Resenha - Union - Arabesque

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar Correções  

8


Com treze anos de batalha, e iniciando sua história como um trio instrumental, o Arabesque já fazia por merecer um espaço maior no cenário do metal progressivo há algum tempo. Engraçado, com este nome, ter estourado justo agora. De qualquer forma, as mudanças ocorreram, certas adaptações foram realizadas, e o resultado se tornou mais acessível e agradável.

publicidade

O som bem característico e diferenciado apresentado em "Beyond The Veil" (gravado em 1994) ganhou força e se distanciou consideravelmente de outros conjuntos com a inserção dos vocais, especialmente estando estes a cargo de duas mulheres, Katja Salemi e Nicole de Seriere du Bizournet.

As influências de fusion e jazz se mantêm nítidas, numa cadência incrível. Porém reforça-se um lado metal e surgem alguns riffs impressionantes na guitarra, com Joop Wolters inspiradíssimo. Os solos não ficam pra trás.

publicidade

A produção é bem acertada e consegue, nesse entrelace de referências e alta musicalidade, dar espaço a todos, através de sonoridade limpa, e detalhamento louvável.

A participação feminina, como já comentada acima, mesmo importante e caracterizadora, talvez seja onde as falhas apontáveis apareçam. Em instantes, um "algo" agressivo pede pra surgir, e de repente, você dá de cara com uma "quase Tina Turner", caso evidente em "Freaking". Apesar disso, as vocalizações possuem certa regularidade e competência na execução. Infelizmente não vêm acompanhadas de melodias cativantes ou passagens tão inspiradas quanto aquelas de bateria, baixo, guitarra e teclado.

publicidade

É bom ver que não só Pain Of Salvation, Chiaroscuro, e outros doutrinados pela originalidade trazem novidades ao "prog metal". Uma boa gama aparece e numa lacuna aberta pelos grupos supracitados. Os holandeses do Arabesque são sérios candidatos ao posto de líderes dessa prática de personalidade, ao invés de cópias chulas que germinam em todo canto. Contudo, têm caminho pela frente, pois figuram, na atual instância, apenas como candidatura maleável, uma boa promessa.

publicidade

Site Oficial – http://www.arabesque-site.com

Formação:
Katja Salemi (Vocais)
Nicole de Seriere du Bizournet (Vocais)
Joop Wolters (Guitarras – Backing Vocals)
René Ubachs (Teclados – Backing Vocals)
Frank de Groot (Baixo – Vocais guturais)
Marc van Mierlo (Bateria)

Material cedido por:
Lion Music - http://www.lionmusic.com
Box 19 Godby 22 411
Aland FINLAND
Email: [email protected]
Fax - 35818 41551

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Lars Ulrich: jucando no camarim do Guns N' RosesLars Ulrich
Jucando no camarim do Guns N' Roses

Osama Bin Laden: O que havia na sua coleção de cassetes?Osama Bin Laden
O que havia na sua coleção de cassetes?


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin