Clássicos imortais: os 30 anos de Rust In Peace, uma das poucas unanimidades do metal

Resenha - Rust In Peace - Megadeth

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Mateus Ribeiro
Enviar correções  |  Ver Acessos

Não há dúvidas que o Megadeth é uma das maiores e mais influentes bandas da história do heavy metal. Também não é segredo para ninguém que muito da trajetória de sucesso do grupo capitaneado por Dave Mustaine passa por um álbum: "Rust In Peace", lançado em 24 de setembro de 1990.

Megadeth: trailer de documentário de Nick Menza mostra membros do PanteraKiss FM: as 500 mais tocadas pela rádio em 2008

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O quarto disco de estúdio do Megadeth é o ápice da evolução musical que a banda começou a demonstrar a partir do segundo lançamento, o fantástico "Peace Sells... But Who's Buying?" (1986). Foi em "Rust In Peace" que todo o potencial de Dave Mustaine e sua turma foi mostrado ao mundo. É importante frisar que o patamar de qualidade da banda subiu muito com a entrada de Marty Friedman como guitarrista e Nick Menza como baterista, que ao lado do baixista David Ellefson completam a formação clássica do Megadeth, responsável pelos maiores clássicos escritos pelo grupo.

É claro, óbvio e evidente, que qualquer nota um pouco mais detalhada sobre "Rust In Peace" não poderia deixar de começar sem falar de duas das melhores músicas do Megadeth, que por sinal, também formam uma das dobradinhas mais lembradas do heavy metal: "Holy Wars... The Punishment Due" e "Hangar 18".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A primeira música do disco é até hoje a música mais conhecida da banda, com toda a razão. O riff matador, a velocidade das guitarras e da bateria, o baixo marcante e a voz de Dave Mustaine, mais "patônica" do que nunca, marcam presença em uma música que até hoje é um dos maiores hinos do thrash metal. Destaque especial para a letra, que fala sobre os malditos e intermináveis conflitos religiosos, que continuam sendo um problema gigantesco e parece não ter fim.

"Hangar 18" mantém o alto nível, mas a letra fala sobre ufologia, tema que o saudoso Nick Menza admirava demais. Ah, e se você gosta de guitarra, vai delirar com os ONZE solos que aparecem durante a música (pode contar).

Megadeth: um passeio de ida e volta pelo Hangar 18Megadeth
Um passeio de ida e volta pelo Hangar 18

A sequência de "Rust In Peace" mescla rapidez e muita técnica, como pode ser conferido na as aceleradíssimas "Take No Prisoners" e "Poison Was The Cure" (terceira e quinta faixas, respectivamente). No meio das duas, a maravilhosa "Five Magics", que talvez seja a música mais intrincada e complexa do Megadeth, com um final apoteótico.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A segunda metade do disco começa com "Lucretia", música com um clima um pouco mais leve, que vai crescendo, até chegar em um solo contagiante. Falando em solo, a faixa seguinte, "Tornado Of Souls" tem um inesquecível, considerado por muitos (inclusive por este que vos escreve) como a maior contribuição de Marty Friedman ao Megadeth.

Após a curta "vinheta" de "Dawn Patrol" (o único momento fraco do disco), a violenta "Rust In Peace... Polaris" fecha o disco com maestria e muito peso.

Apesar de ter sido lançado há (quase) trinta anos, "Rust In Peace" continua sendo uma referência enorme para bandas de heavy e thrash metal. Mesmo tento lançado outros discos maravilhosos, como "Youthanasia" ou "Countdown To Extinction", apenas "Rust In Peace" se encaixa na categoria "unanimidade do metal". Afinal de contas, quem não gosta de "Rust In Peace", ou é surdo ou tem mau gosto.

O que você acha sobre "Rust In Peace"? Opine nos comentários!


Outras resenhas de Rust In Peace - Megadeth

Megadeth: Em 1990, um dos maiores discos de Thrash da históriaMegadeth
Em 1990, um dos maiores discos de Thrash da história

Megadeth: Um disco caracteristicamente muito velozMegadeth: Uma das obras mais influentes do Thrash MetalResenha - Rust in Peace - Megadeth



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Megadeth"


Megadeth: trailer de documentário de Nick Menza mostra membros do PanteraMegadeth
Trailer de documentário de Nick Menza mostra membros do Pantera

Megadeth: Dave Mustaine e filha em cover de Come Together dos BeatlesMegadeth
Dave Mustaine e filha em cover de "Come Together" dos Beatles

Megadeth: Symphony of Destruction e suas curiosidadesMegadeth
"Symphony of Destruction" e suas curiosidades

Megadeth: Playlist para ouvir na quarentenaMegadeth
Playlist para ouvir na quarentena

Kiko Loureiro: ainda sou meio que parte do Angra, eles ainda precisam de mimKiko Loureiro
Ainda sou meio que parte do Angra, eles ainda precisam de mim

Chris Poland: Ouça o álbum fusion do ex-Megadeth

Megadeth: veja a banda tocando jazzão antes de show na Bulgária (vídeo)Megadeth
Veja a banda tocando "jazzão" antes de show na Bulgária (vídeo)

Em 06/03/1970: nascia o guitarrista Chris Broderick

Kiko Loureiro: músico está vendendo mais de 80 guitarras, pedais e amplificadoresKiko Loureiro
Músico está vendendo mais de 80 guitarras, pedais e amplificadores

Trintões: discos que completarão trinta anos em 2020 - Parte 1Trintões
Discos que completarão trinta anos em 2020 - Parte 1

Megadeth: 150 bateristas tocando Symphony Of Destruction em SPMegadeth
150 bateristas tocando "Symphony Of Destruction" em SP

Megadeth: Mustaine explica um dos motivos da saída de Marty FriedmanMegadeth
Mustaine explica um dos motivos da saída de Marty Friedman


Kiss FM: as 500 mais tocadas pela rádio em 2008Kiss FM
As 500 mais tocadas pela rádio em 2008

Di'Anno: Harris é como Hitler e o Maiden é entediante!Di'Anno
"Harris é como Hitler e o Maiden é entediante!"


Sobre Mateus Ribeiro

Fanático por Ramones, In Flames e Soilwork. Limeirense com muito orgulho (e sotaque).

Mais matérias de Mateus Ribeiro no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280