Matérias Mais Lidas

imagemAndreas Kisser pede doação de sangue para sua esposa Patricia

imagemCinco músicas que são covers, mas você certamente acha que são as versões originais

imagemRock in Rio 1991, Maracanã lotado, e o Guns N' Roses ameaçou não subir ao palco...

imagemO baterista que não tinha técnica alguma e é um dos favoritos do Regis Tadeu

imagemOs únicos quatro assuntos das conversas nos EUA que enchiam saco de Fabio Lione

imagemCopa do Mundo do Rock: uma banda de cada país que vai disputar a Copa do Catar

imagem"Ninguém imaginava que o Metallica seria maior que o Iron Maiden", diz Scott Ian

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1991 é um ano tão celebrado

imagemRafael Bittencourt se sentiu traído e cancelado após saída de Edu Falaschi

imagemSupla explica por que fala sempre misturando português com inglês

imagemDave Mustaine diz que perdoa Ellefson, mas nunca mais fará música com o baixista

imagemYngwie Mamlsteen diz que ex-vocalistas de sua banda sentiam como se fossem Elvis Presley

imagemJohn Frusciante responde qual foi o motivo de seu retorno ao Red Hot Chili Peppers

imagemNovo clipe do Megadeth ultrapassa meio milhão de visualizações no Youtube

imagemNoel Gallagher sobre sua preferida do Pink Floyd: "Adoraria conhecer Roger Waters"


Stamp

Resenha - Kommander of Kãos - WOW

Por Ben Ami Scopinho
Em 29/12/04

Ao contrário dos dias de hoje, nos anos 80 a mulher não tinha um papel tão relevante dentro da música pesada, tanto que pouquíssimas merecem destaque. Mas com certeza a que realmente honrou toda a marginalidade que o rock n´roll representa, inclusive mais do que muitos homens na época foi esta norte-americana, a rainha da shock rock: Wendy O. Williams.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Vejamos um breve currículo da menina: começa desde os seis aninhos ganhando concursos de pequenos talentos. Com o passar dos anos ela foi de tudo o que se possa imaginar, cozinheira, salva-vidas, dançarina de casas noturnas, estrela pornô (aliás, ela fazia mágica com bolinhas de ping-pong nesses filmes...) e por aí vai.

Em 78 criou o Plasmatics, legendária banda punk, tendo muitos shows cancelados, explosões de carros em suas apresentações, prisões por obscenidades em público, ninguém acreditava no que essa garota fazia, convites para shows na TV eram rotina, fez gravações com Lemmy do Motorhead, entre muitas outras coisas. E sua vida não era somente "degradação moral". Ela ainda tinha as manhas de figurar entre as 10 mulheres mais bem vestidas pela revista People. Em 84 Gene Simmons grava seu primeiro e auto-intitulado álbum-solo.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

E em 1986 Wendy coloca no mercado seu próximo solo, "Kommander of Kãos". E que disco! Já a capa mostra sua paixão por destruir coisas usando automóveis, tudo no mais perfeito visual sado-masoquista. Mais heavy que seu antecessor, sua música é uma mistura de Motörhead com algo da melodia hard rock, agressivo e um pouco melodioso. Mas o que mais se destaca é a voz de Wendy, de uma afinada rouquidão única e de maravilhosos gritos.

O disco já começa com singelos grunhidos de porcos, e Hoy Hey (Live to Rock) se inicia numa velocidade e tanto, seguida por "Pedal to the Metal", com coros dando uma força para Wendy. E a terceira faixa começa com guitarras com cheiro de balada... Mero engano. As guitarras vão aumentando de intensidade até explodir na melhor faixa do disco, "Goin´ Wild", pura energia que deve ter aberto muitas rodas nos shows da época. A seguir vem "Ain´t None of Your Business", composta pelos caras do Kiss e gravada ao vivo, com um longo discurso de Wendy. O legal desta canção é que, pouco antes do final, a cantora dá um grito longuíssimo, que nunca escutei coisa igual no metal.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Temos ainda a bem sacana "Party", o cover de Motörhead "Jailbait". "Bad Girl" é a mais rock n´roll do disco e com umas guitarras bem engorduradas, grande faixa. "Fight For The Right" é bem na linha hard pesadão, com refrões daqueles que insistem em não sair da nossa cabeça. E fechando o disco temos a pesadíssima (Work That Muscle) F**ck That Booty.

Ainda lançando algum material do Plasmatics depois desse Kommander, ela dá uma sumida do cenário no final dos anos 80, somente voltando a aparecer notícias em 1998, anunciando sua morte aos 48 anos, cuja causa foi suicídio com um tiro na cabeça, deixando um bilhete onde diz "que todos tem o direito de fazer o melhor que julgam para si". Pode até ser verdade, assim como também é verdade que algumas atitudes deixam muita saudade e um sentimento de que ela poderia ter realizado muito mais aqui nessa confusa Terra.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Divulgaram em algumas revistas especializadas que no exterior está sendo lançado seus dois álbuns-solo no formato dois-em-um. Seria muito interessante se alguém tomasse a iniciativa de colocar esse trabalho no mercado brasileiro, assim a antiga e a nova geração de apreciadores do estilo poderiam conhecer essa grande figura. Se não, o negócio é descolar o vinil de "Kommander of Kãos" mesmo, que saiu por aqui há quase vinte anos...

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

In-Edit
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp



Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre

Mais matérias de Ben Ami Scopinho.