Matérias Mais Lidas

imagemPaul Di'Anno detona Regis Tadeu após vídeo em que critica seu encontro com Iron Maiden

imagem"A ingenuidade do fã do Iron Maiden é um negócio que beira o patético", diz Regis Tadeu

imagemA dura crítica de Angus Young a Led Zeppelin, Jeff Beck e Rolling Stones em 1977

imagemComo era a problemática relação do Angra no "Aurora Consurgens", segundo produtor

imagemFãs protestam contra Claustrofobia após banda fazer versão de música do Pantera

imagemStjepan Juras retruca comentário de Regis Tadeu sobre reencontro de Di'Anno e Harris

imagemA banda de forró que uniu Nenhum de Nós, Legião, Titãs e Paralamas na mesma música

imagemMorre Andy Fletcher, tecladista e membro fundador da banda Depeche Mode

imagemZakk Wylde relembra ídolo: "tão relevante quanto Bach, Beethoven e Mozart"

imagemEncontro entre Paul Di'Anno e Steve Harris resultou em "algo que será discutido"

imagemA apaixonada opinião de Elton John sobre "Nothing Else Matters", clássico do Metallica

imagemRegis Tadeu explica porque Ximbinha é um dos melhores guitarristas do Brasil

imagemJohn Bonham, Keith Moon ou Charlie Watts, quem era o melhor segundo Ginger Baker?

imagemMorre Alan White, baterista do Yes e que gravou a clássica "Imagine", de John Lennon

imagemIron Maiden: Bruce fala sobre groupies; "parei de transar com elas quando me apaixonei"


Resenha - Plague - Demon

Por Rodolfo Laterza
Em 09/12/01

Nota: 6

Em seu 3º álbum, lançado em 1983, Demon mantém a mesma formação do badalado The Unexpected Guest, mudando porém sua temática substancialmente, ao tentar trilhar por um formato mais melodioso e pretensiosamente sinfônico, com a incorporação de teclados em sua base musical. A faixa-título, como introdução, já apresenta ao ouvinte uma diferença clara frente aos trabalhos anteriores – uma exótica combinação estrutural entre as singularidades do metal tradicional com passagens de teclado e refrões que distantemente remontam às fases iniciais do Marillion e oitentistas do Rush. O segundo título – Nowhere to Run – apresenta um timbre de teclado típico dos mini-moogs exultados nos anos 80, novamente mesclado com a crueza tradicional do metal relacionado ao grupo. Fever in the City, vindo logo a seguir, expõe ainda mais a reviravolta "evolutiva" frente a proposta inicial da banda: passagens reflexivas acentuadas de forma prevalente por teclados, induzidas por uma interpretação bonita, mas pouco compatível com a temática do Demon, certamente surpreendem os fãs bem impressionados com os álbuns iniciais.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Temas como Blackheath intro e The only sane man expõem uma musicalidade mais acessível ao público além das fronteiras do metal, embora alguns possam interpretar essa suavização como evolução, enquanto que The Writings on the Wall preserva as raízes temáticas do grupo. Entretanto, tal intuito mostrou-se errático, não pela tentativa de experimentação apresentada, mas pela incompatibilidade com tudo que o grupo até então representava, o que na época prejudicou a base de apoio e fidelidade da banda, conquistada nos ( excelentes ) álbuns predecessores. Toda ousadia é louvável, desde que não gere incongruências ou pretensões por demais destoantes da integridade original de um trabalho. A versão nacional, é apresentada em formato duplo, com gravações originais das músicas apresentadas neste álbum – The Plague, Nowwhere to Run, Fever In The city, Blackheath, The Writings on the Wall, The Only Sane Man, a Step too far.


Outras resenhas de Plague - Demon

Resenha - Plague - Demon

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Câncer na língua: entenda a doença de Bruce Dickinson