Resenha - Humanology - Eminence

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


O Eminence já está na estrada há dez anos e segue a trajetória repetidas vezes realizada pelos maiores nomes do metal nacional: primeiro o sucesso no exterior, para um futuro reconhecimento devido no Brasil. Pelo menos é o que esperamos após a audição do excelente "Humanology".

Cristina Scabbia: "Símbolo sexual? Fico surpresa com isto!"Atores e música: As bandas de Russell Crowe, Keanu Reeves e Bruce Willis

Lá fora, suíços, holandeses, belgas, colombianos, austríacos, tchecos, entre tantos outros, respondem avidamente ao conjunto brasileiro. Não só eles como também Neil Kernon (Judas Priest, Queensryche, Cannibal Corpse, Nevermore), fã confesso do Eminence, e responsável por toda a magnífica produção deste segundo CD.

O que ouvimos aqui é um thrash metal fundeado no passado e, ao mesmo tempo, recheado de elementos atuais. Remeter-se a Machine Head, Fear Factory, ou mesmo ao antigo Sepultura, é simplesmente uma conseqüência natural frente a uma massa sonora brutal e incessante. E que peso tem este álbum!

Talvez o único fator discordante de "Humanology" resida nas instrumentais. Apesar de curtas - o que alivia, pouco prejudicando a seqüência das faixas -, ficam bem aquém do que escutamos em "Leech 9", "Democrasick", "Citizen Zero" ou "Evolution".

Nas músicas sobreditas e em todo o restante do disco, Alan Wallace despeja alguns dos timbres de guitarra mais incríveis que ouvi nos últimos tempos. Consistente, em temas agressivos, executados com perfeição.

O trabalho de base para que a muralha se torne possível é realizado por Jairo Guedz (ex-Sepultura) no baixo e André Márcio (ex-Overdose) na bateria. Igualmente precisos, e com sonoridades fantásticas em seus instrumentos. Méritos próprios que certamente foram bem explorados pelo experiente produtor do CD.

Wallace Parreiras resume bem, com seus vocais, o caminho percorrido pela banda, entre o thrash oitentista e o moderno. Pode tanto lembrar detalhes de Max Cavalera como de David Draiman (Disturbed). Sabe vibrar e afrontar a partir da demanda de cada composição. E é exatamente assim que funciona o Eminence.

Site Oficial - http://www.eminence.com.br

Wallace Parreiras (Vocais)
Alan Wallace (Guitarra)
Jairo Guedz (Baixo)
André Márcio (Bateria)




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Eminence"


Cristina Scabbia: Símbolo sexual? Fico surpresa com isto!Cristina Scabbia
"Símbolo sexual? Fico surpresa com isto!"

Atores e música: As bandas de Russell Crowe, Keanu Reeves e Bruce WillisAtores e música
As bandas de Russell Crowe, Keanu Reeves e Bruce Willis

Psicografia: uma suposta carta do espírito de Cássia EllerPsicografia
Uma suposta carta do espírito de Cássia Eller

Motorhead: a opinião de Lemmy sobre Viagra, Hendrix e velhiceMotorhead
A opinião de Lemmy sobre Viagra, Hendrix e velhice

Metal Sucks: os melhores álbuns de metal do século 21Metal Sucks
Os melhores álbuns de metal do século 21

Kiss: Rock and roll é um trabalho para otários!Kiss
"Rock and roll é um trabalho para otários!"

Metallica: Hetfield e sua experiência na música clássicaMetallica
Hetfield e sua experiência na música clássica


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336