Matérias Mais Lidas

imagemAs seis músicas do Metallica que Dave Mustaine ajudou a escrever

imagemAnitta é a maior roqueira que existe hoje no Brasil, diz integrante do Titãs

imagemSérgio Moro elege banda clássica de Rock como sua favorita

imagemJoão Gordo relembra proposta de fazer propaganda de calmante com Dado Dolabella

imagemAs faixas do "Black Album" que James Hetfield e Lars Ulrich não curtem

imagemJanis Joplin: última gravação dela em vida foi feita para um Beatle

imagemRock in Rio: Pitty alfineta a produção do festival ao revelar qual seria sua exigência

imagemQuando Derico, do Programa do Jô, descobriu que Ian Anderson tocava tudo errado

imagemRegis Tadeu expõe como Spotify e YouTube fazem falcatrua para fraudar views

imagemJoão Guilherme, filho do Faustão, critica atual falta de interesse dos jovens pelo rock

imagemO hit da Legião que Renato Russo compôs para Cássia Eller e traz coincidência trágica

imagemMichael Sweet posta nude cristão para satirizar foto de Tommy Lee com a baqueta de fora

imagemBruce Dickinson revela qual é sua música preferida do Iron Maiden

imagemVídeo de clássico do Kiss é disponibilizado no canal oficial da banda

imagemPrika diz que fez "tudo errado" na primeira turnê da Nervosa, mas aprendeu lição


Stamp

Review: Mercenary é melódico, pesado e inspirado

Resenha - Hours That Remain - Mercenary

Por Ben Ami Scopinho
Em 15/02/07

Nota: 8

Vindo da Dinamarca, o Mercenary obteve ótimas críticas com seu último registro, o badalado "11 Dreams". Mesmo com a favorável perspectiva de um futuro promissor, seu baixista e fundador Kral abandonou o posto, causando certas dúvidas quanto à qualidade do próximo trabalho da banda. Eis que chega a vez de "The Hours That Remain", tendo o contrabaixo tocado provisoriamente por Jacob Hansen (Invocator), que também cuidou da ótima e encorpada produção e, como resultado, um discaço que prova com folgas que seus músicos não estão a fins de decepcionar ninguém.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Inspirado. Esta é a palavra que define este álbum. Tão melódico, mas tão belamente pesado... Mesmo seguindo praticamente a sonoridade de seu antecessor, é perceptível a vontade do Mercenary em ir um pouco além, injetando umas doses extras de melodias por aqui. Houve certa perda de impacto, mas, de qualquer forma, continua incrível a capacidade que o conjunto tem em mesclar as raízes do Power e Thrash Metal, de forma bem moderna e com certa complexidade que até mesmo beira o progressivo em certos níveis.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

As vozes deste álbum adicionam muito às canções. Mikkel Sandager é dono de um desempenho cheio de classe, seja cantando de forma limpa ou com algumas linhas mais agressivas, e os refrões são memoráveis, daqueles que ficamos assobiando de forma viciada, dias a fio, como em "Year Of The Plague" e "Soul Decision", esta última com a participação de Marcus Bischoff (Heaven Shall Burn) na voz. E, como se o trabalho vocal aqui já não fosse suficientemente impressionante, temos a participação do ilustre Björn "Speed" Strid (Soilwork) na ótima abertura "Redefine Me", faixa que mostra logo de cara toda a distinção da música destes dinamarqueses.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Novamente as músicas estão longas – apenas uma possui menos de cinco minutos – e, a cada audição vai-se descobrindo novos e interessantes detalhes encaixados em meio às mais variadas camadas sonoras. "The Hours That Remain" mostra o Mercenary continuando com sua própria maneira de elaborar composições e deixando para trás muitas outras bandas que misturam momentos de fácil assimilação com o lado "quase" extremo da música.

E o melhor: este disco, assim como seu antecessor, foi disponibilizado ao mercado brasileiro num grande lance da Overload Records, sendo uma obrigação constarem na prateleira de qualquer amante de Heavy Metal, em especial daqueles que apreciam bandas que tocam com grande técnica, na linha de Scar Symmetry, Soilwork e Communic.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Formação:
Mikkel Sandager - voz
Martin Buus - guitarra
Jakob Molbjerg - guitarra
Rene Pedersen - baixo
Morten Sandager - teclados
Mike Park - bateria

Mercenary: The Hours That Remain
(2006 / Century Media Records – 2007 / Overload Records – nacional)

01. Redefine Me
02. Year Of The Plague
03. World Is Ending
04. The Eternal Instant
05. Lost Reality
06. Soul Decision
07. Simplicity Demand
08. Obscure Indiscretion
09. My Secret Window
10. The Hours That Remain

Homepage: www.mercenary.dk


Outras resenhas de Hours That Remain - Mercenary

Resenha - Hours That Remain - Mercenary

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Dream Theater 2022


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Kurt Cobain e a banda brasileira que mexeu com ele: "eles foram muito revolucionários"

O trocadilho picante que Ney fazia em "Pro Dia Nascer Feliz" que Cazuza gargalhava


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre

Mais matérias de Ben Ami Scopinho.