Resenha - Demigod - Behemoth

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  


Behemoth rodou o Brasil com apresentações cuja reação do público headbanger impressionou seus músicos, que consideraram alguns shows por aqui como sendo os melhores de sua carreira. E o disco que estava sendo divulgado era este "Demigod".

Vindos da distante Polônia, Behemoth apresentava em sua demo de 1992 o puro black metal norueguês, mas que com o passar dos anos e lançamentos, foi incorporando de maneira bastante distinta elementos do death metal, numa fusão tão completa que atualmente é muito difícil (e até mesmo irrelevante) definir o que praticam em sua música. Basta dizer que se tornaram um dos grandes nomes do underground da música extrema em seu país natal e no mundo.

publicidade

Em seu sétimo álbum, Nergal (voz e guitarra), Orion (baixo) e Inferno (Bateria) foram além, investindo pesado na antiga cultura das grandes nações do oriente, em especial a egípcia. O resultado final é brutal e intenso, com detalhes espetaculares em músicas que muitas vezes estão cheias de variações ousadas para o gênero. São cornetas, seções acústicas, tudo misturado com uma distorção absurda. Os riffs que honram o estilo Death Metal estão em grande profusão aqui, aliados a ótimos solos de guitarras, mesmo quando estes são apresentados de maneira simples.

publicidade

A atuação de Nergal é impressionante. Sua voz gutural parece vir literalmente do fundo das regiões abissais. Mas creio que, em termos individuais, o grande destaque é o baterista Inferno, que desempenha sua função com uma técnica louvável, cheia de viradas e de maneira muito criativa. E talvez pelo fato de "Demigod" conter tanto da cultura egípcia em sua música e letras, a presença de Karl Sanders, membro do Nile e o maior representante do Death Metal com esta temática oriental na faixa "Xul" foi uma escolha óbvia.

publicidade

Behemoth conseguiu com "Demigod" elaborar um álbum de pura violência sonora, mas eu diria que é um caos musical muito organizado, ainda mais acompanhando as letras abordadas de maneira tão inteligente. Item obrigatório na prateleira dos apreciadores desta arte extrema e também de headbangers que procuram coisas bastante interessantes.

BEHEMOTH – Demigod
(2004 – Century Media)

publicidade

01. Sculpting The Throne Ov Seth
02. Demigod
03. Conquer All
04. The Nephilim Rising
05. Towards Babylon
06. Before Aeons Came
07. Mysterium Coniunctionis (Hermanubis)
08. XUL
09. Slaves Shall Serve
10. The Reign OV Shemsu-Hor

Conquer All (video-bônus)

website: www.behemoth.pl


Outras resenhas de Demigod - Behemoth

Resenha - Demigod - Behemoth


WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin