Resenha - Imaginary Sonicscape - Sigh

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar Correções  

9


Só uma história fictícia para explicar tanta loucura e ajudar o leitor a se localizar. Vamos lá. A primeira encarnação destes três japoneses se deu em Viena, nos séculos XVIII e XIX, de 1770 a 1840, quando conviveram de perto com Wolfgang Amadeus Mozart e Johann Strauss Jr.

publicidade

Passaram um tempo afastados da Terra, evitando terríveis guerras que ocorriam por aqui. Voltaram a uma vida curta, mas intensa, sendo parentes próximos e amigos de Timothy Leary, e vivendo de 1948 a 1970.

Conscientes de toda a riqueza cultural que suas prematuras partidas poderiam lhes privar, retornaram rapidamente à vida, da qual até hoje desfrutam. Acompanharam todos as turnês musicais, independentes de estilo, que passaram pela reconstruída terra do sol nascente, de 1972 a 2000.

publicidade

Se encantaram com a agressividade, as vocalizações e as letras de Venom e Emperor e levaram essas influências como base para o Sigh, formado no início da década de 90. Todavia, antes de firmar o som e lançar o primeiro trabalho em 1993, fizeram questão de se lembrar das inspiradoras passagens de Exodus, Testament, Deep Purple, Uriah Heep e Led Zeppelin, e do divertimento com as apresentações de Bee Gees e KC & The Sunshine Band.

publicidade

Não ficaram satisfeitos com o que haviam obtido em seus primeiros álbuns, e seguiram acrescentando ingredientes às suas composições, com toques de Frank Zappa, John Coltrane e Miles Davis, e pitadas discretas de Pato Banton e Bob Marley. Como se não bastasse, ainda quiseram provar o gosto da modernidade e, desta vez, não tão bem sucedidos quanto Samael e Coroner, experimentaram amargos elementos eletrônicos.

publicidade

Julho de 2001: com uma boa produção, e contrato com a Century Media, Mirai Kawashima, Shinichi Ishikawa e Satoshi Fujinami lançam "Imaginary Sonicscape", sua obra mais valiosa, contendo tudo o que foi citado acima, e esbarrando em raros equívocos, em passagens excessivamente megalômanas.

Site Oficial – http://www.listen.to/sigh

Mirai Kawashima (Vocais, Baixo, Teclados & Programação)
Shinichi Ishikawa (Guitarras & Violões)
Satoshi Fujinami (Bateria & Percussão)

publicidade

Material cedido por:
Century Media Records – http://www.centurymedia.com.br
Telefone: (0xx11) 3097-8117
Fax: (0xx11) 3816-1195
Email: [email protected]




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Além da Babymetal: dez das melhores bandas de metal do JapãoAlém da Babymetal
Dez das melhores bandas de metal do Japão

J-Metal: Conheça algumas bandas da cena metal japonesaJ-Metal
Conheça algumas bandas da cena metal japonesa


Black Sabbath: Perguntas e respostas e curiosidades diversasBlack Sabbath
Perguntas e respostas e curiosidades diversas

Classic Rock: revista elege 100 melhores músicas de rockClassic Rock
Revista elege 100 melhores músicas de rock


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin