Alice Cooper: um dos pioneiros do chamado "shock rock"

Resenha - Along Came a Spider - Alice Cooper

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fábio Cavalcanti
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


É fato que a maioria dos artistas de rock clássico são facilmente lembrados por muita gente, mesmo por aqueles ouvintes mais casuais e desprovidos de maior conhecimento do gênero. Porém, até esse estilo possui uma "segunda divisão", na qual se encontram certos nomes que mereciam maior destaque em sua longa carreira. Entre eles, temos Alice Cooper, um dos pioneiros do chamado "shock rock", e que acaba de lançar o seu vigésimo quinto álbum: "Along Came a Spider" (2008).

Alice Cooper e Lzzy Hale: eles participarão de single beneficenteHeavy Metal: quais as 10 melhores vozes da história?

Com uma discografia marcada por altos e baixos (muito mais em termos de estilo do que qualidade), a "Tia Alice" entrega mais um trabalho ousado, e um pouco diferente do que se pode ouvir no seu álbum anterior (o razoável "Dirty Diamonds", de 2005). Pra começar, "Along Came a Spider" é um álbum conceitual, que conta a história de um assassino em série chamado Spider. Maiores detalhes não precisam ser revelados, visto que a tarefa de ouvir o álbum pode ser tão agradável quanto assistir a um delicioso filme trash... e dos bons!

Após um monólogo introdutório, o álbum é iniciado com "I Know Where You Live", um ótimo rock 'n' roll que leva o ouvinte à fase setentista de Cooper em grande estilo. A partir da pesada "Vengeance Is Mine", pode-se notar que a sonoridade "vintage" e produção crua do álbum anterior foram mesmo descartadas, em função de uma maior dosagem entre "clássico" e "moderno", além de uma produção mais polida.

Em seguida, temos mais petardos, como a irreverente e divertida "Wake the Dead", a poderosa e grudenta "Catch Me If You Can", a curiosíssima (e ótima) "(In Touch with) Your Feminine Side", e a vibrante "Wrapped in Silk". Porém, o álbum perde um pouco o ritmo com a faixa "Killed by Love", uma balada totalmente sem graça e sem sal. Mas, a redenção surge através da energética e "assustadora" "I'm Hungry", uma das melhores faixas do disco. E "The One That Got Away", mais um bom rock, introduz de forma competente o "ato final" da história, deixando o ouvinte mais interessado pelo seu desfecho.

A balada "Salvation" chega a ser fiel à essência de Cooper, mas também mostra que o lado "light" de "Along Came a Spider" deixou muito a desejar. E por fim, temos a sombria "I Am the Spider", um encerramento digno de uma boa obra de Alice Cooper. O rápido monólogo ao final dessa faixa também é bastante curioso...

Para o ouvinte já acostumado com as várias facetas de Alice Cooper, a experiência de ouvir "Along Came a Spider" é satisfatória logo na primeira audição. Quanto ao ouvinte novato, é importante que este procure por álbuns clássicos como "Killer" (1971) e "Billion Dollar Babies" (1973), para entender melhor a essência "quase teatral" do artista, e assim conseguir "digerir" melhor o novo álbum. Seja como for, o fato é que temos aqui mais uma bela obra na competente discografia da "Tia Alice"!

Músicas:
1. Prologue / I Know Where You Live
2. Vengeance Is Mine
3. Wake the Dead
4. Catch Me If You Can
5. (In Touch with) Your Feminine Side
6. Wrapped in Silk
7. Killed by Love
8. I'm Hungry
9. The One That Got Away
10. Salvation
11. I Am the Spider / Epilogue


Outras resenhas de Along Came a Spider - Alice Cooper

Alice Cooper: Along Came A Spider é concisamente conceitualAlice Cooper: ainda envolvente com sua teia roqueiraAlice Cooper: mestre na arte de mesclar música e horror




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Alice Cooper"


Alice Cooper e Lzzy Hale: eles participarão de single beneficente

Alice Cooper: use a maquiagem dele neste filtro de Instagram para o HalloweenAlice Cooper
Use a maquiagem dele neste filtro de Instagram para o Halloween

Phil Campbell: ouça música solo do guitarrista do Motörhead com Alice CooperPhil Campbell
Ouça música solo do guitarrista do Motörhead com Alice Cooper

Alice Cooper: Despretensioso e energético em Breadcrumbs

Alice Cooper: cantor divulga novo EP Breadcrumbs, com covers e homenagensAlice Cooper
Cantor divulga novo EP "Breadcrumbs", com covers e homenagens

Alice Cooper: veja lyric video de nova música "Detroit City 2020"

Hollywood Vampires: Johnny Depp é um rockstar, garante Alice CooperHollywood Vampires
"Johnny Depp é um rockstar", garante Alice Cooper

Alice Cooper: pacto de morte com esposa é na verdade pacto de vidaAlice Cooper
Pacto de morte com esposa é na verdade "pacto de vida"

Separados no nascimento: Alice Cooper e GretchenSeparados no nascimento
Alice Cooper e Gretchen


Heavy Metal: quais as 10 melhores vozes da história?Heavy Metal
Quais as 10 melhores vozes da história?

Dream Theater: o vacilo na capa de A Dramatic Turn of EventsDream Theater
O vacilo na capa de "A Dramatic Turn of Events"

Full Rock: 10 músicas desgraçadas por bandas de forróFull Rock
10 músicas desgraçadas por bandas de forró

Heavy Metal: cristãos podem aprender muito com o gêneroHeavy Metal
"cristãos podem aprender muito com o gênero"

Capas de álbuns: 30 das piores artes da históriaCapas de álbuns
30 das piores artes da história

Whitesnake: as músicas da vida de David CoverdaleWhitesnake
As músicas da vida de David Coverdale

Dream Theater: como soaria cada instrumento isolado?Dream Theater
Como soaria cada instrumento isolado?


Sobre Fábio Cavalcanti

Baiano, sempre morou em Salvador. Trabalha na área de Informática e ¨brinca¨ na bateria em momentos vagos, sem maiores pretensões. Além disso, procura conhecer novas - e antigas - bandas dos mais variados subgêneros do rock. Por fim, luta para divulgar, sempre que possível, o pouco conhecido cenário rocker da tão sofrida ¨Terra do Axé¨.

Mais matérias de Fábio Cavalcanti no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336