Resenha - Grand Materia - Morgana Lefay

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

9


Músicos persistentes. Após tantos problemas, este é o termo que se encaixa perfeitamente ao pessoal do Morgana Lefay... Amados por muitos headbangers, estes suecos ensaiavam o lançamento deste álbum desde 2004 e voltam com tudo! Com o nome que nunca deveria ter deixado de ser o seu (lembrando que a banda lançou alguns álbuns sob o nome Lefay por problemas legais), e estando novamente na gravadora Black Mark.

Mesmo após cinco anos afastados dos estúdios, o Morgana Lefay retorna com praticamente a mesma formação, sendo Charles Rytkönen (voz), Tony Eriksson (guitarra), Peter Grehn (guitarra), Robin Engström (bateria) e o novo membro Fredrik Lundberg (baixo e ex-Divine Sin). O tempo para colocar a cabeça no lugar e resolver suas pendências fez com que o conjunto viesse com sede de boa música, sentimento que se reflete claramente neste "Grand Materia".

publicidade

Contando a história do alquimista francês Nicholas Flamel, que buscava a vida eterna no século XIV (... e que pelo jeito não conseguiu o que queria...), "Grand Materia" vem com uma leve aura mais moderna e pesada em suas composições, mas nunca em detrimento dos elementos já famosos no seu power metal todo singular e técnico.

Com um clima épico, a faixa-título abre o disco de maneira brilhante. Seu riff denso e linhas de contrabaixo são, assim como na maioria das faixas deste trabalho, totalmente propícias para bangear. "Edge Of Mind" é uma das mais agressivas do CD, com um solo matador, e mostra o já citado elemento moderno, trazendo em suas estruturas algo que lembra o Nevermore, mas de maneira que não descaracterize em nada a conhecida sonoridade do Morgana.

publicidade

A versátil semi-balada "Only Endless Time Remains" mostra o quanto esta banda pode surpreender o ouvinte com a intensidade de sentimentos que colocam em suas composições. A voz irritadiça e limpa de Charles continua sendo a característica mais marcante nas canções do grupo, se saindo muito bem em "My Funeral Is Calling", obscura e com uma fúria digna do estilo thrash metal. Porém, seu melhor desempenho fica em "Emotional Sanctuary", uma canção calma com explosões de distorção em vários momentos, aqui o cara canta muito, mas muito mesmo.

publicidade

"Grand Materia" é um álbum incrível e que supera com folgas seus últimos registros lançados sob nome Lefay. Traz todos os elementos indispensáveis aos fãs e ainda é muito indicado aos amantes do power, epic e até mesmo a quem curte a arrastada atmosfera doom metal.

Morgana Lefay - Grand Materia
(2005 / Black Mark Records - importado)

01. Grand Materia
02. My Funeral Is Calling
03. Only Endless Time Remains
04. Hollow
05. Edge Of Mind
06. On The Other Side
07. I Roam
08. Emotional Sanctuary
09. Angels Deceit
10. Operation Of The Sun
11. Blind
12. My Task Is Done

publicidade

Homepage: www.morganalefay.se


Outras resenhas de Grand Materia - Morgana Lefay

Morgana Lefay: Entre o underground e o mainstream




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Bruce Dickinson: Use Your Illusions? Aquele formato é uma bosta!Bruce Dickinson
Use Your Illusions? Aquele formato é uma bosta!

Sign of the horns: o sinal do DemônioSign of the horns
O sinal do Demônio


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin