Belphegor: Mais uma obra de arte do Heavy Metal extremo

Resenha - Blood Magick Necromance - Belphegor

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Na ativa desde o distante 1993, é indiscutível que o Belphegor esteja em sua melhor fase, tanto musical quanto comercial. Mantendo como núcleo criador Helmuth (voz e guitarra) e Serpenth (baixo), o duo austríaco está lançando seu nono álbum, "Blood Magick Necromance", que está aportando no Brasil através da Laser Company e contribui para a divulgação da turnê que a banda fará por aqui e que está em vias de acontecer.

Belphegor: banda toca música inédita no Party.San Open Air; assistaSlipknot: Joey Jordison revela o verdadeiro motivo de sua saída

"Blood Magick Necromance" é uma progressão dos contínuos esforços do Belphegor em se superar a cada álbum. Sua música, que sempre fundiu com maestria o Black e Death Metal, agora vai para mais além em termos de intensidade, atmosfera e dinâmica, dando espaço para a atuação enriquecedora de violinos e orquestrações comprovarem a amplitude que é o universo Heavy Metal. O resultado, inclusive, consegue ofuscar seus discos anteriores.

E o melhor é que, entre os arranjos contemporâneos, por vezes mais melódicos e épicos, o headbanger que aprecia o Belphegor clássico observará que as raízes negras e blasfemas continuam lá, intactas. Não há como não tecer os devidos elogios à forma como Helmuth explora suas linhas vocais, que faz uso do inglês e alemão; e ainda ao turbilhão e diversidade oferecidos pelo trabalho das guitarras - atentem para "Rise To Fall And Fall To Rise", "Impaled Upon The Tongue Of Sathan", "Possessed Burning Eyes" ou "Discipline Through Punishment".

E as canções se completam com as imagens exageradamente sado-delirante-realistas espalhadas pelo encarte de "Blood Magick Necromance". Com a refinada produção de Peter Tägtgren gerando um áudio definidíssimo, esta é mais uma pequena obra de arte do Heavy Metal extremo e que certamente aumentará ainda mais a já significativa base de fãs do Belphegor pelo underground!

Contato:
http://www.belphegor.at
http://www.myspace.com/belphegor

Formação:
Helmuth - voz e guitarra
Serpenth - baixo
Marthyn - bateria

Belphegor - Blood Magick Necromance
(2011 - Nuclear Blast Records / Laser Company Records - nacional)

01. In Blood - Devour This Sanctity
02. Rise To Fall And Fall To Rise
03. Blood Magick Necromance
04. Discipline Through Punishment
05. Angeli Mortis De Profundis
06. Impaled Upon The Tongue Of Sathan
07. Possessed Burning Eyes
08. Sado Messiah


Outras resenhas de Blood Magick Necromance - Belphegor

Belphegor: Ainda no topo do cenário extremo musicalBelphegor: Fazendo juz ao termo "Black/ Death Metal Art"Belphegor: Se superando a cada novo lançamento



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Belphegor"


Belphegor: banda toca música inédita no Party.San Open Air; assista

Belphegor: Dane-se a Igreja, precisamos de mais Metal!Belphegor
"Dane-se a Igreja, precisamos de mais Metal!"

Belphegor: frontman quase morreu por doença do BrasilBelphegor
Frontman quase morreu por doença do Brasil


Slipknot: Joey Jordison revela o verdadeiro motivo de sua saídaSlipknot
Joey Jordison revela o verdadeiro motivo de sua saída

Queen: ouça a voz isolada de Freddie Mercury em clássicosQueen
Ouça a voz isolada de Freddie Mercury em clássicos

Há quem goste: As 10 bandas mais odiadas do universoHá quem goste
As 10 bandas mais odiadas do universo

Dave Mustaine: 10 coisas que você não sabia sobre eleDoom Metal: os dez trabalhos essenciais do estiloRolling Stone: os melhores álbuns de estreia segundo os leitoresLinkin Park: mulher recita letra da banda para salvar homem de suicídio

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.