Deformed Slut: Abrir caminho na cena do Brutal Death Metal

Resenha - Stench of Carnage - Deformed Slut

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marcos Garcia
Enviar Correções  

8


Em geral, as bandas que abordam temas Splatter/Gore tem um público limitado, já que no inconsciente coletivo de muitos, as letras das bandas, capazes de causar torrentes de vômito nos legistas e coveiros mais 'from Hell', esconderia uma falta de técnica ou capacidade de fazer música de alto nível, o que é uma mentira crassa, um ideia errônea e mostra que o radicalismo do público do Metal é de todos os lados para todos os gostos, o que é uma pena, pois certa dose de brutalidade e humor negro são muito bem vindos de vez em quando, especialmente quando bem feitas, o que é o caso do DEFORMED SLUT, do Paraná, que estão dispostos a abrir caminho na cena do Brutal Death Metal, que chega com seu primeiro CD próprio, 'Stench of Carnage', depois do Demo CD de 2008, 'Cadaveric Carcass'.

Hair Metal: Os maiores cabelos da história do rock pesadoCourtney Love: ajudando a resolver os maiores mistérios do mundo

A dupla aposta em uma sonoridade bem extremada, mas que debaixo de tamanha brutalidade sonora, apresenta uma técnica muito boa, com vocais ora guturais de doer as garganta, ora com berros mais rasgados, guitarras ensandecidas, baixo bem firme na marcação e uma bateria programada bem técnica, e os rapazes não ficam apenas na velocidade exagerada, mas alternam com andamentos mais cadenciados e outros mais moderados, com letras de virar estômagos de aço.

Produzido por Maiko Thome e pela própria dupla, temos uma gravação que exacerba a brutalidade da banda sem ser mal feita ou suja, ou seja, é bem limpa, permitindo que se ouça cada instrumento e nuance musical sem problema algum. A arte gráfica (feita por Rodrigo Bueno) é muito boa, enfocando o lado Gore da banda, ficando a clara impressão que estamos vendo de perto um livro sobre serial killers.

Quando o CD começa a rolar, aí a coisa engrossa de vez, pois tome logo de cara uma bela tijolada com 'Necrobscurity Necrophile', com quebradas de ritmo bem feitas, variações de andamento interessantes e bases de guitarra muito boas; a empolgante e esporrenta 'Rotten Mutilated Devoured', onde fica evidente que a programação da bateria é perfeita; 'The Monstrous Monochromatism' é uma faixa que, além de agressiva, apresenta uma técnica musical longe de ser desprezível ou ponto comum; 'Gun of Annihilation', pesada e com ótimos riffs de guitarra e bumbos velozes, e variações muito boas; a variada e amassa-crânios 'Stench of Carnage'; e a rápida e intensa 'Cadaveric Carcass', com vocais urrados bem legais e momentos onde o baixo aparece bastante.

Resumo da ópera: mais um bom nome da cena brasileira, que terá seu trabalho distribuído no exterior, logo, que tal darem uma chance a si mesmos antes do sucesso, e conhecerem o trabalho da dupla?

Stench of Carnage – Deformed Slut
(2012 - Rapture Records – Nacional )

Tracklist:

01. Necrobscurity Necrophile
02. Rotten Mutilated Devoured
03. The Monstrous Monochromatism
04. Disemboweled
05. Gun Of Annihilation
06. Stench Of Carnage
07. Cadaveric Carcass
08. Slashing Your Flesh (In Fillet)

Formação:

Adriano Sekne – Vocais
Alexandre W.A – Guitarras, Baixo, programador de Bateria

Contatos:

https://www.facebook.com/officialdeformedslut?ref=ts
http://www.myspace.com/deformedslut
http://www.youtube.com/user/Cadavericslut


Outras resenhas de Stench of Carnage - Deformed Slut

Resenha - Stench Of Carnage - Deformed SlutResenha - Stench Of Carnage - Deformed SlutResenha - Stench Of Carnage - Deformed SlutResenha - Stench of Carnage - Deformed SlutResenha - Stench of Carnage - Deformed Slut


Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Hair Metal: Os maiores cabelos da história do rock pesadoHair Metal
Os maiores cabelos da história do rock pesado

Courtney Love: ajudando a resolver os maiores mistérios do mundoCourtney Love
Ajudando a resolver os maiores mistérios do mundo


Sobre Marcos Garcia

Marcos Garcia é Mestrando em Geofísica na área de Clima Espacial, Bacharel e Licenciado em Física, professor, escritor e apreciador de todas as subdivisões de Metal, tendo sempre carinho pelas bandas mais jovens e desconhecidas do público, e acredita no Underground como forma de cultura e educação alternativas. Ainda possui seu próprio blog, o Metal Samsara, e encara a vida pela máxima de Buda "esqueça o passado, não pense no futuro, concentre-se apenas no presente".

Mais matérias de Marcos Garcia no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin