Ad Baculum: Trabalho honesto feito por quem sabe do assunto

Resenha - Blackness Doctrine - Ad Baculum

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Ad Baculum é um projeto do antigo e primeiro vocalista do Mystifier, Meugninousoan, que gravou o clássico Wicca (1992) com a horda baiana. A produção do trabalho ficou por conta de Zulbert Buery (baixista de outro grande nome do Metal baiano, Headhunter D.C.), que também representa a Undercover Record’s Brasil.
5000 acessosAquiles Priester: Posters, action figures e latinhas de coca-cola5000 acessosGeordie: A primeira banda do vocalista Brian Johnson

Ad Baculum, o nome, se origina do apelo à força (da expressão latina: argumentum ad baculum) ou argumento do porrete. É uma falácia em que força e coerção são apresentadas como justificativa para uma conclusão falsa. É um modo de apelo à consequencia e ao medo.

Meugninousoan honra seu passado e sua importância na cena neste trabalho, pois trata-se de um grande álbum. Composto por diversos elementos do Metal extremo, Blackness Doctrine impõe características únicas do Death/Black Metal nacional.

Com uma boa produção o disco mantém ótima qualidade entre as nove faixas que o compõe. “Apocalyptical Christians Armageddom” é um belo cartão de visitas, trazendo um pouco de influência da própria ex-banda de Meugninousoan, mas com uma sonoridade mais suja e direta. A faixa título remete às raízes do Black Metal, com uma levada um pouco cadenciada, na linha de uma verdadeira marcha infernal.

O som da banda não procura apenas soar rápido e brutal e, muitas vezes, prioriza peso e certa cadência. Isso se confirma em “Nihilistic Magnum”, que tem uma introdução quase Doom Metal, para depois emanar ódio e brutalidade, com riffs muito bem elaborados.

A temática das letras se baseia em niilismo, morte, guerra, genocídio, entre outros elementos que casam perfeitamente com o clima obscuro que as músicas emitem. “Templarian Kingdom of Terror” comprova isso e é mais um destaque do álbum, com seu arranjo inicial que nos remete à Celtic Frost, mas com características próprias, principalmente em termos de peso.

A capa, apesar de simples, ficou muito interessante e atende à proposta do estilo da banda. Um trabalho honesto, feito por quem sabe do assunto e que trouxe de volta à cena extrema do Metal nacional um excelente vocalista.

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Ad Baculum"

Collectors RoomCollectors Room
Posters, bonecos e Coca-Cola na coleção de Aquiles Priester

PoeiraPoeira
Geordie, o início da trajetória do vocalista Brian Johnson

Morreu DormindoMorreu Dormindo
As últimas horas de vida de Lemmy Kilmister

5000 acessosSegundo Alice Cooper, Slipknot e Manson não assustam mais do que a CNN5000 acessosAs regras do Prog Metal5000 acessosMatt Sorum: músico se posiciona contra James Hetfield3791 acessosGlenn Hughes: "A dor e a mudança são duas certezas da vida"4074 acessosDr. Sin: a crise do rock nacional5000 acessosLucille chora sua viuvez: a história da guitarra de B.B. King

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online