Belphegor: Fazendo juz ao termo "Black/ Death Metal Art"

Resenha - Blood Magick Necromance - Belphegor

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Flávio Mendes
Enviar Correções  

8


É incrível o quanto os austríacos do BELPHEGOR vêm evoluindo à cada álbum lançado, explorando elementos de música clássica, temáticas BDSM e, é claro, proclamar blasfêmias, fator presente na grande maioria das bandas do cenário Black Metal. Este último álbum, lançado no início de 2011, é uma grande prova da maturidade musical e segurança da banda, principalmente por explorar novos elementos como as orquestrações acrescentadas nas músicas, sem comprometer seus trabalhos anteriores. Nem as constantes mudanças de formação trouxeram deficiência ao poder de fogo desses músicos.

Corey Taylor: Sexo com Lita Ford e Doro Pesch era o seu sonho de infânciaAs regras do Punk Rock

O álbum inicia à todo vapor com a excelente "In Blood - Devour This Sanctity", com palhetadas velozes, típicas do metal extremo, a bateria alternando entre blast beats e pegada mais thrash metal no refrão, e os vocais de Helmuth também alternam, entre os grunhidos e guturais. A música contém um belo solo, curto e direto.

Na sequência "Rise To Fall And Fall To Rise", traz uma atmosfera de música clássica mesclada com doom, vocais duplos, de efeito e bateria e guitarra em ritmo mais lento, porém os bumbos duplos em constante velocidade, fator persistente na maioria das faixas do álbum. A próxima, faixa-título do álbum, mantém a mesma pegada da música anterior, cadenciando a porradaria com passagens mais doom, os blast beats voltam a todo vapor, os vocais de Helmuth em partes com um efeito distorcido e interessante, e um refrão mais melódico. A música "Discipline Through Punishment" carrega uma belíssima melodia nos versos, destacando os vocais de Helmuth, com os riffs e bateria mais lentos e um solo mais longo, belíssimo por sinal, mostrando uma banda com uma técnica musical bem apurada.

A faixa "Angeli Mortis De Profundis" é mais rápida e pesada, explorando algumas curtas passagens de melodia. Em seguida a música de trabalho do álbum, a excelente "Impaled Upon The Tongue Of Sathan", com uma atmosfera sombria e carregada (inclusive a banda fez um vídeo para esta faixa), cadenciando entre os vocais limpos e rasgados de Helmuth, um refrão que soa violento e melódico ao mesmo tempo, a bateria alterna entre os blast beats e uma levada mais thrash. "Possessed Burning Eyes" é mais dinâmica, inicia com peso extremo mais logo deslancha para melodias, no meio da música entra uma guitarra mais limpa, que soa belíssima acompanhando as palhetadas e a bateria. A última faixa é a mais pesada, "Sado Messiah" é de tirar o fôlego, mais crua e direta, onde os vocais rasgados e blast beats perseveram por toda a faixa.

O álbum possui uma ótima produção (realizada pelo respeitado Peter Tägtgren (HYPOCRISY)), merecida as bandas que evoluem e merecem maior investimento. E percebe-se que os austríacos realmente fazem juz ao termo "Black/Death Metal Art"!

BELPHEGOR - Blood Magick Necromance
(2011, Nuclear Blast Records (Importado))

Formação:
Hel "Helmuth" Lennart: Vocais, Guitarras, Baixo
Serpenth: Baixo
Martin "Marthyn" Jovanović: Bateria

Track-list :
1 - In Blood - Devour This Sanctity
2 - Rise To Fall And Fall To Rise
3 - Blood Magick Necromance
4 - Discipline Through Punishment
5 - Angeli Mortis De Profundis
6 - Impaled Upon The Tongue Of Sathan
7 - Possessed Burning Eyes
8 - Sado Messiah

Total: 40:42 minutos


Outras resenhas de Blood Magick Necromance - Belphegor

Resenha - Blood Magick Necromance - BelphegorResenha - Blood Magick Necromance - BelphegorResenha - Blood Magick Necromance - Belphegor


Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Belphegor: frontman quase morreu por doença do BrasilBelphegor
Frontman quase morreu por doença do Brasil

Belphegor: Dane-se a Igreja, precisamos de mais Metal!Belphegor
"Dane-se a Igreja, precisamos de mais Metal!"


Corey Taylor: Sexo com Lita Ford e Doro Pesch era o seu sonho de infânciaCorey Taylor
Sexo com Lita Ford e Doro Pesch era o seu sonho de infância

As regras do Punk RockAs regras do Punk Rock


Sobre Flávio Mendes

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

adWhipDin adWhipDin