Resenha - Let The Tempest Come - Neaera

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Este conjunto foi formado em 2003 na Alemanha e se denominava inicialmente The Ninth Gate, até que, após um ano e já prestes a assinar com a Metal Blade para liberar seu debut, resolvem adotar o curioso nome Neaera. Contando com Benny Hilleke (voz), Tobias Buck (guitarra), Stefan Keller (guitarra), Benjamin Donath (baixo) e Sebastian Heldt (bateria), observa-se um grande progresso, tanto lírico quanto nos arranjos, neste seu segundo álbum "Let The Tempest Come".

Censura: 53 nomes que você não pode dizer em uma rádioSeparados no nascimento: Dave Mustaine e um Cocker Spaniel

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O Death Metal melódico vem apresentando variações dentro de seu próprio estilo, com algumas bandas abusando dos teclados, outras mais melódicas. O Neaera segue uma linha mais brutal, inclusive com uma sugestão do Black Metal em várias ocasiões. Os músicos esbanjam técnica, chamando muita atenção Benny e sua forma totalmente irada de cantar, gritando e rosnando como se estivesse abrindo a boca pela última vez em sua vida; e ainda a dupla de guitarristas que traz uma abundância de notas nas canções.

Estão à disposição grandes momentos como a esmagadora faixa-título, com riffs complexos e melodias bem encaixadas. "God-Forsaken Soul" - com participações especiais das vozes de Kevin Otto, do End Of Days, e Jacob Bredahl, do Hatesphere - e "The Crimson Void", se mostram ligeiramente ainda mais extremas do que a média das faixas. Mas, se por um lado "Let The Tempest Come" traz canções realmente memoráveis, por outro, peca por algumas músicas possuírem linhas de voz e riffs com certa semelhança entre si.

A Alemanha vem mostrando novas bandas de sonoridades mais agressivas com muito potencial, e o Neaera é uma das promissoras. "Let The Tempest Come", mesmo não trazendo muita diversidade entre suas canções, ainda assim é um registro muito bem sucedido, esbanjando brutalidade e com boas melodias, sendo indicado a quem curte bandas como Kalmah e, em menor grau, Children Of Bodom.

Neaera - Let The Tempest Come
(2006 / Metalblade Records - importado)

01. Mechanisms Of Standstill
02. Let The Tempest Come
03. Plagueheritage
04. God Forsaken Soil
05. Heavenhell
06. Desecrators
07. The Crimson Void
08. I Love The World
09. Paradigm Lost
10. Life Damages The Living
11. Scars Of Gray

Homepage: www.neaera.com




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Neaera"


Censura: 53 nomes que você não pode dizer em uma rádioCensura
53 nomes que você não pode dizer em uma rádio

Separados no nascimento: Dave Mustaine e um Cocker SpanielSeparados no nascimento
Dave Mustaine e um Cocker Spaniel


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336