Para entender: o que é Groove Metal?

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ricardo Seelig, Fonte: Collectors Room
Enviar correções  |  Comentários  | 

O groove metal surgiu no final dos anos 1980 e início dos 1990 através de bandas como Pantera, Sepultura, Machine Head e White Zombie, que começaram a criar uma sonoridade totalmente nova onde o groove andava lado a lado com o peso do heavy metal. As influências iniciais do gênero estão no thrash, que foi o ponto de partida de onde diversas bandas, principalmente norte-americanas, evoluíram para algo até então inédito. A principal características do estilo são os riffs curtos e sincopados, mais concentrados no groove e no peso do que na velocidade. Percebe-se também uma onipresente influência do hardcore permeando os nomes do gênero.

1669 acessosMax Cavalera: "Metal é a melhor terapia do mundo"5000 acessosLoudwire: as 10 melhores músicas do Slipknot segundo o site

Ainda que comumente o surgimento do groove metal seja apontado para duas bandas em particular - o Pantera e o Sepultura -, alguns grupos já haviam lançado as sementes e as estavam desenvolvendo paralelamente. Entre os pioneiros menos conhecidos estão a banda norte-americana Exhorder, a inglesa Reign, o também americano Creeper, a canadense Varga, a japonesa Outrage e a norte-americana Psychosis. É preciso citar também o Bad Brains, que influenciou o desenvolvimento do gênero com os seus discos lançados a partir da década de 1980 e que injetaram doses maciças de balanço ao peso de suas canções.

No entanto, apesar dessa variedade de grupos que, de alguma maneira, estavam na vanguarda do que viria a ser um dos estilos mais populares do metal, indiscutivelmente os trabalhos mais populares e influentes do groove metal estão na discografia de quatro bandas: Pantera, Sepultura, White Zombie e Machine Head. A guitarra singular de Dimebag Darrell é um dos instrumentos mais icônicos do estilo, assim como as batidas desenvolvidas pelo Sepultura a partir de "Chaos A.D." (1993), os flertes com a eletrônica e o industrial de Rob Zombie e sua turma e o desenvolvimento de uma nova sonoridade para o thrash levada a cabo pelo Machine Head.

Em seu período inicial, o groove metal foi popularizado e teve as suas bases divulgadas e fincadas profundamente no universo do metal através de discos como:

- "Cowboys From Hell" (1990), "Vulgar Display of Power" (1992), "Far Beyond Driven" (1994) e "The Great Southern Trendkill" (1996), do Pantera
- "Chaos A.D." (1993) e "Roots" (1996), do Sepultura
- "Burn My Eyes" (1994) e "The More Things Change ..." (1997), do Machine Head
- "La Sexorcisto: Devil Music, Vol. 1" (1992) e "Astro-Creep: 2000 - Songs of Love, Destruction and Other Synthetic Delusions of the Electric Head" (1995), do White Zombie
- "Power of Inner Strength" (1995), do Grip Inc.
- "Prove You Wrong" (1991) e "Cleansing" (1994), do Prong
- "The Law" (1992), do Exhorder

O crescimento imenso de bandas como Pantera e Sepultura no período tornou o groove um dos gêneros mais populares do metal, principalmente no maior mercado fonográfico do planeta, os Estados Unidos. A influência que a então nova sonoridade teve sobre jovens de todo o planeta, notadamente os norte-americanos, foi a faísca e o ponto de partida para o nascimento de outro estilo que marcou a década de 1990, o nu metal.

Porém, a separação da Sepultura em 1996 - que levou ao surgimento do Soulfly, liderado por Max Cavalera - e a hibernação do Pantera causada por conflitos internos a partir do mesmo ano - quebrada apenas pelo lançamento de "Reinventing the Steel" (2000) e retomada definitivamente com a morte de Dimebag, em 2004 -, somadas às experimentações do Machine Head com o nu metal e o fim do White Zombie, fizeram com que houvesse uma mudança na hierarquia do estilo. Com criatividade de sobra e levando a cabo os ensinamentos dos pioneiros, grupos como Lamb of God, DevilDriver, Throwdown e Chimaira deram novo fôlego ao gênero. No que podemos chamar de segunda geração de bandas desta corrente, destaque para os álbuns abaixo:

- "Primitive" (2000), "Prophecy" (2004) e "Dark Ages" (2005), do Soulfly
- "As the Palaces Burn" (2003), "Ashes of the Wake" (2004) e "Sacrament" (2006), do Lamb of God
- "The Fury of Our Maker’s Hand" (2005), do DevilDriver
- "1919 Eternal" (2002) e "Hangover Music Vol. VI" (2004), do Black Label Society
- "Chimaira" (2005) e "Resurrection" (2007), do Chimaira
- "... And They Shall Take Up Serpents" (2005), do Byzantine
- "The Onslaught" (2007), do Lazarus A.D.
- "Vendetta" (2005) e "Venom & Tears" (2007), do Throwdown

Com as suas características consolidadas no DNA do heavy metal, o groove metal tornou-se um gênero bastante influente, com seus elementos sendo facilmente identificados na maioria das bandas atuais e até mesmo em grupos veteranos, como é o caso do Anthrax (ouça "Sound of White Noise", de 1993) e do Exodus (a fase mais recente, a partir de "Tempo of the Damned", de 2004), que usaram com inteligência essas influências para atualizar e levar a sua música para outros caminhos.

Nos anos mais recentes, alguns gigantes paridos pelo groove entraram em uma espiral ascendente de qualidade. O Machine Head retomou a sua popularidade e hoje é uma das maiores bandas de metal do planeta, tudo isso graças a álbuns sensacionais como "The Blackening" (2007) e "Unto the Locust" (2011). O Lamb of God deixou meio mundo sem palavras com "Wrath" (2009) e o estonteante "Resolution" (2012). E o Soulfly gravou o seu melhor disco, "Enslaved" (2012). Isso mostra o quanto ainda é possível desenvolver uma das sonoridades mais cativantes do metal, e o quanto ela ainda está longe de soar estagnada.

Para entender o groove metal e saber mais sobre o estilo, ouça a playlist que preparamos. E, nos comentários, poste o seu top 10 com os seus discos preferidos do gênero.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

3493 acessosPara entender: o que é New Wave of American Metal?5000 acessosPara entender: o que é metalcore?5000 acessosPara entender: o que é power metal?1457 acessosPra entender: o que é post-punk?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Max CavaleraMax Cavalera
"Metal é a melhor terapia do mundo"

537 acessosAndreas Kisser: comandando painel sobre Heavy Metal no DMX2152 acessosSchizophrenia: um clássico marcado por uma má produção0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Sepultura"

SepulturaSepultura
Como foi o convite para tocar com o Motörhead?

Mente abertaMente aberta
Músicos de metal que tocam ou já tocaram em outros estilos

DeezerDeezer
As bandas de rock brasileiras mais ouvidas lá fora

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "Pantera"0 acessosTodas as matérias sobre "Sepultura"0 acessosTodas as matérias sobre "White Zombie"0 acessosTodas as matérias sobre "Machine Head"


LoudwireLoudwire
As 10 melhores músicas do Slipknot segundo o site

CensuraCensura
53 nomes que você não pode dizer em uma rádio

Collectors RoomCollectors Room
Vinícius Neves, do Stay Heavy, mostra a sua coleção

5000 acessosSeparados no nascimento: Sebastian Bach e Fernanda Lima5000 acessosMomentos bizarros: histórias de Ozzy, Stones, Who e outros5000 acessosMotorhead: destaques do funeral de Lemmy Kilmister4943 acessosHalloween: 21 bandas e artistas sempre prontos para este dia5000 acessosRita Lee: "eu fui expulsa dos Mutantes"5000 acessosAxl Rose no AC/DC: pensei que fosse 1º de abril, diz Alice Cooper

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 29 de fevereiro de 2016


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online