Resenha - Wayward Sons Of Mother Earth - Skyclad

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Sílvio Costa
Enviar Correções  


Novamente a Century Media presta um serviço de valor inestimável ao disponibilizar no mercado brasileiro a estréia dos pais do folk metal. The Wayward Sons of Mother Earth foi lançado originalmente em fevereiro de 1991 e trazia Martin Walkier (V), Steve Ramsey (G), Graeme English (B) e Keith Baxter (D). Já na estréia o Skyclad apresentava, ainda de forma embrionária, alguns dos elementos mais característicos de sua música, que vem conquistando fãs ao longo dessa década e meia de existência da banda.

publicidade

O Skyclad ainda apresenta aqui um thrash metal rasgadaço, típico do fim dos anos 80. Não se pode perder de vista que o vocalista Martin Walkier foi um dos mentores – ao lado do guitarrista e hoje produtor Andy Sneap – do seminal Sabbat, grupo responsável pela redefinição das fronteiras do thrash metal europeu no fim da década de 80. Com essa herança, o Skyclad apresenta aqui um som ainda preso ao estilo criado pela banda antiga de Walkier, mas repleto de novas influências, como as canções do folclore britânico, música cigana e muita ousadia na hora de compor. Alguns dos primeiros clássicos da banda — como "The Widdershins Jig" e "The Sky Beneath My Feet" — estão presentes aqui. É interessante notar como o Skyclad sempre foi capaz de soar melódico e, fundamentalmente, diferente das dezenas de grupos com propostas bastante próximas existentes naquela mesma época. É como se eles sempre estivessem meio que um passo adiante da concorrência, criando temas dotados de um acabamento, no mínimo, surpreendente.

publicidade

As letras de Martin sempre fizeram a diferença para o Skyclad. Aqui elas ainda não apresentavam o humor cortante e a fina ironia que caracterizariam os trabalhos posteriores do grupo. Entretanto, isso não significa que não seja possível notar lampejos da genialidade deste que pode ser considerado um dos melhores letristas da década de 90. Versos furiosos de "The Cradle will Fall" e "The Sky Beneath my Feet" já davam mostras do que viria a seguir. Repleto de referências literárias da velha Inglaterra e dotado de um refinado senso de observação, Martin é um cronista dos tropeços da humanidade desde o dia em que os primeiros hominídeos caíram das árvores. Misturando raiva e decepção, as músicas do Skyclad são pequenas confissões sobre os sucessivos fracassos dos homens na sua desesperada tentativa de viver coletivamente sem se massacrarem mutuamente. Talvez o principal atrativo do Skyclad esteja aí.

publicidade

Só resta agradecer à Century Media por estar prestando esse serviço aos headbangers apreciadores do som original e inteligente dos bardos britânicos. Tomara que os demais trabalhos do Skyclad lançados pela Noise International (no período entre 1991 e 1995) sejam igualmente relançados e que, novamente, eu tenha uma boa desculpa para falar da minha banda favorita aqui no Whiplash. Vale a pena se viciar no som original e inteligente dos pais do folk metal.

publicidade

(RELANÇAMENTO – CENTURY MEDIA)


Outras resenhas de Wayward Sons Of Mother Earth - Skyclad

Resenha - Wayward Sons Of Mother Earth - Skyclad

Skyclad: Álbum é uma verdadeira jóia metálica




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Influências: Folk Metal e Música CeltaInfluências
Folk Metal e Música Celta


Metallica: Quanto vale a banda? Quanto cada um deles tem de dinheiro?Metallica
Quanto vale a banda? Quanto cada um deles tem de dinheiro?

Metallica: foto rara de formação original do grupoMetallica
Foto rara de formação original do grupo


Sobre Sílvio Costa

Formado em Direito e tentando novos caminhos agora no curso de História, Sílvio Costa é fanzineiro desde 1994. Começou a colaborar com o Whiplash postando reviews como usuário, mas com o tempo foi tomando gosto por escrever e espera um dia aprender como se faz isso. Já colaborou com algumas revistas e sites especializados em rock e heavy metal, mas tem o Whiplash no coração (sem demagogia, mas quem sabe assim o JPA me manda mais promos...). Amante de heavy metal há 15 anos, gosta de ser qualificado como eclético, mesmo que isto signifique ter que ouvir um pouco de Poison para diminuir o zumbido no ouvido depois de altas doses de metal extremo.

Mais matérias de Sílvio Costa no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin