DarkTower: banda original da cena extrema nacional

Resenha - Lord ov the VastLands - DarkTower

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marcos Garcia
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O Metal Brasileiro é rico de Norte a Sul, e isso é fato histórico confirmado, já que nosso país é capaz de gerar bandas tão boas, e muitas vezes, melhores que as do exterior, tamanha a capacidade de inovação que o brasileiro tem, melhorada ainda mais com as facilidades tecnológicas dos dias de hoje, com a internet permitindo maior alcance de público, com os computadores e softwares usados em estúdio para gravar. E aí entra o fator brasileiro: o músico é quem faz a música e a executa, e nisso, o Brasil está bem servido. E uma das bandas mais originais da cena extrema nacional é justamente esta: DARKTOWER.

DarkTower: capa, tracklist e data de lançamento de ObedientiaSinceridade: e se as capas de discos dissessem a verdade?

Mesmo sendo rotulada por muitos como Black Metal, a banda é rica musicalmente, lançando mão de vários elementos de outras subdivisões, até mesmo de algumas coisinhas de fora do Metal, o que torna seu trabalho único, e extremamente de bom gosto, e é o que podemos conferir ao pôr seu single "Lord of the Vast Lands" para ouvir.

Apresentação visual extremamente esmerada e bela, permitindo ao ouvinte captar a essência do que está ouvindo, fora a produção musical estar bem acima da média, permitindo a audição perfeita de cada instrumento sem embolar, mas pesada e agressiva. O detalhe interessante é que a própria banda fez toda a produção, tanto a sonora (a mixagem e a masterização foram feitas pelo guitarrista Niccollo e pelo baixista Hanged) quanto a visual (concebida e dirigida pelo baterista Argos).

Abrindo o single, temos a faixa-título, "Lord of the Vast Lands", onde o vocal de Galf vai do rasgado ao gutural com extrema naturalidade, usando também sua voz normal em vários momentos, e o andamento não tão rápido mostra a pegada pesada, conjunta e variada da cozinha de Argos e Hanged, e Niccollo mostra riffs bem agressivos e variados, mas em vários momentos apela para levadas Thrash. Sem querer fazer comparações, está numa linha à lá KEEP OF KALESSIN. "The Mightiest Being" vem em seguida, mostrando mais e mais variações, ora melodiosa, ora agressiva, ora rápida, ora mais cadenciada, e prende o ouvinte, que não consegue deixar de ouvir a música do início ao fim. Encerrando o single, temos uma música mais longa, "Creatures of Moonlight", com seus quase 8 minutos, que inicia bem cadenciada, mas logo vira uma música rápida e com excelentes harmonias na guitarra, indo do Thrash, Death e Black a momentos de Metal Tradicional e Música Clássica, fora Argos mostrar extrema técnica nas baquetas e bumbos, Hanged mostrar que não é só um baixista 'feijão com arroz', e Galf mostrar que não é uma promessa, mas um dos melhores vocalistas do Metal Extremo brasileiro, sem sombra de dúvidas. Pode-se dizer que é uma canção tão cheia de variações de andamento e nuances que o melhor é ouvir com calma.

http://img707.imageshack.us/img707/971/dtpressfront.jpg

Um ótimo aperitivo para o CD que deve estar chegando entre o final deste ano e o início de 2011.

See the Rise, guys!!!!

Tracklist:
01. Lord ov the VastLands
02. The Mightiest Being
03. Creatures of the Moonlight




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Dark Tower"


DarkTower: capa, tracklist e data de lançamento de Obedientia

Sinceridade: e se as capas de discos dissessem a verdade?Sinceridade
E se as capas de discos dissessem a verdade?

Agressividade: 21 caras que fizeram a história do rock pesadoAgressividade
21 caras que fizeram a história do rock pesado

Death Metal: menina de 6 anos detona no America's Got TalentDeath Metal
Menina de 6 anos detona no America's Got Talent

Ricardo Confessori: "Iron Maiden, aposenta logo!"Blender: as letras mais repulsivas do Heavy MetalIron Maiden: clássicos da banda em versões sinfônicasSlipknot: obituário da filha de Clown faz menção à luta contra as drogas

Sobre Marcos Garcia

Marcos Garcia é Mestrando em Geofísica na área de Clima Espacial, Bacharel e Licenciado em Física, professor, escritor e apreciador de todas as subdivisões de Metal, tendo sempre carinho pelas bandas mais jovens e desconhecidas do público, e acredita no Underground como forma de cultura e educação alternativas. Ainda possui seu próprio blog, o Metal Samsara, e encara a vida pela máxima de Buda "esqueça o passado, não pense no futuro, concentre-se apenas no presente".

Mais matérias de Marcos Garcia no Whiplash.Net.