Resenha - Return Of The Champions - Queen

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo
Enviar Correções  


Ouvir este show me fez ter várias sensações, todas contraditórias. Não me sentia triste, e sim feliz, mas uma sensação de perda me tomava. Não me sentia desapontado, me sentia alegre, mas ainda assim faltava alguma coisa. Senti as mesmas coisas quando assisti o show tributo a Freddie Mercury. Sim, era justamente por causa dele. O bigodudo faz muita falta à música, não é de hoje. Portanto, assistir a "volta" do "Queen" é agradável sim, mas ao mesmo tempo, penoso.

publicidade

Bem, no fim das contas esse não é mais o QUEEN. É meio Queen. Meio Queen com convidados especiais. John Deacon decidiu não participar dessa reunião. Temos então no palco Paul Rodgers, um vocalista bom e importante sim, mas morno para uma banda como essa, músicos convidados como o baixista Danny Miranda, o segundo guitarrista Jamie Moses e o tecladista Spike Edney de um lado. Do outro, os anfitriões, esses não mudaram nada, Brian e Roger continuam ótimos e eficientes como nunca. Mas como eu disse à pouco, estão duplamente desfalcados. A magia e a química não estão lá como gostaríamos que estivesse. Você ouve músicas do Queen, mas não parecem músicas do Queen.

publicidade

Apesar disso tudo, o show é competente. Paul Rodgers dá tudo de si e não tenta imitar Freddie em nenhum momento. Alguns dos destaques ficam por conta de "Fat Bottomed Girls", "Crazy Litte Thing Called Love", "A Kind of Magic", "The Show Must Go On" e "We Will Rock You". Algumas 'covers' por assim dizer, como "Wishing Well" e "All Right Now" do Free e "Can't Get Enough" do Bad Company, ambas bandas do Paul. Há também canções cantadas pelos próprios membros do Queen, como a inédita "Say It's Not True", as clássicas "I'm in Love With My Car", "These are the Days of Our Lives" e "Radio Ga Ga", todas cantadas por Taylor, bem como "'39" e a primeira metade de "Hammer to Fall", ambas cantadas por May, e que fazem você voltar no tempo por alguns instantes.

publicidade

Um show regular, pensando em termos de Queen. E todos já sabem o que estava faltando, e o que sempre vai faltar, em qualquer show que os caras fizerem. Vale dar uma conferida? Sim, vale. Mas só para os fãs extremos da banda.

publicidade


Outras resenhas de Return Of The Champions - Queen

Resenha - Return Of The Champions - Queen

Resenha - Return Of The Champions - Queen + Paul Rodgers

Queen: o que é bom ninguém aceita que acabe


WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin