Matérias Mais Lidas

imagemO reencontro entre Steve Harris e Paul Di'Anno na Croácia

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemAdrian Smith conta como Iron Maiden permaneceu forte e era grunge passou

imagemDee Snider cutuca bandas com falsas aposentadorias e ingressos caros

imagemRoger Daltrey revela a música "amaldiçoada" que o The Who não toca mais ao vivo

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemMetade das pessoas com menos de 23 anos desconhecem Pink Floyd, David Bowie e Bon Jovi

imagemNicko McBrain, do Iron Maiden, mostra o seu novo (e enorme) kit de bateria

imagemO dia que Serguei fez um react do clipe de "Recomeçar", o hit do Restart

imagemEddie aparece em versão samurai no primeiro show do Iron Maiden em 2022; veja foto

imagemOzzy Osbourne diz que "tinha muito o que provar" com "No More Tears"

imagemConfira as músicas que o Iron Maiden tocou no primeiro show de 2022

imagemJen Majura disse que sair do Evanescence não foi decisão dela e recebe apoio dos fãs

imagemSentado em cadeira de rodas, Paul Di'Anno faz primeiro show em sete anos

imagemO clássico do Helloween que fez Angra mudar nome original de "Running Alone"


Stamp

Resenha - Missa Mercuria - Missa Mercuria

Por Rafael Carnovale
Em 14/01/03

Nota: 10

Imagine uma ópera rock com músicos das bandas Silent Force e Pink Cream 69. Adicione nesta mistura músicos das bandas Edenbridge e Vanden Plas. O resultado só poderia ser inusitado. Uma bela mistura de heavy, rock, e prog, tudo dosado com a devida competência dos executantes. Missa Mercuria nasceu a partir de uma história criada por Karin Forstner e foi gravada em 2002, capitaneada por DC Cooper e os músicos do Pink Cream 69. A história fala sobre a missão de Mercuria, enviada dos Deuses supremos, na sua luta para a defesa da existência humana.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Duas instrumentais distintas começam nossa história. "Earth’s Destruction", com uma pegada bem heavy tradicional e "Requiem Mortale", mais atmosférica. Logo somos apresentados aos personagens de nossa trama. "Divine Spark" nos apresenta ao Deus do Fogo (FIREGOD), um heavy pesadíssimo com os vocais competentes de DC Cooper, assim como "Whisper of the Soul" nos leva à Deusa da Água, interpretada por Sabine (Edenbridge) e "Spirit of Wisdom" nos leva à Deusa do Ar, interpretada por Lori Williams. As duas primeiras são mais atmosféricas e densas, com uma aproximação ao metal gótico, mas mantendo a veia heavy do contexto. Já "Spirit of Wisdom", uma faixa mais chegada ao prog-metal, nos apresenta ao Deus do Ar, interpretado por Andy Kuntz (Vanden Plas), por sinal com belíssimos riffs de guitarra, altamente influenciada pelo prog de bandas como Dream Theater.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

A luta de Mercuria (Isolde Grob) começa na faixa que leva seu nome, "Missa Mercúria", um belo heavy com as guitarras poderosas de Alexander Beyrodt (Silent Force, Sinner, Primal Fear) e os vocais Líricos de Isolde, dando um clima todo especial à história de nossa heroína. A verdade em si, é que não estamos em um conto de fadas, e David Readman (Pink Cream 69) aparece para cantar tal tema na música "The Fairytale of Truth", uma bela balada, com show de David nos vocais.

A despedida de Mercuria (a caminho de sua missão) e seu amor ao Deus do Fogo aparecem na faixa "Farewell for Love’s Sake", outra bela balada marcada pelo lindo dueto vocal de DC Cooper e Isolde Groeb. Aí nossa história parte para a luta suprema, na suíte "Journey to Hades", dividida em quatro partes, sendo uma, "Strange Desert Walk", um instrumental que marca a volta de Alfred Kofler (PC69) às gravações, depois de enfrentar problemas de saúde. O destaque fica para o clima denso e pesado de "Bursting Ego" (cantada por David Readman) e pelo encerramento da história em "Rectificando" (mesmo vocal), que deixa nossa história em aberto, mostrando que a missão de Mercuria não estará completa, cabendo a seus sucessores continuar sua saga.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Uma bela história, belas músicas, com momentos heavy, hard, góticos e prog... tudo isso conduzido por excelentes músicos... o que dizer? Compre!

Site oficial: www.missamercuria.com

Vocais: DC Cooper (Firegod),Sabine (WaterGodess), Lori Williams(Air Goddess), Andy Kuntz (Earth Goddess), David Readman (StoryTeller), Mercuria (Isolde Grob)

Guitarras: Alex Beyrodt, Alfred Kofler, Stephan Lill
Baixo: Dennis Ward
Teclados: Gunter Wermo
Bateria: Andreas Lill

Lançado no Brasil pela Hellion Records.


Outras resenhas de Missa Mercuria - Missa Mercuria

Resenha - Missa Mercuria - Missa Mercuria

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale.