamentos analógicos ao invés de digitais, o que conferiu ao álbum uma sonoridade mais pesada e mais encorpada.
O primeiro single lançado foi "Hell or Hallelujah" em 02 de julho de 2012. E o seu lançamento foi uma pequena demonstração de que a banda estava voltando com força total.

"Hell or Hallelujah "é uma música empolgante, vigorosa, forte e que tem um refrão que remete a vários clássicos da banda. Tudo regado a arranjos classicamente hard rock para grandes arenas cantarem em coro.

Já o segundo single, "Long Way Down", lançado em 23 de outubro de 2012, mostrou que a banda também estava investindo num hard rock mais melódico com aqueles refrões mais dramáticos que muito se viu em álbuns anteriores.

Inclusive Gene Simons declarou que "Monster" é uma combinação de três álbuns anteriores: "Destroyer", "Revenge" e "Sonic Boom".

E de fato ele tem razão. "Monster" é melhor que "Sonic Boom" e muito melhor que "Psycho Circus", e o fato de Peter Criss e Ace Frheley não estarem nele de pouco importa, pois Tommy Thayer e Eric Singer, respectivamente guitarrista e baterista, mandam muito bem! E é fato que eles já estão totalmente integrados com as raízes da banda.

Já Paul Stanley está cantando divinamente bem. Ele pode não ter a mesma voz de antes, mas isso não ressalta em estúdio, e a prova disso é a voz de ouro que ele nos oferece em "Monster". Já Gene Simmons nunca foi um eximo cantor, mas a voz dele também identifica a banda, e além disso o baixo dele, como sempre, deixa claro que ele é um baixista que influencia pelos arranjos muito criativos ao longo dos anos.

Paul Stanley também é que mais contribuiu com as letras do álbum, e não participou em apenas duas (uma de Simmons e outra de Thayer)
Enfim, "Monster" é um álbum forte e inspirado, com um som bem "up" e que mantém o legado e as características do Kiss intactos.

Na verdade, ele apresenta uma série de influências dos anos 60 e 70 como Jimmy Hendrix (em "Freak") e Jeff Beck (a introdução de "Long Way Down"). Além disso, "Eat Your Heart Out" relembra todos os elementos clássicos que a banda utilizava antigamente em outros álbuns. Sem contar que "Back to the Stone Age" é um hino em "Monster". Outras canções são mais melodiosas como "All For The Love Of Rock & Roll" cantada pelo baterista Eric Singer. Aliás, assim como em "Sonic Boom", as canções cantadas por Singer e Thayer são destaques, ficaram excelentes!

Para quem pensa que a banda só visa o lucro e o marketing, "Monster" também mostra que os caras ainda tem competência de sobra para nos oferecer ótimos trabalhos.

Não que isso elimine outra forte característica da banda nos últimos 10 anos (marketing), mas acima de tudo Paul Stanley e Gene Simmons são músicos notáveis e altamente criativos, que ainda podem surpreender muito os seus fãs.

E "Mosnter" prova exatamente isso, bem como deixa claro que é candidato fácil para os melhores álbuns do ano.
"Monster" estreou na parada americana no terceiro lugar, uma posição abaixo do disco anterior, que ficou em segundo na semana de estréia - aliás, este segundo lugar foi o melhor resultado que o Kiss obteve em termos de posição na parada; o terceiro lugar vem a seguir, tendo sido atingido pelo disco "Psycho Circus" e por este. Um belo resultado, mostrando a força que a banda ainda tem.

Vale a pena investir cada centavo!

Track List:

1."Hell or Hallelujah" 4:08
2."Wall of Sound" 2:56
3."Freak" 3:36
4."Back to the Stone Age" 3:02
5."Shout Mercy" 4:05
6."Long Way Down" 4:07
7."Eat Your Heart Out" 3:51
8."The Devil is Me" 3:41
9."Outta This World" 4:29
10."All for the Love of Rock & Roll" 3:22
11."Take Me Down Below" 3:25
12."Last Chance" 3:06
13."Right Here Right Now" 3:58

Nota: 8,5

Banda:
Paul Stanley – vocais, guitarra rítmica
Gene Simmons – vocais, baixo
Tommy Thayer – guitarra, vocais
Eric Singer – bateria, vocais

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Monster - Kiss

4856 acessosKiss: intenso, coeso e divertido até dizer chega4297 acessosKiss: grande sopa de influências dos anos 60 e 702796 acessosKiss: transbordando vitalidade e rock n' roll2693 acessosKiss: fez a alegria dos fãs de todas as fases da banda2960 acessosKiss: como sempre, os mascarados não decepcionaram2341 acessosKiss: aguardado por todos os soldados mais fiéis5000 acessosKiss: "Monster" é o melhor disco da banda em 21 anos5000 acessosKiss: Com "Monster" banda mostra que ainda é relevante

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 21 de novembro de 2012

Paul StanleyPaul Stanley
"Guitarristas não aprendem a fazer base"

457 acessosAce Frehley: "Anomaly" ganha versão deluxe; ouça música inédita749 acessosKiss: bicicleta de triathlon em edição limitada0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Kiss"

KissKiss
Perguntas, respostas e curiosidades diversas

KissKiss
Sexo, drogas e rock 'n' roll são para "manés"

KissKiss
Guia completo de suas mudanças de formação

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Kiss"

Anos 90Anos 90
Bandas de hard e metal que decepcionaram

Eduardo e MônicaEduardo e Mônica
Uma análise do maior sucesso da Legião Urbana

Whiplash.NetWhiplash.Net
O site publica matérias pagas ou protege quem anuncia?

5000 acessosVoz: 10 músicos que cantam tão bem quanto os vocalistas de suas bandas (Parte I)5000 acessosO Whiplash.Net protege algumas bandas e prejudica outras?5000 acessosSteven Tyler: "nunca esquecerei a audição para o Zeppelin"5000 acessosDoro Pesch: valorizando a vida por ter morrido na cadeia5000 acessosMegadeth: será que Dave Mustaine voltaria para o Metallica?5000 acessosPaul Gilbert: o Metallica acabou com o Blues no Metal

Sobre André Toral

Formado em Administração de Empresas. Curte Hard clássico dos anos 70 e início dos 80; Heavy Metal é sua religião.

Mais matérias de André Toral no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online